Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Diziam (4)

por Pedro Correia, em 23.02.14

Era um congresso "sem história", diziam. O PSD sai deste congresso com um cabeça de lista às europeias e um candidato presidencial. O novo ciclo político já começou.

Diziam (3)

por Pedro Correia, em 23.02.14

Era um congresso de ex-líderes "ausentes", diziam. Apareceram Balsemão (em vídeo), Machete, Menezes, Mendes, Santana e Marcelo. Vou conferir no dicionário o significado da palavra ausência.

Diziam (2)

por Pedro Correia, em 23.02.14

Era um congresso onde haveria pouco ou nada a declarar, diziam. Antes de fazerem elogios, aliás merecidos, aos discursos de Nuno Morais Sarmento, Paulo Rangel e Marcelo Rebelo de Sousa.

Diziam (1)

por Pedro Correia, em 23.02.14

Era um congresso "sem notícia", diziam. E no entanto gastaram horas e horas e horas de transmissão directa para noticiar a não-notícia.

Incontornável leitura

por Sérgio de Almeida Correia, em 16.02.14

"Moreover, many ministers from the current government acknowledged that, while revising the MoU, they specify existing measures, or even include new ones, with the specific purpose of decreasing opposition on policies that they favoured all along. In other words, ministers from the centre right used the intervention as a clear window of opportunity so as to induce a ‘paradigm policy shift’ towards their favourite neo-liberal stances."

 

"However, recent surveys asking voters about evaluations of the current MoU (after its seven revisions), and not about the original one, show that two years after the beginning of the enforcement of the MoU an overwhelming majority of the Portuguese (82.5%) defends either denunciation or renegotiation of the MoU.
This bailout, thus, have consequences for the democratic process. Even if it was originally not opposed by a majority of the Portuguese population, few of them might know (given the lack of transparency surrounding negotiations) how the bailout has been used by the government to pass reforms that it wanted all along. Moreover, the crisis and the intervention have divided the voters and their MPs to a large extent; and there is a huge mismatch of view between the rightist voters and their MPs on whether the government is allowed (or not) to renegate its former (2011) electoral commitments. This latter element is particularly worrying. A similar worrying picture (and the same huge mismatch between right-wing MPs and their voters) was found concerning the enforcement of the MoU and the increase in socioeconomic inequalities. Thus, even if some of the reforms taken in the last two years might be virtuous or necessary, the consequences of the bailout are not at all good news for the quality of democracy in Portugal."

 

As duas transcrições foram extraídas de um magnífico texto - Austerity Policy and Politics: The Case of Portugal - acabado de publicar na revista Pôle Sud, n.º 39, e os seus autores foram os Professores Catherine Moury (Universidade Nova) e André Freire (ISCTE-IUL, CIES-IUL). Constituindo o resultado de um extenso trabalho de investigação, em que para além de inquéritos, foram entrevistados quase três dezenas de membros do actual e do anterior governo, entre ministros-chave e membros "júnior", estou certo de que à medida que os anos forem passando e se for escrevendo a história, com os factos e os números que a maioria desconhece, vai haver muita gente a emudecer.

Na cama com Clooney

por Pedro Correia, em 13.02.14

 

Por estes dias, uma das maiores ameaças ao jornalismo é a sua aparente rendição total à frivolidade por efeito de contaminação das chamadas "redes sociais". Leio por exemplo que na conferência de imprensa concedida por George Clooney sábado passado, no Festival de Berlim, houve jornalistas credenciados que lhe fizeram perguntas inteligentíssimas como esta: "O que acha da cerveja e das mulheres belgas?"

Nada que deva espantar: já houve quem, munido de cartão de imprensa, se despisse perante o célebre astro de Hollywood. Já houve quem lhe propusesse casamento, quem gemesse de forma bem audível como se estivesse na cama com o actor e quem confessasse ter "sonhos húmidos" ao pensar nele.

Sem cumprir patamares mínimos de exigência e credibilidade, nenhum jornalismo é levado a sério. Passa a ser outra coisa qualquer, muito diferente. Chamam-lhe até infotainment, com esta mania agora tão comum de usar palavras americanas para designar tudo.

Depois admirem-se de que as pessoas fiquem à distância. Pois ainda bem que ficam. É um sinal evidente de bom critério. E de sanidade mental.

Também aqui

Sempre mais do mesmo

por Pedro Correia, em 11.02.14

Pluralismo? Qual pluralismo? Os canais televisivos portugueses especializados em informação contínua vão-se plagiando mutuamente, concedendo cada vez mais espaço e cada vez mais tempo a um só tema. O desporto. Melhor dizendo, a uma só modalidade desportiva. O futebol. Melhor dizendo, apenas a três clubes de futebol. Benfica, Porto e Sporting.

Tudo gira em função disto. Nada sabemos do que se passa no mundo vendo estes canais. Mas sabemos tudo - mesmo tudo - do que decorre em redor de três estádios de futebol. Haja ou não haja jogo.

