Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Já foi diferente

por João Carvalho, em 25.05.09

Ilegais entre 55 a 75 mil – escreve aqui uma jornalista do Público. É incompreensível, mas esta falta de concordância das preposições tem-se vulgarizado e estendido largamente às próprias televisões.

Se puder ser útil a alguém, aqui lembro como deve ser:

–  entre X e Y;

–  de X a Y;

–  desde X até Y.

Já agora, a talhe de foice, a jornalista do Público comete (ou permitiu que a sua fonte o cometesse sem pedir esclarecimento) um pecado mortal ao escrever que o número de imigrantes ilegais em Portugal se situa entre 55 e 75 mil: dizer entre 55 e 75 mil não é bem a mesma coisa que dizer entre 55 mil e 75 mil.

Não entendo por que motivo os jornalistas mais velhos deixaram de ajudar os mais novos. Poderá não haver pachorra para ensinar coisas básicas a jovens licenciados, mas o clima nas Redacções já foi bem diferente.


18 comentários

Imagem de perfil

De Cristina Ferreira de Almeida a 25.05.2009 às 23:14

Talvez porque os maus novos já sabem tudo. Ou então sou eu que estou com mau feitio.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 25.05.2009 às 23:22

Não há «maus» novos. Há bons e maus de todas as idades. Hehehe...
Imagem de perfil

De Cristina Ferreira de Almeida a 25.05.2009 às 23:24

Desculpem, queria dizer "mais novos".
Imagem de perfil

De João Carvalho a 25.05.2009 às 23:36

Repito: hehehe...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.05.2009 às 23:44

Estes erros estão de facto a generalizar-se. Sobretudo o das quantidades: "entre 55 e 75 mil". Como bem sublinhas, o correcto é escrever-se ou afirmar-se "entre 55 mil e 75 mil". Mas, como sabemos, os portugueses não costumam ser bons a matemática. O resultado está à vista: confunde-se facilmente dezenas com dezenas de milhar.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 03:47

É, deve ser o eterno problema da matemática.
Sem imagem de perfil

De mdsol a 26.05.2009 às 00:24

Entre 20. 000 e 74.945 ...
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 03:47

Muito bem. Linda menina.
Sem imagem de perfil

De mdsol a 26.05.2009 às 10:52

Muito obrigada pelo "feed back" positivo ao comentário digno de qualquer preposição excepto contra.

:))
Sem imagem de perfil

De Virgínia a 26.05.2009 às 09:58

Olá João,
Sempre em cima do acontecimento!
Nos Jornais aparecem verdadeiras pérolas, mas também nas legendas dos filmes passados nas TVs temos traduções de bradar aos céus!
Obrigada pela lição de bom Portugês.
Um abraço (desde aqui até aí).
Sem imagem de perfil

De Virgínia a 26.05.2009 às 10:26

Peço desculpa e rectifico " Português".
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 11:20

Não precisa de pedir desculpa: uma gralha é sempre e só uma gralha.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 11:18

Abraços, Virgínia.
Sem imagem de perfil

De Ana Cristina Leonardo a 26.05.2009 às 10:01

joão carvalho, talvez porque já não há jornalistas mais velhos... Será?
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 11:19

Deve ser. Passam todos a comentadores e opinadores.
Sem imagem de perfil

De Ana Cristina Leonardo a 26.05.2009 às 12:33

esqueces os que foram para a "reforma compulsiva"... conheço vários.
mas quanto ao entre "55 e 75 mil" não creio que o problema seja a matemática. acho que é mais um caso de mau português: para não repetir a palavra "mil" (porque é feio repetir palavras - diz qualquer manual de ideias feitas), suprimiu-se o primeiro. isto é a prova que sem português nem a matemática se aguenta
Imagem de perfil

De João Carvalho a 26.05.2009 às 13:06

Certo. O problema da matemática foi uma ironia do Pedro, como deves ter reparado acima.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 26.05.2009 às 18:13

O pior da notícia nem é sermos informados que os ilegais serão «aproximadamente 74945». O pior, é mesmo ficarmos a saber que "representam seis por cento do PIB e garantiram 9,7 por cento dos bebés".
Duas más notícias numa só, portanto, especialmente para o nosso PR que há algum tempo perguntava porque nasciam tão poucas crianças em Portugal. Aqui está a resposta!...

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D