Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A taxa Robles do PSD.

por Luís Menezes Leitão, em 18.11.18

41242831_265644517404305_167312287828263379_n-1.jp

Em 1984 Mondale concorreu contra Reagan que se recandidatava à presidência dos Estados Unidos. Anunciou na sua campanha um futuro aumento de impostos. Teve a maior derrota de sempre alguma vez obtida por um candidato presidencial na América, com apenas 13 votos no colégio eleitoral, contra os 525 de Reagan. O PSD actual parece que quer repetir essa estratégia, aumentando os impostos a partir da oposição, com a agravante de pretender concorrer com o Bloco de Esquerda propondo igualmente uma taxa Robles. Devem achar que isto é politicamente um tiro muito certeiro, embora eu não perceba a que segmento do seu eleitorado se estão a dirigir. Por isso o que me parece é que andam a jogar à roleta russa com uma metralhadora pesada.


20 comentários

Perfil Facebook

De Rão Arques a 18.11.2018 às 09:46

CUSTA A ACREDITAR
Deixar sabujos de enorme grandeza continuar a cagar lá de cima, diz bem da latrina que tem à disposição cá por baixo.
O limpa penicos empastelado em serviço permanente, com balde e esfregona às Costas já só cheira a caca velha.
Sem imagem de perfil

De António a 18.11.2018 às 09:55

Rio deve ter uma estratégia pensada para o segmento alemão do PSD.
Eu sou daqueles eleitores flutuantes, voto em quem me parece mais capacitado, desde que não seja capacitado para destruír o país. Já vi que nas próximas eleições vou ter problemas onde colocar a cruzinha.
Sem imagem de perfil

De Vento a 18.11.2018 às 12:01

Talvez Rui Rio se tenha apercebido que a especulação imobiliária atingiu proporções escandalosas.
Tratar este tema como uma guerra entre senhorios e inquilinos será perverter os aspectos substantivos que subjazem em torno deste fenómeno, que passou a ter escala global. Basta olhar para as medidas que estão a ser aplicadas na Austrália e outros países mais.
Portugal é uma economia sem escala, e a especulação e o oportunismo sempre foi o motor e precursor das catástrofes sociais em que o mergulharam. O sector imobiliário aproveita-se do êxodo do interior para o litoral para fazer mergulhar as populações migratórias e residentes em um completo abismo de carências.
Carências estas que não são acompanhadas pública e privadamente por contrapartidas salariais e sociais que permitam reverter o fenómeno. Desestrutura-se a vida daquelas populações residentes que são obrigadas, inconstitucionalmente, a ver os contractos firmados destituídos das expectativas legitimas a que tinham sido submetidos, mas também a obrigar a que novos contractos dependam exclusivamente do capricho do locador.

É sabido que todos os contractos devem ser regidos pelo princípio do equilíbrio e bom senso; e a lei não pode desvincular-se destes mesmos preceitos e fomentar a miséria e o desequilíbrio social.
Em conclusão, o sentido de propriedade não pode eximir-se do sentido de responsabilidade.
Rio está correcto!
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 18.11.2018 às 19:01

Como sempre os Sociais Fascistas contra a Liberdade de associação.

Só falta quereres proibir os Divórcios.
Se um pessoa não quer estar com outra tem todo o direito.
Sem imagem de perfil

De Vento a 19.11.2018 às 10:36

Tem de andar com um saco de plástico para apanhar o kilo que vai largando. O passeio é público e há mais pessoas a atravessar o espaço. Se não se contenta com os que comentam, divorcie-se deles. Ninguém é obrigado a viver em casa que não gosta. Os sociais fascistas, inteligentes e sãos que são, percebem isto perfeitamente.
Só não percebe quem é demente e procura impor-se e impor a sua perspectiva de liberdade associativista.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2018 às 18:13

Eu desconfio que lucklucky é na verdade o reaccionário Arnaldo Matos.
Sem imagem de perfil

De artur a 18.11.2018 às 13:02

Mas então o que interessa é ganhar as eleições e depois aplicar aquilo em que acreditamos, mas não podemos dizer se não não vencemos.
Caso o sr Leitão não saiba, isso chama-se MENTIR.
O maior especialista nessa matéria dos últimos anos foi como todos sabemos o porteiro que entretanto dava uma perninha na tecnoforma e que a maior parte dos intervenientes deste blogue despudoradamente quer reabilitar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2018 às 17:44

Bem visto e melhor escrito.

