Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Assistimos, na passada semana, a um triste espectáculo político em que Passos e Portas fizeram tudo errado. Do primeiro-ministro fica a ideia de uma total falta de capacidade de liderança. Essa é a conclusão que se pode tirar da carta de demissão de Gaspar. Isso é o que resulta de toda a trapalhada que veio a público a propósito da demissão de Portas. Que tipo de líder permitiria que uma situação desta natureza derrapasse para a opinião pública como sucedeu nesta crise? Já no que diz respeito a Portas, o que fica são as ruínas de toda a credibilidade que pudesse ter. A partir daqui, é praticamente impossível construir qualquer proposta política sobre uma reputação tão arruinada. Todavia, o jogo político tem particularidades verdadeiramente surpreendentes. Numa espécie de tacada às três tabelas, a verdade é que António José Seguro acaba por ser um dos mais prejudicados pela tempestade. Vejamos. Se  há coisa que ficou clara para os portugueses, é que a instabilidade política pode trazer consequências desastrosas. Bolsa a afundar, juros da dívida a dispararem e ameaça de descida dos respectivos ratings pelas agências de notação. Durante a crise, Seguro apostou na irreversibilidade da queda do governo e cavalgou estes sinais. Sabe-se agora que foi um tremendo tiro no pé. Se, como tudo indica, a situação política estabilizar nos próximos tempos, os mercados recuperarão, num claro sinal de que é preferível o mau conhecido do que o bom por conhecer. Neste contexto, com que cara continuará Seguro a forçar o cenário de eleições antecipadas, situação que trará evidentemente uma ameaça de instabilidade, até porque não é claro que do acto eleitoral resulte um cenário de clarificação? É óbvio que Passos Coelho e Portas serão duramente punidos em próximas eleições. Mas é também certo que a percepção generalizada é agora a de que é preferível que prolonguem tanto quanto possível o governo que detém o mandato para a actual legislatura. É neste contexto que Passos se assemelha cada vez mais a um Forrest Gump da política portuguesa. Sem qualidades que permitissem prever qualquer tipo de sucesso, lá vai andando. Quanto a Seguro, fica cada vez mais claro que é alguém a quem os portugueses só recorrerão por absoluta falta de alternativa e como solução de último recurso. Para quem esteve tão perto de chegar ao poder durante a passada semana, a lição política que fica pode ser resumida numa célebre frase do próprio Forrest Gump: a vida é uma caixa de bombons e nunca se sabe o que está lá dentro.


12 comentários

Sem imagem de perfil

De pvnam a 07.07.2013 às 00:51

Os PORTUGUESES-DO-PREGO » (leia-se, os portugueses que estão a colocar Portugal no prego) falam em despesa "não enquadrada" na riqueza produzida... e depois:
1- metem o país a fazer empréstimos… para pagar empréstimos;
2- vendem recursos estratégicos para a soberania... à alta-finança/capital-global;
3- após terem conduzido o país em direcção à bancarrota... começam a proclamar federalismo… (leia-se, implosão da soberania);
4- etc.
.
.
-> Não é com um partido nacionalista que Portugal vai conseguir SOBREVIVER!...
-> Para sobreviver Portugal precisa de um Movimento Nacionalista que 'corte' (SEPARATISMO-50-50) com os «portugueses-do-prego».
.
.
.
P.S.1
-> Andam por aí muitos 'nacionalistas' a mandar areia para cima dos olhos de OTÁRIOS… leia-se, adoram falar em 'fait-divers'… desviando as atenções daquilo que é essencial: uma ESTRATÉGIA DE LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA da Identidade!
{nota: uma NAÇÃO é uma comunidade duma mesma matriz racial onde existe partilha laços de sangue, com um património etno-cultural comum. Uma PÁTRIA é a realização de uma Nação num espaço}
.
.
P.S.2.
--- Nazismo não é o ser 'alto e louro'... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!...
--- Os nazis desmultiplicam-se na busca de pretextos... para negar o Direito à Sobrevivência de outros...... um exemplo: os nazis 'globalization-lovers'/(anti-sobrevivência de Identidades Autóctones) buscam pretextos... para negar o Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones.
--- Pelo contrário, os SEPARATISTAS-50-50 não têm um discurso de negação de Direito à sobrevivência de outros... os separatistas-50-50 apenas reivindicam o Direito à Sobrevivência da sua Identidade! (obs: os 'globalization-lovers' que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa)
{nota: há que mobilizar os nativos... que... possuem disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência}
{nota 2: os portugueses-do-prego não defendem uma estratégia de renovação demográfica (média de 2.1 filhos por mulher9… os portugueses-do-prego 'dão musica' a parvinhos-à-sérvia... vide Kosovo…}

.
.
P.S.3.
--- Existem mais de 1200 milhões de chineses, existem mais de 1200 milhões de indianos, etc, etc, etc… e… existem Nazis-Democráticos!
--- Os Nazis-Democráticos insistem em acossar/perseguir qualquer meia-dezena de milhões de autóctones que defenda a sobrevivência da sua Nação/Pátria… leia-se: os Nazis-Democráticos pretendem determinar/negar democraticamente o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA de outros…
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 07.07.2013 às 09:50

