Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Justificar a repressão na China

por Pedro Correia, em 21.07.09

 

Numa rara confissão da brutalidade repressiva, como sublinha a BBC, o governador do Xinjiang reconhece que as "forças de segurança" chinesas mataram 12 uígures durante os violentos confrontos nas ruas da capital da China 'muçulmana', na semana passada. Segundo os registos oficiais, nesses confrontos ocorridos na maior província do país morreram 184 pessoas e pelo menos outras 1600 outras ficaram feridas. Nada que preocupe o Avante! "Os acontecimentos em Xinjiang têm sido apresentados nos meios de comunicação social dominantes como um massacre perpetrado pelas autoridades chinesas contra uma minoria local", relata, bem ao seu estilo, o órgão central do PCP. Mais papista, nesta matéria, que o 'Papa' chinês. Enquanto o próprio governador do Xinjiang admite que a polícia atirou a matar, para o jornal que diz representar a opinião dos comunistas portugueses a morte de 184 seres humanos - tenham a etnia que tiverem - constitui um "acontecimento". Fixem bem esta palavra e reparem até que ponto a 'solidariedade internacionalista' entre 'partidos irmãos' se sobrepõe, em certa mundividência comunista, ao próprio valor de uma vida humana.

 

Foto: ABC News


1 comentário

Imagem de perfil

De João Carvalho a 21.07.2009 às 17:56

Cada número novo do 'Avante!' é um "acontecimento". Velho. E 'déjà vu'.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D