Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Chefias

por José António Abreu, em 04.10.13

Sem ilusões de que o atraso seja de algum modo fashionable, ando a ver The Wire (vou na quinta e última série de episódios e, sim, trata-se provavavelmente da melhor série televisiva de todos os tempos*). No início da terceira temporada, a polícia não consegue obter resultados das escutas porque, para além de trocarem de telemóvel com regularidade, os traficantes de droga, em especial nos níveis médios e elevados da organização, são extremamente cuidadosos acerca do que dizem ao telefone. Numa tentativa de contornar o problema, a polícia arranja forma de prender uma chefia intermédia, na esperança de ver promovido ao seu posto um familiar de um tipo importante, com tendência para falar demais. Quando o plano é apresentado, um dos polícias pergunta: «Mas porque hão-de eles promover um incompetente?» A resposta é: «Porque não? Nós fazemo-lo todos os dias.»

O plano acaba por não dar certo porque os traficantes são afinal mais espertos do que a hierarquia da policia (ou das muitas outras organizações onde a cunha vence o mérito) e não promovem o idiota. Mas, para mim, este nem é o ponto mais curioso. O ponto mais curioso é eu contar isto à frente de chefias e elas esboçarem trejeitos de compreensão e rirem-se com um prazer que parece genuíno.

 

* O início do primeiro episódio, para quem nunca tiver visto (ou, tendo visto, quiser relembrar):


9 comentários

Imagem de perfil

De Ssssstress a 04.10.2013 às 17:59

Sem desmerecer esta que v. aceita ser a melhor série de sempre sublinho uma ideia que se me implantou na mente que é a seguinte: quase todas as série made in USA são boas histórias, muito bem interpretadas e de méritos roçando a excelência.
Os exemplos são variados e a prova é proliferação de EMMYs que anualmente são distribuidos.
O defeito é os "cámones" não saberem parar a tempo prolongando a "coisa" para lá do entendiamento (não tenho a certeza de que esta palavra exista). E também nesta caso os exemplos são variados.
Porque as situações se vão repetindo, e o cansaço de quem actua só é comparado com o cansaço de quem vê, quando assiste para além da 5ª.
Se tenho visto a série? Sim, porém não em contínuo para não enjoar.
Cumprimentos!

§-para que o meu nickname não lhe cause stress: são 7 ésses, 5 no início e 2 no final. Ajuda?
Imagem de perfil

De José António Abreu a 04.10.2013 às 18:36

ssssstress (obrigado pela dica):

Os emmys dizem-me relativamente pouco. Creio, aliás, que The Wire não ganhou um único. Concordo consigo quanto à tendência excessiva para 'fazer render o peixe' dos produtores e argumentistas das séries americanas. Mas há excepções e The Wire é claramente uma delas. As cinco temporadas (enfim, faltam-me seis episódios da última mas creio poder afirmá-lo já) são uma longa história que vai abordando questões específicas (a zona do porto e dos sindicatos na segunda, o sistema de educação na quarta, o declínio dos jornais na quinta, a política - mais em detalhe, porque está presente desde o início - a partir da terceira) mas mantém uma lógica e uma coerência quase inatacáveis. E é de tal forma complexa e pouco dada a levar o espectador pela mão que me surpreende esse propósito de a ver pausadamente. Fazendo demasiadas pausas, eu acho que teria perdido o fio à meada.
Imagem de perfil

De João Campos a 04.10.2013 às 21:20

Nunca vi "The Wire", ainda que esteja tentado há já alguns anos (idem para "The Sopranos"... sim. eu sei.). Mas agora meti-me em "The Newsroom", e está visto que só sairei de lá quando acabar o último episódio da segunda temporada. Entretanto regressa "Homeland" e "The Walking Dead"... e tenho o caldo entornado em frente à televisão.

(quanto a isso de as séries americanas se prolongarem demasiado, "Dexter" e "House" são exemplos perfeitos de excelentes séries que descarrilaram com estrondo. E "Dexter" já nem era do tempo dos vinte e tal episódios por temporada...)
Imagem de perfil

De José António Abreu a 05.10.2013 às 21:51

Eu também só vi uns quantos episódios de "The Sopranos", por alturas da primeira e segunda séries. Mas planeio dedicar-lhe um par de meses em breve. Ainda assim, por fabulosa que "The Sopranos" seja, a abrangência e realismo (mesmo incluindo uma ou duas personagens ligeiramente off) de "The Wire" são quase inacreditáveis.

"Newsroom" está em lista de espera. Assim como "The Walking Dead", de que só vi a primeira temporada completa, mais o primeiro episódio da segunda.
Imagem de perfil

De João Campos a 06.10.2013 às 00:04

"The Newsroom" apanhou-me mesmo. É uma série notável. Já "The Walking Dead"... gosto, mas tem os seus momentos. A banda desenhada é infinitamente superior.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 04.10.2013 às 22:35

Muito bem, JAA. Qualquer dia havemos de fazer aqui uma série colectiva sobre as nossas séries de TV preferidas. É capaz de ter piada.
(e obrigado pela surpresa)
Imagem de perfil

De José António Abreu a 05.10.2013 às 22:00

É uma ideia. Mas não sei se conseguirei escolher séries recentes, ainda que muitas sejam fenomenais, sem sentir estar a trair obras míticas como "The Twilight Zone", "Hitchcock Presents", ""The Avengers", "All In The Family", "Get Smart", "The Singing Detective" ou "Heimat".
Sem imagem de perfil

De Susana a 05.10.2013 às 13:45

"The Wire" é um verdadeiro tratado social.
Para descomprimir, aconselho um episódio de Shameless US entre cada dois de The Wire.
Imagem de perfil

De José António Abreu a 05.10.2013 às 22:12

Yep, e de que maneira. Quanto a Shameless, obrigado pelo conselho (seria uma táctica interessante) mas vi a primeira série de episódios há uns meses - William H. Macy e os olhos de Emmy Rossum (Fiona) são irresistíveis - e ainda não tenho a segunda.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D