Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Marinho Pinto

por Fernando Sousa, em 29.11.13

Goste-se ou não dele é um português que não se engasga: António Marinho Pinto. Não há muito disto. A última entrevista dele como bastonário foi hoje para o ar na Antena 1. Nos seus dois mandatos meteu muitas vezes o pé na argola, outras chamou os bois pelos nomes. Mas que deu vida à Ordem dos Advogados, isso parece-me que sim. 


23 comentários

Sem imagem de perfil

De Choroso a 29.11.2013 às 12:05

É pena que o grande Otelo Saraiva de Carvalho não seja advogado para lhe suceder.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 12:50

Compreendo-o. Mas infelizmente para todos OSC cometeu erros difíceis de aceitar.
Sem imagem de perfil

De Choroso a 29.11.2013 às 14:08

Então que fosse o grande Vasco Lourenço, mas também não é advogado. Já sei: o dr. Soares!
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 15:20

Não se canse, Choroso; com sorte terá logo o bastonário que prefere.
Imagem de perfil

De cristof a 29.11.2013 às 12:24

sem duvida aproximou os advogados dos simples cidadãos. Se isso é melhor para o negocio não sei(como não sei se a postura do papa chico de afastamento dos poderosos será bom para o negocio), mas que tornou popular a ordem isso posso dizer.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 13:02

Respondeu ao essencial, cristof: aproximou os advogados do comum dos cidadãos e tornou popular a ordem. Sobre se isso foi bom para o negócio, não sei.
Sem imagem de perfil

De IsabelPS a 29.11.2013 às 12:33

Pois eu às vezes preferia que ele se engasgasse: talvez parasse um bocadinho para pensar antes de falar :-)
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 13:04

Talvez, IsabelPS. Mas compensou os maus momentos com outros em que pensou, e bem.
Sem imagem de perfil

De Polittikus a 29.11.2013 às 12:51

Este bastonário junta a maluquice e coragem que tem à verdade e depois dá nisto. Ou seja um português "com eles no sitio".
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 13:09

Pois, Polittikus. A questão agora é se vai para o lugar dele um tipo sem maluquices, sem coragem e sem... o resto. Pelo que já ouvi dos candidatos não estou muito optimista.
Sem imagem de perfil

De Vasco a 29.11.2013 às 14:07

Quando se celebram publicamente criaturas com o modus operandi deste cavalheiro, que berra e insulta para inspirar temor mais do que apresenta provas claras e irrefutáveis das suas acusações, não se pode esperar que o País vá a lado algum. Isso de chamar os bois pelos nomes e tê-los no sítio pode ser muito interessante numa taberna, mas como discurso institucional não me parece que introduza mudanças significativas na vida pública — como aliás a realidade demonstra. Mais, a politização do discurso dos agentes jurídicos, a barufunda entre lei e política, o desrespeito pela separação de poderes tem neste senhor um ilustre representante. Deve ser essa bagunça que estão a celebrar aqui.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 15:17

Não ouvi muitas vezes o Marinho Pinto fazer acusações que não justificasse ou que não repetisse, Vasco. Que eu tivesse ouvido e visto deu sempre a cara. É evidente que o estilo dele, realmente pouco institucional, o assusta, mas a mim não. Mas eu compreendo-o: num país habituado às conspirações e aos discursos enfatuados, onde não se mostram as caras mas as gravatas, é claro que este homem tinha que incomodar.
Sem imagem de perfil

De teresinha a 29.11.2013 às 22:43

Onde ponho like, Fernando Sousa? Este comentário merece-o.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 30.11.2013 às 01:58

Já o pôs, Teresinha. Obrigado.
Sem imagem de perfil

De Maria a 29.11.2013 às 18:08

Pois, o que faltou, e falta, a este país foi, é, mesmo pessoas que falassem claro, sem se basearem em clichés e discursos vazios cheios de palavreado caro mas que não levam a lado nenhum, não dizem nada, não acrescentam saber nem coisa nenhuma. Aparece alguém que destoa da corja implantada e já é rotulado de desrespeitoso e afins. Não se pode falar sempre para agradar, há que mostrar os podres como eles são e, não é, concerteza, com palavras finas e caras que tal deve ser feito. Deixemo-nos de "polidos" desnecessários quando a situação assim o exige. A sociedade também é isso, não é só discursos pré-fabricados e "politicamente correctos". Desculpem o desabafo, mas cheia de tretas e balelas "vomitadas" diariamente por gente dita "polida" mas que é mais suja do que a pior sargeta, estou eu farta! Bem hajam pelo blog, gosto muito de o ler e ouvir...
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 29.11.2013 às 18:48

Disse tudo, Maria. Pelos parabéns ao DO, obrigado em nome de todos.
Sem imagem de perfil

De teresinha a 29.11.2013 às 22:45

Outro like para a Maria.
Sem imagem de perfil

De Vasco a 29.11.2013 às 23:52

Acho que não leu bem o meu comentário—eu não defendi o 'polimento' do discurso nem a perpetuação de "tretas e balelas" redondas que não levam a lado nenhum—jamais defenderia isso; o que eu disse foi que apesar de tanta "frontalidade" e não sei quê do gajo com eles no sítio e que sabe quem são e que mata e esfola e vai tudo à frente e não sei quê, está tudo na mesma OU PIOR. Fazer barulho aumenta a confusão, não a resolve. Acho eu. Beijinhos e abraços e votos de um fim-de-semana do caraças.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 30.11.2013 às 02:00

Bom fim-de-semana, Vasco.
Sem imagem de perfil

De Ana a 29.11.2013 às 22:15

Penso que se houvessem mais cidadãos como ele, tudo seria mais equilibrado. Quem não deve não teme e como ele não deve, não teme. Por vezes exaltava-se em excesso, mas dizia o que tinha a dizer sem temer nada nem ninguém, doesse a quem doesse. Tentou desmantelar a pouca vergonha que se passa nas sociedades de advogados, infelizmente não teve tempo para eliminá-las, nem a pouca vergonha dos advogados "deputados"que estão lá ao serviço daqueles que têm destruído o país.
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 30.11.2013 às 01:57

Se tivesse tido mais tempo, teria conseguido? Não sei, Ana.
Sem imagem de perfil

De Ana a 30.11.2013 às 13:28

Fernando também não sei, mas água mole em pedra dura tanto bate até que fura.......................
Imagem de perfil

De Fernando Sousa a 30.11.2013 às 13:43

A Elina Fraga, que ele apoiou, sucedeu-lhe; como também é dura de roer, ainda vamos ter, enfim, alguma Ordem.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D