Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A guerra irrelevante

por Diogo Noivo, em 27.07.16

ISISFrance_SITE.jpg

Comunicado no qual o auto-denominado Estado Islâmico assume a autoria do atentado na Normandia – imagem SITE intelligence group

 

A barbárie terrorista voltou a atacar França, desta vez numa igreja na Normandia. O acto vil e sanguinário foi reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico (EI), que em comunicado louvou os “soldados” responsáveis pelo atentado. Para o EI, estes terroristas não eram súbditos de Alá, não eram insurgentes, nem mártires. Ou talvez fossem tudo isto, mas eram sobretudo soldados.

Esta linguagem é, entre outros factores, um dos aspectos essenciais para demonstrar o quão errado é enquadrar o combate ao terrorismo nos moldes de uma guerra. Podemos combatê-lo com a alma e a determinação de guerreiros, mas falar em “guerra contra o terrorismo” não só é irrelevante do ponto de vista operacional, como oferece legitimação política às organizações que pretendemos eliminar. Hoje, como no passado, o terrorismo é um crime que pretende içar-se a um patamar de igualdade política com os Estados. Não lhe façamos esse favor.

Autoria e outros dados (tags, etc)


22 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 27.07.2016 às 11:04

A cegueira continua. Narcisos obsecados com as aparências.
Não percebem que em vez de destruirem a "legitimação" dos outros destroem a nossa.

http://geopolis.francetvinfo.fr/tunisie-daech-et-hitler-heros-de-lycees-de-jendouba-et-de-kairouan-59397

via O Insurgente.
Sem imagem de perfil

De tric.Lebanon a 27.07.2016 às 12:06

os seus amigos Judeus só fizeram porcaria na Europa!!
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 27.07.2016 às 14:31

Típico inculto do séc.XX, para começar sobre a História de Portugal. Olha sem Judeus a Europa vai acabar. São o Canário da Mina.

Teremos Migrações de Franceses, os de origem portuguesa vão começar a fugir de França e a regressar a Portugal.
Alemães também vão começar a fugir da Alemanha e a refugiar-se na Hungria e Republica Checa e Leste Europeu.
E não falo só por causa de terrorismo, falo do repugnante silêncio jornalista sobre o choque cultural, das ameaças e gansterismo Muçulmano.

Dentro de uma, duas décadas teremos países Europeus em posições muito diferentes na sua História, se assim for é óbvio que a União não tem pernas para andar.
Não deixa de ser irónico que tenham sido os tabus dos Unionistas um dos artífices da sua própria queda.
Sem imagem de perfil

De tric.Lebanon a 27.07.2016 às 17:33

"Típico inculto do séc.XX, para começar sobre a História de Portugal. Olha sem Judeus a Europa vai acabar. São o Canário da Mina."
,
o que os Judeus e os Meca estão a fazer à Civilização Católica-Ortodoxa no Libano...
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 27.07.2016 às 20:36

O heezbollah, a droga, o tráfico de pessoas destroí o Líbano e a culpa é dos Judeus. Típico.
Sem imagem de perfil

De tric.Lebanon a 27.07.2016 às 11:39

eu espero que Portugal convoque o Conselho de Guerra para discutir a ameaça Islâmica! este bla bla só da tempo aos Islamitas...
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 27.07.2016 às 11:54

As forças policiais francesas parece que concordam com o Estado Islâmico em que aqueles assassinos eram soldados. Foram tratados como se de soldados inimigos se tratara: foram abatidos sem fazer perguntas. Se tivessem sido tratados como simples assassinos, ter-se-ia tentado capturá-los sem os matar, o que não deveria ter sido difícil dado que eles só estavam armados com facas e dado que estavam encurralados num edifício (a igreja).
Em suma, a polícia francesa abandonou o normal modo policial e entrou em modo guerreiro: certos assassinos são tratados como soldados inimigos e abatidos sem que se tente sequer capturá-los.
Sem imagem de perfil

De xico a 27.07.2016 às 12:14

A mim parece-me que este atentado, sendo um crime hediondo, está cheio de conveniências. Desde logo a pressa com que se quis rotulá-lo. Resta saber para quem é conveniente. A morte dos assassinos só aumenta a conveniência.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 27.07.2016 às 12:24

A morte dos assassinos só aumenta a conveniência.

Exatamente. Os mortos não falam, portanto estes assassinos não poderão falar por eles, outros (o Estado francês e o Estado Islâmico) falam por eles.

Já assim foi, aliás, no morticínio em Nice. Segundo testemunhas oculares, o motorista do camião foi sumariamente abatido. Depois o camião foi cercado pela polícia e ninguém mais pôde ver nada do que lá havia. O motorista tinha armas ou não? Tentou defender-se ou não? Não se sabe. Só se sabe o que a polícia francesa diz, e isso pode ser verdade ou não ser.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 27.07.2016 às 20:32

Claro era deixar o terrorista continuar a guiar e matar mais gente. Espetáculo.

"O motorista tinha armas ou não?"

Não se informou mas está cheio de opiniões.
O terrorista disparou contra um civil que tentou subir ao camião e contra os polícias.

Estão cheios de opiniões mas nem fazem um minímo para se informar.

Sem imagem de perfil

De da Maia a 27.07.2016 às 14:30

Subscrevo!
O post e os comentários do Lavoura e Xico.
Sem imagem de perfil

De WW a 28.07.2016 às 09:29

Caro Da Maia pois eu não concordo, são os xicos e os lavouras desta vida que permitem que quem realmente quer praticar o mal o continue a fazer...

