Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A boca de Marcelo fugiu para a verdade

por Rui Rocha, em 04.03.17

Pode questionar-se o contexto e a oportunidade, mas por uma vez o Presidente Marcelo teve razão. O défice de 2016 não ficou de facto a dever-se a qualquer milagre, mas saiu efectivamente do pêlo dos portugueses. Saiu do pêlo dos portugueses que viram os serviços públicos degradarem-se pelo efeito das cativações. Saiu do pêlo dos portugueses e continuará a sair na medida em que a contracção dramática do investimento afecta o potencial futuro de crescimento da economia. Saiu do pêlo dos portugueses que sofreram com o aumento da carga fiscal global por via da subida dos impostos indirectos. Saiu e continuará a sair-lhes do pêlo na medida em que sendo um resultado em parte obtido por via de medidas que não resolvem os problemas estruturais da economia e, em alguns casos os agravam, acentuando as suas distorções, acaba por traduzir-se numa subida dos juros da dívida, condicionando o presente mas sobretudo o futuro dos portugueses. Na ânsia de responder a Teodora Cardoso e de proteger Costa uma vez mais, Marcelo fez o diagnóstico cru da realidade. Ao contrário do que diz o discurso oficial do governo, não se fechou de todo a página da austeridade. O pêlo dos portugueses pagou e continuará a pagar.


3 comentários

Sem imagem de perfil

De JS a 04.03.2017 às 17:37

Tudo bem RR. Só que, como bem sabe, não sai do pelo de todos os portugueses.
Há quem mantenha e até melhore, consistentemente, de pelo.
Sem imagem de perfil

De isa a 04.03.2017 às 20:46

Para alguns, ainda vai melhorar mais, por exemplo, no IMI, a avaliação das casas vai passar para as Câmaras Municipais e, não vi reação de nenhum Partido político (só me confirma que são todos farinha do mesmo saco).

Quem não perceber as implicações desta medida e como vão conseguindo distorcer a Constituição, já não bastavam as excepções, as alíneas "especiais", as Leis que vêm de fora que vão criando diferenciações entre portugueses, onde uns, têm direito a tudo (adquirido e garantido) e, outros a Nada que não seja pagar mas, Esta é Fenomenal, já estou a ver certas Mansões pagarem menos IMI que um Apartamento T0, dependendo da Câmaras, dos "conhecimentos" ou das cores partidárias.
Avaliação feita pelas Câmaras?
Não chegava a percentagem do imposto poder ser diferente?
Não são as mesmas regras nem premissas a nível nacional?
Como os gelados, com várias cores e paladares?
Mais uma vez, Só Podem Estar a Gozar com o Povo, especialmente, sabendo que nesta quintarola "amigos" não faltam.

Irra que, com tanta legislação a metro, nem no tempo da Ditadura e, curiosamente, com tanto simplex, tecnologia e alcatrão, o Número de Câmaras continua o mesmo que no tempo do Salazar, convém a quem?
Aos contribuintes?
Não é por nada mas, tanta Austeridade e nunca se reduziu o número de Câmaras porque, uma coisa era quando se demorava 15 horas a chegar a um sítio que hoje se faz em hora e meia. Não havia net, nem telemóveis, hoje temos em quantidade, smart phones e, algo bem pior, ainda mais espertalhões que, se acham muito importantes, por viverem toda a vida à conta dos contribuintes. Ainda têm o descaramento de dizer que "O Estado somos nós todos"... pois... e os políticos são funcionários públicos ou os donos disto tudo?
Se a Revolução de Abril foi para isto, leis e impostos que não são iguais para todos e uma autêntica máquina de criar tachos... podem remover do dicionário, Carácter, Ética, Responsabilidade e Moral.

Por aqui, já não falando nos privilégios, nem sequer as leis são iguais para todos, portanto, para não dizerem que a culpa é de quem não vota, que não vão por preguiça, blá, blá, blá e, nos Açores a 16 de Outubro de 2016 nas eleições regionais, a Abstenção foi de 59,1% e tudo continuou como se não houvesse problema nenhum, portanto, definitivamente, vou passar a ser um voto em Branco.
Se a abstenção, não os aquece nem arrefece, tenho uma certa curiosidade, sobre o que aconteceria se abstenção e nulos passassem todos a votos em Branco... provavelmente, o mesmo do costume, como em tudo o resto... NADA.
E sim, como diria um conhecido meu inglês, hoje, eu estou "with the olive oils"
Sem imagem de perfil

De JS a 22.03.2017 às 13:31

Isa tem toneladas de razão. O problema é os ditos "representates" políticos há 40 anos a representarem, o melhor possível, os seus interesses ....

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D