WW
Perfil Facebook

De Rão Arques a 18.11.2018 às 19:39

Ganhar eleições para quê?
O Costa das pantominas nem precisa disso.
Despudoradamente há muita gente que só pretende aconchegar e adiar o cadáver politico ainda cambaleante, que assaltando o poder agora faz de conta que governa.
Só com ancoragens betonadas lhe sustentam a amarração.
Façam muita força!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2018 às 14:16

"Rio está correcto!" O problema não é esse. O problema é ganhar (ou pelo menos obter um bom resultado) ou não as eleições.As duas coisas não coincidem.
Sem imagem de perfil

De WW a 18.11.2018 às 15:57

Rui Rio tem razão e explicou bem o alcance de uma medida nesse sentido elaborada pelo PSD, só não percebe quem não quer.
Infelizmente ou não (na minha modesta opinião) os fundos de investimento e os particulares que o podem fazer perceberam que não podem confiar no PAPEL PINTADO com que lidamos no dia-a-dia, nem em acções ou obrigações daí o boom do imobiliário, apostar em valores seguros e rentabilizá-los, por mais valor que possam perder no futuro a perda será sempre mais fácil de colmatar do que a relativa a desvalorizações cambiais ou queda do mercado de acções que diga-se já nem serve o propósito primordial para o qual foi criado. A economia de casino tem de ser travada e se este (boom do imobiliário) for um caminho pois que seja e se o Estado puder regular o mercado de forma isenta pois que seja.
Eu simpatizo com Rui Rio e entendo que propostas da esquerda (o PS não é de esquerda) forem boas porque não aplicá-las.

WW
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 18.11.2018 às 19:04

Contra a Liberdade sempre. Mas depois como Orwell nos diz têm a lata de falar dela.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2018 às 18:14

Qual é a definição de liberdade para lucklucky? Já vi lucklucky defender escumalha xenófoba como Donald Trump, que é contra a imigração. Como é que lucklucky pode falar em liberdade quando se opõe a um dos direitos mais elementares, o direito à livre circulação de pessoas?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2018 às 17:50

Nunca percebi a obsessão da direita radical por Robles quando Robles não fez nada de ilegal (a dever explicações a alguém, seria ao seu antigo partido) enquanto na direita radical (bem como no PS) as ilegalidades são o prato do dia.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.11.2018 às 00:12

Quais são essas ilegalidades que o PNR tem praticado?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2018 às 18:16

Apologia do fascismo, difamação de opositores políticos, crimes contra a integridade física de pessoas... Por mim mandava-se essa escumalha toda para o Brasil já que gostam tanto do Bolsonaro e o líder deles até já viveu no Brasil e tudo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2018 às 18:25

Rui Rio, por favor deixa de ser trota tintas, estás a queimar a tua reputação, sei que te encontras desorientado, não gostas da aliança do PC e BE, estes são responsáveis pela melhoria das condições de pessoas que enriquecem o país, mas o teu partido e tú só quereis mais pobreza, mas enfim as coisas melhoraram e continuarão a melhorar, se António Costa não mudar de estratégia. Sei que andas a tentar aliança com ele e desfazendo o pacto patriótico entre o PCP e BE, o que espero que ele não vá na onda. Tem vergonha, sê sensato e patriota, caso contrário abandona a política e emigra, não fazes falta ao país,
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 18.11.2018 às 18:59

"...embora eu não perceba a que segmento do seu eleitorado se estão a dirigir. ..."

Uhhh, ao segmento jornalista para que não o chamem de fascista, neoliberal, xenófobo etc etc... esse é o maior medo de qualquer político em Portugal.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2018 às 19:52

O RR é um cêpo. O PSD, ao elegê-lo, manifestou-se um partido de cêpos. Estou na merda, não tenho em quem votar. LARANJA SEMPRE. Votar? Às vezes.
Imagem de perfil

De Sarin a 20.11.2018 às 11:26

"Laranja" é a cor do partido, não da "social-democracia".

Dizer-se "laranja sempre", e em maiúsculas, aparentemente significa que estará com o partido independentemente do rumo. Menos crítico, portanto, do que a eventualidade do voto deixaria adivinhar.

Era isto que queria dizer?

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D