O EI e os "refugiados" são consequências diretas dos mesmos governantes que permitiram a invasão do Iraque, Líbia e que apoiaram com armas os supostos rebeldes sírios, aliás só a partir dessa altura os combates aumentaram assim como o êxodo dos "refugiados".

Foram estes mesmos governantes que semearam o caos na Líbia e nos venderam a ladainha que tínhamos de receber "refugiados" e agora aí estão as consequências do que eles planearam, caos, medo e desconfiança sendo que agora podem impor facilmente as mais variadas formas de controle sobre as populações, esse era e é o grande objectivo, tal como fizeram com as dividas dos países, 1º endividaram-nos e agora dizem que vivemos acima das nossas possibilidades...

Sem imagem de perfil

De da Maia a 28.07.2016 às 19:10

Certo WW, e onde é que uma coisa é incompatível com a outra?
Sem imagem de perfil

De WW a 28.07.2016 às 20:39

As pessoas que hoje defendem a ladaínha dos refugiados só estão a permitir que o "sistema" fique mais robusto e temos de lhes fazer ver que estão erradas.
Eu não sou indiferente ao sofrimento dos "refugiados" mas sei que o mesmo está a ser instrumentalizado pelo "sistema" para destruir o "nosso modo de vida"
Sem imagem de perfil

De IsabelPS a 27.07.2016 às 18:15

Les deux religieuses et la paroissienne sont sorties de l'église suivies par les deux terroristes, qui portaient des armes de poing et ont crié «Allah Akbar». Ils ont alors été «neutralisés par la BRI», assure François Molins.

«L'un des auteurs était porteur d'un faux engin explosif et trois couteaux. L'autre d'un minuteur de cuisine entouré de papier aluminum, et d'un sac à dos dans lequel a été trouvé un autre faux engin explosif», a décrit le procureur.

Figaro
Imagem de perfil

De Diogo Noivo a 27.07.2016 às 18:22

É verdade, Isabel. E?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.07.2016 às 18:31

Resposta ao Luís Lavoura, que disse:

"ter-se-ia tentado capturá-los sem os matar, o que não deveria ter sido difícil dado que eles só estavam armados com facas e dado que estavam encurralados num edifício (a igreja)."

Não estavam encurralados, tinham reféns com eles e, provavelmente era impossível saber que só tinham facas.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 27.07.2016 às 19:33

No tempo em que a sociedade não era dominada por uma cambada de panilas... na minha escola secundária, algum pessoal entretinha-se a simular bombas, porque isso correspondia a não haver aulas.
Hoje provavelmente isso justificaria a que fossem liminarmente abatidos pela polícia...

Naquele tempo, os professores inconscientes obrigavam-nos mesmo a ficar na sala de aulas, na presença daqueles perigosos dispositivos, feitos de rolos de cozinha e papel de alumínio.

E sim, naquele tempo havia terrorismo em Portugal, e havia bombas a explodir e a fazer vítimas.
Só que houve uma coisa mais importante... ninguém perdeu o bom senso por causa disso.
Sem imagem de perfil

De zazie a 27.07.2016 às 23:17

Deviam era ter sido deportados logo.

A gigantesca vergonha é terem terroristas identificados e identificados até pela Turquia e deixarem-nos à solta com pulseira electrónica.

Para "defesa do Estado de Direito" como disse o idiota do Hollande.

Não podem mudar as leis para defender os cidadãos porque o "Estado de Direito" não permite
Sem imagem de perfil

De zazie a 28.07.2016 às 00:01

Aqui, a grande vergonha

http://www.lefigaro.fr/actualite-france/2016/07/27/01016-20160727ARTFIG00300-terrorisme-les-nouveaux-defis-de-la-justice.php
Sem imagem de perfil

De zazie a 28.07.2016 às 00:04

Há um conceito romano para este tipo de crimes- sacer- Homo Sacer- o que é banido da comunidade humana.

https://en.wikipedia.org/wiki/Homo_sacer
Sem imagem de perfil

De zazie a 28.07.2016 às 00:13

É isto: «Pour un avocat comme Thibault de Montbrial, aux positions tranchées, «le terrorisme est l'addition salée d'un laxisme de plusieurs décennies en matière de petite et moyenne délinquance». Ce magistrat de terrain d'une grande juridiction parisienne s'insurge: «Les textes existent. Les perquisitions sont possibles, mais pourquoi ignorer les mosquées, les associations salafistes ou les écoles coraniques hors contrat? Nous faisons passer des individus en justice pour apologie du terrorisme avec des saisies numériques qui prouvent leur dangerosité, mais ils quittent les tribunaux avec du sursis. Des événements comme celui des Hautes-Alpes vont en droit commun plutôt que d'être qualifiés de terrorisme, pour ne pas effrayer la population.»»

Le Figaro

laxismo de leis em nome do humanismo da justiça. São tratados como casos de direito comum em vez de qualificados como terrorismo para não assustar a população.

Aquela gente da paróquia do padre degolado não sabia que tinha como vizinho um terrorista identificado, que tinha estado preso, deportado da Suiça e identificado pela Turquia com passaporte do irmão para ir para a Síria.

E matou "legalmente" no horário permitido para o passeio. A pulseira não tinha que apitar.

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D