Aqui fica o seu manifesto.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 07.07.2013 às 00:52

Joe le Taxi
http://www.youtube.com/watch?v=g27uDHdZGQI
Vanessa Paradis

A confusão é tanta que o pessoal do Hotel já deixa o Táxi seguir sem Seguro.
Havendo acidente, não estão cobertos... as coisas começam a complicar-se, e o Jerónimo já está com medo que a criança lhe vá parar aos braços.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 07.07.2013 às 09:52

Sim, coitado. O Jerónimo ainda se desgraça.
Sem imagem de perfil

De Bento Norte a 07.07.2013 às 09:32

Portas aparentemente reforçado mas essencialmente amarrado. Agora não pode vir mais à porta da cozinha dizer que a ementa está a ser mal cozinhada. Equiparam-no com a varinha mágica, e com a mão na massa vai ter que fazer o tempero e provar sem sofismas do próprio veneno que tem andado a destilar.
"Se tiveres um leão por perto, em vez de o deixares andar por aí à solta mantém-no sob controle"
E obrigado Gaspar, fizeste o inevitável trabalho sujo que que nenhum porco limpinho irá rejeitar. Quanto a Seguro, subiu ao pedestal, desde a 1ª missa que lê o mesmo papel e nem se apercebe que continua a tropeçar no mesmo palavreado oco. Começou a estatelar-se ainda na penosa subida, não pegou a reboque, e não vai lá nem ao empurrão.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 07.07.2013 às 09:54

Exacto. Se Seguro não consegue ganhar embalagem nestas circunstâncias, caramba...
Sem imagem de perfil

De Hevel a 07.07.2013 às 10:02

Pois...não olhem para o que está a acontecer em Espanha, e depois, textos destes, tornam-se irrelevantes.
Sem imagem de perfil

De 10 badaladas a 07.07.2013 às 10:03

Como já foi tudo dito, e mais alguma coisa, direi modestamente que estranho um bocado que perante tudo isto não vá havendo notícia de motins nos partidos do chamado arco. Houve no PS aquele ameaço em que o Costa também se saíu pessimamente e, no CDS, uns vagos rumores, mas nada de batatada a sério, cisões, rasgar de cartões, etc. Uma sensaboria.
Sem imagem de perfil

De André Miguel a 07.07.2013 às 11:15

Seguro é o melhor seguro de Passos.
Sem imagem de perfil

De Miguel R a 07.07.2013 às 11:55

Este processo todo não terá esvaziado o efeito da provável vitória do PS nas autárquicas?

P.S. Diga-se que ainda não percebi como é que os media têm tanta certeza de tal, aliás as certezas dos media é coisa que muito me espanta, quem me dera a mim!
Sem imagem de perfil

De am a 07.07.2013 às 13:04

A Companhia de Seguros Ratos & Ratazanas, SARL ... encerrou temporariamente para obras de remodelação.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.07.2013 às 15:19

Há bastante tempo que sou defensor de eleições, consciente que o resultado destas é uma solução em que a austeridade tenha um sentido prático. Porém, após a desgraça de Sócrates/Teixeira dos Santos, surgiu a desgraça Passos/Gaspar que tudo fizeram para demonstrar que eram capaz de fazer pior. O resultado está à vista e não vale a pena bater mais nos cegos.
Contudo se há lago que esta merdita de crise, que finge ter abalado mercados que esperam sempre por pretextos para tentar sacar mais e mais, puta que os pariu, nos revelará é que o que Portas fez será de alguma forma útil para Portugal, e terá seus efeitos já na próxima conversa com os troikanos. A senhora Merkel, e até mesmo Hollande, cada um à sua maneira, ficaram com os tímbalos a tremer (vejam a moderação nas declarações), ainda que Barroso, como é habitual, lá tenha vindo com a conversa da treta para ver se assusta.
Os mercados nacionais e internacionais estão por demais na nossa mão (mais de 200 mil milhões é obra) para conseguirem levar a deles avante. A dívida jamais será paga no seu montante, quem tem títulos da dívida portuguesa vai ter que se contentar em perder, e o BCE ou baixa juros ou vai com os cães também. Eu sei que isto é uma dor de cabeça para eles, mas que seja para eles a partir de agora.

A histeria nacional em torno desta pseudo-crise nada mais é que a manipulação destes outros para ver se tentam continuar com o modelo até aqui adoptado.
Agora andam todos preocupados com o que se perdeu em bolsa, mas ninguém se preocupa com o que se perde nos bolsos dos portugueses. Se há hipocrisia extrema é esta a que se assiste em torno desta merda.

Felizmente que dizem que agora temos um governo sólido, significa isto que passaremos de um estado líquido para outro ilíquido, ou seja, para uma cagada.
Haja solidez, porra!!

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D