Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Este blogue usa pontos de exclamação?

por Leonor Barros, em 28.07.09

A discussão foi animada nesta caixa de comentários. No Delito não somos tão extremistas como o Senhor Palomar no que respeita ao famigerado, incompreendido e a caminho de ser proscrito ponto de exclamação. O Senhor Palomar detesta pontos de exclamação, o José Mário Silva corrobora, o Francisco José Viegas propôs a criação de um banner e o Pedro Vieira desenhou. Se fosse por mim, e salvo algumas excepções como esta, o ponto de exclamação estaria à míngua, atirado para um armário recôndito, encafuado numa gaveta sem fundo. Triste fim. Cada vez lhe dou menos uso. Banimo-lo também?

 

 

ilustração: Pedro Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)


23 comentários

Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.07.2009 às 22:59

Nem pensar, Leonor. O ponto de exclamação (ou ponto de admiração) existe e tem uma função: indicar que exclamamos (ou que nos admiramos). Como foi o seu caso (e muito bem) no seu próprio exemplo aqui dado.
Sem ele, como é que eu escreveria uma interjeição? Jamé!
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:37

Pois, o problema são as interjeições... mas, além disso, não me faz falta nenhuma.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.07.2009 às 23:02

Sublinho: este blogue usa pontos de exclamação, sim!!!
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:35

Pronto. Nem se fala mais nisso... ;-)
Imagem de perfil

De André Couto a 28.07.2009 às 23:07

O ponto de exclamação é uma ferramenta preciosa para quem quer dar mais expressão à sua escrita, oscilando a intensidade dos períodos e dando mais dimensão a algumas expressões...
Como disse o João, no que me toca: Jamé!
Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.07.2009 às 23:17

Ainda por cima, abolir os pontos de exclamação seria renegar a animadíssima discussão (um 'post' e 63 comentários) que a Leonor muito bem lembra aqui.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:35

Aqui no Delito somos campeões em comentários, João :)
Sem imagem de perfil

De mdsol a 28.07.2009 às 23:19

Leonor

Oh pra mim que gosto deles.

:)))
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:38

Maria do Sol, nem diga nada: primeiro dobra o canto das páginas, agora gosta de ponto de exclamação????? ;-)
Sem imagem de perfil

De mdsol a 28.07.2009 às 23:56

Oh Leonor lamento desiludi-la! Não me queira mal por isso. Fraquezas humanas é o que é.

:)))
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 29.07.2009 às 00:20

Admito que não fiquei lá muito contente... brincadeirinha, claro, a Maria do Sol nunca me desilude :)
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:34

O Pedro é que me está a fazer muito falta agora. Onde andas, Pedro?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.07.2009 às 23:39

Ainda de ressaca da chatice do debate Costa-Lopes. Que maçada. Merecia alguns pontos de exclamação, mas não uso porque sou alérgico. O senhor Zola é que precisava de escreve «J'Accuse!» com exclamação, como se os leitores fossem surdos.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 28.07.2009 às 23:43

Não vi, não tenho paciência. Ainda bem qua chegaste, estava a sentir-me muito sozinha nesta causa.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.07.2009 às 23:48

Nem que nem meio que!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.07.2009 às 23:58

Dois pontos: sim.
Ponto de interrogaçao? Obviamente, sim.
Ponto e vírgula; inútil.
Reticências... só às vezes.
Exclamação! Desolado, mas não sou fã de Zola.

E há ainda o ponto de interrogação invertido, que só lembraria aos espanhóis, tão armados em machos e afinal... (cá estão as reticências)
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 29.07.2009 às 00:21

Subscrevo inteiramente.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 29.07.2009 às 00:53

O ponto de interrogação invertido (?) tem a sua história. Veio de Espanha (com os maus ventos) e casou com o português arcaico, com o qual viveu vários séculos até há umas décadas (até à ultima ou à penúltima actualização).
A função, para alguém que não o saiba (e peço desculpa aos outros), era indicar, numa frase que termina numa interrogação, em que lugar devia começar a pergunta ou a inflexão (quando lida em voz alta) da pergunta.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 29.07.2009 às 01:01

Pois, compadre. Creio, aliás, que ainda usámos esse sinal gráfico num passado não muito distante. Hoje é um anacronismo que mancha graficamente qualquer texto. Os jornais espanhóis, que leio diariamente, estão cheios desta poluição visual, a que até acho alguma graça. Por terem que ser eles a escrever assim - e não nós.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D