Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vamos cá ver. O facto de o Dr. Costa ter uma visão dos mandatos que vai exercendo exclusivamente orientada para o afago do próprio ego, interesse e ambição pessoal define-o, mas não vincula os diferentes interlocutores que partilham o espaço político. O Dr. Passos Coelho, para além de, como todos nós, representar-se a si próprio conforme pode, foi eleito para dar voz no Parlamento a todos os que votaram no PSD. Quando o Dr. Passos Coelho pergunta ao Dr. Costa qual seria o valor do défice sem manobras de diversão, fá-lo porque entende que há uma parte significativa dos portugueses que gostava efectivamente de dispor dessa informação. E entende bem. Desde logo porque não sendo impossível obtê-la por outros meios, é importante que seja o primeiro-ministro a dizê-lo. E depois, porque sendo ele a dizê-lo é mais fácil contrastar a informação com a prosódia e proverbial fanfarronice do Dr. Costa. Por isso, não sendo propriamente uma surpresa que o Dr. Costa recuse responder ou que remeta uma resposta para quando o "Diabo chegar" (o estilo chocarreiro e velhaco é tão natural ao Dr. Costa como a própria transpiração), não é demais sublinhar que tal constitui uma óbvia e grave falta de respeito pelos princípios democráticos e pelos eleitores, Ora, se não se pode esperar da legião de pataratas comprados pela política de reversões (que são aliás, embora não façam ideia, os principais destinatários dessas faltas de respeito), nem do tutor com residência oficial em Belém, nem muito menos da 2ª triste figura do Estado, que alguma vez levantem a voz para colocar o Dr. Costa no seu devido lugar, é importante que não sejamos cúmplices por omissão e que não deixemos passar a situação em claro. É evidente que o meio exige contenção e que não é possível descrever aqui o Dr. Costa com todas as letras. Mas é obrigatório, pelo menos, que fique registado que o Dr. Costa se comporta como um bandalho. 


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Achtung a 27.01.2017 às 15:31

"O facto de o Dr. Costa ter uma visão dos mandatos que vai exercendo exclusivamente orientada para o afago do próprio ego, interesse e ambição pessoal "

"Dr. Passos Coelho, para além de, como todos nós, representar-se a si próprio conforme pode"

Breve Ensaio Sobre a Natureza Humana de Pedro Passos Coelho.

Pedro Passos Coelho e o seu "braço esquerdo":

De acordo com o mesmo jornal (DN), Maria Luís Albuquerque vai trabalhar em média dois a quatro dias por mês e terá que estar presente em 10 reuniões por ano em que a Arrow Global reúne todos os administradores.

Por todo este traballho, a ainda deputada vai receber segundo o Correio da Manhã cerca de 100 mil euros, mencionando que para além do ordenado, Maria Luís Albuquerque terá 10 mil euros pela participação em reuniões e um prémio em função dos resultados anuais obtidos.

A estas verbas a antiga ministra junta os mais de três mil euros de salário de deputada e 25 euros por dia para ir trabalhar ao parlamento.

Pedro Passos Coelho e o seu "braço direito":

A Tecnoforma, onde Passos Coelho foi consultor e administrador, está a ser investigada pelo Gabinete da Luta Anti-fraude da União Europeia devido a alegadas irregularidades e fraude relacionados com fundos europeus.

O “Público” noticiava, a 11 de Outubro de 2012, que Miguel Relvas terá ajudado a Tecnoforma a ter monopólio de formação em aeródromos. Entre 2002 e 2004, a Tecnoforma arrecadou 3,6 milhões de euros provenientes do programa Foral, tutelado na altura por Miguel Relvas, à época secretário de Estado da Administração Local no Governo de Durão Barroso.

Outro inquérito, aberto também despois das notícias do PÚBLICO, está em curso no Departamento de Investigação e Acção Penal de Coimbra, e tem a ver com um projecto da Tecnoforma no valor de 1,2 milhões de euros, que foi aprovado pelos gestores do Foral e se destinava a formar mais de mil funcionários de nove municípios da região Centro para trabalharem em nove aeródromos e heliportos daquela região, parte dos quais não existiam ou estavam desactivados. 

Foram noticiados ainda mais quatro casos, um dos quais envolvendo o jornal PÚBLICO, no âmbito do dossier das secretas. O então ministro, Miguel Relvas, ameaçou uma jornalista com a revelação de dados da sua vida privada depois de questionado sobre os serviços secretos e a sua relação com o ex-espião Jorge Silva Carvalho.




Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D