Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Europeias (31)

por Pedro Correia, em 28.05.09

 

MPT: CURTO E GROSSO

 

Li o programa do MPT-Partido da Terra às eleições europeias.

 

Principais propostas:

- Transparência

- Um tratado europeu, curto e legível, com um máximo de 25 páginas

- Transparência

 

Comentário:

O programa do MPT parece-me demasiado opaco.


16 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos Dias Ferreira a 28.05.2009 às 10:20

Pedro:

Ou seja e em conclusão, pedem transparência e são opacos, portanto os extremos tocam-se.
Pelos vistos e para o MPT, os tratados, medem-se ás resmas ou páginas,penso que não é assim que a UE, consegue chegar aos objectivos traçados, mas eles lá sabem, com que linhas é que se cosem.
Por estes dias, de campanha eleitoral, já passados, de Europa e propostas concretas, vi muito pouco, reparei no entanto que o "vendedor de banha da cobra" ou "grande lider", como lhe queira chamar anda muito nervoso, dispara para tudo o que mexe, dá-me a entender que lhe cheira a esturro...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 15:23

Carlos, Digo que são opacos por terem um programa minimalista. Acabei por perceber quase nada do que propõem.
Sem imagem de perfil

De rms a 28.05.2009 às 10:58

Há dias ouvi uma entrevista com o PQG numa rádio. Segundo o próprio, o MPT não reconhece a existência de direita ou esquerda... mas considera-se um partido ao centro! Há cosias realmente fantásticas...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 15:24

Essa paga direitos de autor ao CDS de Freitas do Amaral, que se dizia 'rigorosamente ao centro'.
Sem imagem de perfil

De mdsol a 28.05.2009 às 18:02

Pedro Correia, nem imagina o que um amigo meu, em 1975, acrescentava a essa frase "rigorosamente ao centro" Eheheh

:))
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 23:26

Não consigo imaginar, Maria do Sol...
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 28.05.2009 às 11:21

O MPT é o segundo caso de um partido vítima de uma OPA (Operação Pública de Aquisição) em Portugal - o primeiro caso foi o partido renovador do general Ramalho Eanes, que foi objeto de uma OPA pela extrema-direita.

A OPA foi feita pelo movimento anti-europeu de origem irlandesa Libertas, que queria concorrer às eleições no maior número de países europeus possível, para poder formar um grupo parlamentar no Parlamento Europeu (o que requer deputados de pelo menos 7 países). O MPT, que há longos anos estava moribundo e cujos militantes estavam cansados e frustrados, deixou-se OPAr sem grande contestação.

A OPA é uma forma rápida e barata de formar um partido (para poder concorrer a eleições) em Portugal, sem ter de recorrrer ao moroso e cansativo processo de recolher 5.000 assinaturas e esperar pela legalização pelo Tribunal Constitucional.
Sem imagem de perfil

De Albano Lemos Pires a 28.05.2009 às 11:39

Opaco por propor um máximo de 25 páginas? Alguém sabe quantas páginas tem a Constituição americana?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 12:01

Acho que não entendeu o que escrevi.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.05.2009 às 11:59

Se escreverem o tratado europeu em MSWord, é só ajustar o tipo e tamanho da letra para não ultrapassar as 25 páginas. O que é fundamental para o futuro da Europa.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 12:02

Fundamentalíssimo.
Sem imagem de perfil

De Albano Lemos Pires a 28.05.2009 às 14:03

Vamos a ver então se entendem. Um tratado com duzentas e muitas páginas que a maioria dos cidadãos não vai ler (sejamos realistas - nem os deputados o lêm ) não pode nunca ser transparente. O que tem de bom a Constituição Americana é, entre outras coisas, isso, o ser curta e grossa como diz o Pedro. Assim pelo menos os cidadãos deixam de ter desculpa para a desconhecerem. Um tratado com 25 páginas (a corpo 12, espaço e meio) seria um documento "transparente" na medida em que permitia aos cidadão saberem do que estavam a discutir. É que faço já aqui uma pergunta: alguém leu o projecto de Constituição Europeu que antecedeu o dito "Tratado de Lisboa"? Eu li partes e confesso que não gostei do que li - é uma trama de regras confusas em que fica mesmo bem pouco explícito quem decide o quê. E isso não é transparente.
É difícil de entender?

Ouro assunto: a dita OPA. Bem, não confundam o que se passou com o PRD (de que fui fundador) com o acordo MPT /Libertas. O Pedro Quartim Graça é fundador do MPT , o Paulo Trancoso Presidente da Comissão Nacional) também, eu sou militante desde 1999 e mais importante ainda: Gonçalo Ribeiro Telles continua Presidente Honorário do MPT -Partido da Terra, um partido ecologista e nada anti-europeísta . Estamos contra uma Europa em que o único órgão eleito não tem poderes e o órgão que realmente governa (a Comissão Europeia) não é eleita mas "negociada". A nossa proposta de eleição directa da Comissão Europeia bem como do Presidente da CE é até bem mais "europeísta" do que o partidos ditos europeístas defendem ... ...mas como vivemos num país em que ninguém lê nada e toma as suas posições pelo que o "cacique" local ou nacional manda são naturais estas confusões.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 15:28

Albano, a ver se nos entendemos: tenho a maior consideração pessoal por Pedro Quartin Graça e uma admiração sem limites por Gonçalo Ribeiro Teles. Nada tenho contra textos programáticos curtos. A Constituição norte-americana é, de facto, um bom exemplo - e o actual projecto de Tratado de Lisboa é um péssimo exemplo. Vinte e cinco páginas, concordo, deve ser o limite máximo para um texto deste género. A minha perplexidade deve-se ao facto de não ter encontrado praticamente nenhuma proposta do MPT para estas europeias no 'site' do partido. Opaco, portanto. Nada a ver com OPA.
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 28.05.2009 às 21:10

isso era o quê? O resumo?
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 28.05.2009 às 21:52

Dois comentários para saudar o Pedro Correia, a quem retribuo a elevada estima pessoal e para comentar a afirmação surpreendente do Luis Lavoura dizendo-lhe apenas que OPA's só conheço as das empresas. Quanto ao MPT, hoje, como no passado, ninguém nos compra ou comprou. Fica-lhe mal dizer o que disse, ainda para mais sem qualquer tipo de provas. Quanto ao resto o meu colega Albano já disse o essencial.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.05.2009 às 22:17

É sempre gratificante ver políticos no activo, que se candidatam a cargos públicos, dialogar connosco nestas caixas de comentários. Foi o caso, uma vez mais, de Pedro Quartin Graça, o que basta para lhe deixar aqui uma palavra de apreço. A associação do MPT ao Libertas é tema que prefiro não comentar por agora. Mas nada tenho contra o Libertas, a força motriz do último referendo europeu na Irlanda. Tomáramos nós termos tido oportunidade de nos pronunciar sobre o Tratado de Lisboa, como os irlandeses fizeram.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D