Não adianta mudar de canal. Porque todos mostram o mesmo. Mais do mesmo, sempre mais do mesmo, sempre mais do mesmo.

 

Publicado também aqui

Coisas verdadeiramente importantes

por Pedro Correia, em 26.06.13

«Os animais também sentem os efeitos do calor.»

Há pouco, no Jornal da Tarde, da SIC

 

Vamos agora em directo

por José Navarro de Andrade, em 14.11.12

A intensa e dramática, por vezes eufórica, cobertura informativa da visita da sra. Merkel a Lisboa, apesar da qual continuamos por saber quase tudo a não ser o que não interessa, que o Pedro Correia descreve com o necessário e obsessivo pormenor, não sei porquê, recorda a série da BBC "Broken News".

Não creia o leitor que desconsidero a sua inteligência ao esclarecer que esta série é uma comédia, repito: comédia. É que depois de ontem, ou o humor inglês perdeu a piada, ou a seriedade portuguesa ficou igualzinha ao humor inglês (já disse que era uma comédia?).

Sempre em cima da actualidade e não menos em directo do que a concorrência, o Delito de Opinião, apresenta, em rigoroso exclusivo, um trecho de 10 minutos de "Broken News" - somos tão sérios como os outros.

 

Graças às artes mágicas do nosso príncipe-Sapo Pedro Neves, a partir de hoje podeão ser consultados todos os posts de cada autor do Delito clicando no respectivo nome, aqui na barra lateral. Para informação de contacto, clicar em "perfil".

O ex-actual parece que é bruxo

por Rui Rocha, em 25.01.12

 

De acordo com fontes bem informadas (não confirmo nem desminto que estas incluam o acesso a intelligence preparada pelas nossas secretas), Fernando Lima, ex-assessor e actual consultor de Cavaco Silva (não, ó ociosos e distraídos leitores, não escrevi censor pelo que se foi isso que leram tal se deve exclusivamente a um pré-juízo de que são Vexas. os únicos responsáveis não sendo justo imputar-me, como estão a tentar fazer neste preciso momento, qualquer intencionalidade de avaliação da conduta do dito ex-actual)  é o mais que provável vencedor do prémio anual para o desempenho absolutamente excepcional em matéria de dons divinatórios. A confirmar-se o teor da  fuga de informação (não arrancarão de mim nadinha que possa levar a concluir que esta me chegou por email), Fernando Lima sucederá a ilustres vencedores do galardão: Professor Bambo (2011), Professor Karamba (2010), Professor PorraParaIstoQueOSocasVaiGanharOutraVezAsEleições (2009) e Medina Carreira (2008). As referidas fontes asseguram que a atribuição do prémio estará relacionada com este extraordinário e premonitório pensamento da autoria de Lima:

"Uma informação não domesticada constitui uma ameaça

 com a qual nem sempre se sabe lidar."

Tivesse o ex-actual Lima dito, em devido tempo, umas palavrinhas que nos prevenissem sobre o Paco Bandeira e levava também o prémio de carreira.

A TVI e o rigor informativo

por Carlos Barbosa de Oliveira, em 09.08.09

A TVI fez a transmissão em directo dos jogos do Mundialito em futebol de praia. Hoje, durante o jogo decisivo, passaram o tempo todo a dizer que, para ser campeão, Portugal teria de vencer o jogo por 3 golos de diferença. O resultado final foi de 6-4 favorável a Portugal. A TVI declarou a Espanha como vencedora.

No areal os jogadores portugueses festejavam de forma eufórica, a TVI encerrou a transmissão de forma abrupta e eu fiquei a matutar nas razões dos festejos dos jogadores portugueses.
Acabo de ser informado pela RTP  que Portugal tinha sido o vencedor do torneio. Fui confirmar. Não há dúvidas, Portugal ganhou mesmo.
O mínimo que se pedia a quem fez a cobertura integral do torneio era que soubesse os regulamentos. Se este  rigor informativo da TVI se aplicar a algumas investigações que têm feito correr muita tinta, estamos conversados…
 

Convite

por Ana Vidal, em 02.05.09

A todos os leitores e amigos do Delito de Opinião:

 


 

A cerimónia de apresentação do Projecto MARES - OLHARES DA LÍNGUA PORTUGUESA terá lugar na

 

Sala do Arquivo da

Câmara Municipal de Lisboa (Paços do Concelho)

às 18h30 do dia 5 de Maio

 

e contará com a presença de várias individualidades ligadas à cultura e à língua portuguesa.

 

Depois das intervenções haverá uma actuação de Rão Kyao e dos seus músicos, seguida de um cocktail. A entrada é livre.

 

Nota: Para além das chancelas institucionais já anunciadas, o Projecto Mares - Olhares da Língua Portuguesa acaba de receber o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa.

 


O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D