Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Apocalypse now na Grécia.

por Luís Menezes Leitão, em 08.07.15

A princípio pensei que os sucessivos disparates que o governo grego ia fazendo resultavam pura e simplesmente de incompetência, que os gregos iriam pagar muito caro. Depois convenci-me que isto afinal era uma estratégia pensada desde o início para atirar a Grécia para fora do euro. Neste momento, a irracionalidade é de tal ordem que já nem sei o que pensar. Isto só me faz lembrar o diálogo entre o Coronel Kurt e o soldado que o persegue, no Apocalypse Now. O primeiro pergunta: "Are my methods unsound?". Ao que o outro responde: "I don´t see any method at all". E de facto não podemos encontrar qualquer método nisto, entendida a palavra no seu sentido epistemológico grego, methodos (μέθοδος), que significa literalmente "seguir um caminho", de metá (μετά), "a seguir", e hodós (οδός), "caminho". Na verdade, não se compreende minimamente qual o fim que visa o governo da Grécia e qual o caminho que se propõe seguir. O que vemos constantemente são passos erráticos que não se percebe aonde visam conduzir o povo grego.

 

Num dia o governo grego negoceia um acordo no Eurogrupo. No outro dia, logo que recebe uma proposta deste, propõe um referendo sobre a mesma, o qual é votado numa semana, e dá uma esmagadora vitória ao não. Durante a campanha, o Ministro das Finanças Varoufakis, ao mesmo tempo que chama terroristas aos seus parceiros do Eurogrupo, garante que, se o não vencer, consegue um acordo com eles em 24 horas. No dia seguinte à vitória do não, o vencedor Tsipras oferece a cabeça de Varoufakis numa bandeja ao Eurogrupo, substituindo-o pelo mais moderado Tsakalotos, em ordem a conseguir um rápido acordo com os pretensamente derrotados no referendo. 24 horas depois a mensagem é de desespero: a Grécia pede mais 7.000 milhões de euros em 48 horas, sendo pedida uma reunião de emergência do Eurogrupo. Mas o tal Tsakalotos chega a Bruxelas sem uma única proposta concreta, limitando-se a levar umas notas manuscritas em papel de hotel. E para isto obrigou 18 ministros das Finanças europeus a uma reunião urgente em Bruxelas, tendo alguns, como por exemplo o de Portugal e o da Lituânia, tido que se deslocar do outro extremo do continente para nada, e sendo por isso obrigados a marcar outra reunião. A menos que Tsakalotos signifique em grego "saca a tolos", não estou a ver como é que alguém pode esperar que lhe entreguem 7.000 milhões de euros desta maneira.

 

Há dias a saída da Grécia do euro era uma hipótese quase inverosímil. Hoje tornou-se uma probabilidade cada vez mais forte. Tsipras pode ter saído reforçado do referendo mas, como o Coronel Kurt do Apocalypse Now, pode passar a governar um país em cinzas. Porque se a Grécia sair do euro, numa bancarrota descontrolada, é esse o estado em que vai ficar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


29 comentários

Sem imagem de perfil

De Desconhecido Alfacinha a 08.07.2015 às 08:27

Coronel Kurt, se faz favor: "The horror... The horror..."
Imagem de perfil

De Luís Menezes Leitão a 08.07.2015 às 09:43

Já corrigi a patente militar. Obrigado.
Sem imagem de perfil

De JPT a 08.07.2015 às 14:26

Agora já só falta o nome. Kurtz, como no livro de Conrad. :)
Imagem de perfil

De Luís Menezes Leitão a 08.07.2015 às 19:39

Também li o Heart of Darkness. Mas o que citei foi o filme.
Sem imagem de perfil

De JPT a 08.07.2015 às 19:40

É Kurtz em ambos.
Sem imagem de perfil

De É só esperar uns minutos a 08.07.2015 às 08:40

Não tarda nada, uma chusma de defensores dessa completa ausência de estratégia grega - e até da mais elementar civilidade - vão aparecer aqui, pretendendo defender o indefensável. Já sabemos.
Sem imagem de perfil

De William Wallace a 08.07.2015 às 08:46

Aconselho-o a rever o filme Apocalypse Now , mas com muita atenção mesmo, até é uma boa analogia para a situação em questão.

Os que defendem este estado comatoso do financeirismo mundial ainda hão-de de precipitar mais danos em TODOS NÓS em busca da protecção aos deuses do mercado.
Sem imagem de perfil

De Imigrante que deseja a 4 Repüblica a 09.07.2015 às 17:05

Sem düvida, uma perfeita analogia !!! Sobretudo quando neste mesmo diälogo, o coronel Kurtz se dirige ao capitäo Willard (despromovido a soldado, pelo Sr. Leitäo): "...you're an Errand boy sent by grocery clerks to collect the bill..."
Sem imagem de perfil

De xico a 08.07.2015 às 08:47

Ninguém no seu perfeito juízo leva um papel com notas, manuscritas ou não, à vista de todos, principalmente quando sabe ser o foco das atenções. Só por grande incompetência ou... por estratégia! O que significa então aquele papel de hotel?
Sem imagem de perfil

De marquês barão a 08.07.2015 às 10:00

Não é de crer que a parvoíce pense em estratégia.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.07.2015 às 14:18

Significa que tudo usam para deitar abaixo alguém. Não deve interessar a mim nem a ninguém, se leva papel, caneta, lápis, gravata, fato, mala ou casaco, interessa que usem o diálogo construtivo e que se olhem as pessoas como seres humanos e não como números. Isto não é uma UE, é uma desunião, onde estão tecnocratas que usam e abusam do ser humano e tratam o dinheiro, como algo, a quem todos se têm de vergar. Não presta esta UE. Amanhã quando o apocalipse estiver aqui, quero ver e ouvir, o que dizem aqueles que hoje zombam dum povo e que apoiam os números em vez das das pessoas.
Sem imagem de perfil

De xico a 09.07.2015 às 08:46

Não me parece que tenha zombado do Povo Grego, nem de ninguém. Espero sinceramente é que o governo grego não esteja a zombar do seu Povo e de todos nós.
Um ministro meu ou um funcionário, que trouxesse à vista de todos um qualquer papel, sabendo que está a ser visto por tudo e todos, recebia severa reprimenda. Porque isso, sim, me pareceu zombaria.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.07.2015 às 13:20

Nenhum de nós sabe se era papel ou não para apresentar. Todos disseram o que quiseram e muito bem lhes apeteceu: eram crianças, mal vestidos, andavam de moto... O interessante é que aqueles que os apelidaram de crianças, hoje, já dizem que a dívida grega tem de ser reestruturada. Como vê aqui temos de ver para crer porque o que hoje é, amanhã já não é.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 08.07.2015 às 08:50

É o que eu já disse, o Tsipras teve um vitória de Pirro. Coitados dos gregos pobres.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.07.2015 às 09:21

Ouço Tsipras em directo no Parlamento Europeu. Acaba de dizer que a economia grega "se encontra num beco sem saída".
Parece um líder da oposição que ainda não se convenceu verdadeiramente de que já é governo. Tarda em passar do diagnóstico à terapia. Para bem dos gregos, esta é capaz de ser a notícia menos má. Porque se a "terapia" da esquerda radical é chamar «assassinos» aos credores, rasgar compromissos estabelecidos no Conselho Europeu e convocar plebiscitos com pergunta incompreensíveis de seis em seis meses para sacudir a água do capote mais vale permanecer na fase do diagnóstico.
Imagem de perfil

De Luís Menezes Leitão a 08.07.2015 às 09:49

Tens toda a razão, Pedro. O problema é que a Grécia está numa situação séria demais para aguentar esta loucura constante.
Sem imagem de perfil

De marquês barão a 08.07.2015 às 09:57

Lenta queima do gato apadrinhada. Brincadeira de garotos.
Imagem de perfil

De Manuel a 08.07.2015 às 10:11

Diz-se que alguns analistas acreditam que os gregos estão praticando a teoria dos jogos de Nash.
Mas também diz-se que se a Grécia sai fora vai ser salva pelo BRICS. Fico a imaginar o que daí poderá vir e de saber que nada sei, só imagino o dólar a cair e um cenário caótico na economia mundial.
Sem imagem de perfil

De G_L a 09.07.2015 às 18:03

Olá,

Não entendi. Porquê no caso em que descreve o dólar cairia? O que tem o dólar a ver com os BRICS?
Sem imagem de perfil

De da Maia a 08.07.2015 às 12:00

A questão é... quanto foi pago aos credores até agora e quanto dinheiro entrou?
E se tivesse havido Grexit, em Janeiro?
Sem imagem de perfil

De Vento a 08.07.2015 às 12:20

Não sei se será só a Grécia que ficará em estado comatoso nesta guerra:

https://www.youtube.com/watch?v=pHt8QguIQNA

Foi a reunião entre Tsipras, Merkel, Juncker e Hollande que tornaram sem efeito essa reunião.

Significa isto, uma vez mais, que os restantes ministros só estão ali para fingir músculo. Quem decide é a Alemanha e França.
Sem imagem de perfil

De Trovoada a 08.07.2015 às 18:01

Se o PS não é o Syriza e também não é o PS francês ficamos logo a perceber o que é: uma trampa.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D