Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Podia ser melhor?

por Patrícia Reis, em 05.04.13

Tenham paciência para o meu relato.

Na sexta feira, dia 15 de Março, no retail park de Coina, comprei um telemóvel Iphone 5.

Tudo bem. Como era uma oferta, no dia seguinte dirige-me à mesma loja, representante da Vodafone (GELSOM), onde me foi dito que não tinham de 32 gigs, eu tinha comprado de 16 estupidamente. A menina, muito diligente e simpática, fez várias coisas: ligou para a vendedora do dia anterior, ligou para a loja de Alfragide e, por fim, na loja do Jumbo de Setúbal disseram-lhe que tinham um de 32 gigas. A menina, à minha frente, pediu para reservarem em meu nome, dizendo que eu ia a caminho e que tinha adquirido um de 16 gigas e queria trocar pelo de 32. Quando cheguei a Setúbal, não sei quantos kms depois, a responsável da loja fez três coisas impensáveis, especialmente para uma pessoa como eu que tem uma empresa (todos têm nrs vodafone, todos deixarão de ter): disse que não trocavam aparelhos iphone e que eu já deveria saber disso - ninguém mo disse e, sendo uma oferta, se tivessem dito não teria comprado ali, teria ido a outro sítio -, que a menina do retail Park tinha ligado mas não mencionara que era uma troca (portanto, acabou de me chamar mentirosa, eu assisti ao telefonema e a menina do Retail Park, se é uma política da loja, estava largada na loja Vodafone, sozinha, sem saber a política da casa, tal como a vendedora do dia anterior), por fim a responsável da loja atirou com o livro de reclamações para o balcão e, da forma mais cobarde e arrogante de todos os tempos, recolheu ao interior da loja, tendo-me deixado com outra empregada que, coitada, foi pedindo desculpa e desculpa. Eu trouxe o telemóvel de volta, imaculado, sem estar aberto e encontrarei uma solução, no entanto há uma coisa que quero deixar bem claro: as inúmeras situações deste calibre com a Vodafone só me levam a tomar uma atitude: mudar de operador, eu e os meus empregados todos. Não acho normal que os representantes da Vodafone tenham este tipo de atitude e quem quer ter um emprego, mas não sabe estar atrás de um balcão, deverá ir procurar um outro tipo de trabalho. Tenho uma empresa há 16 anos, quase 17, nunca tratei um cliente como fui tratada ontem e lamento profundamente que tal tenha acontecido, mas não me surpreende, por já nada me surpreender. A Vodafone não me responde. A representante da marca em Coina, depois de ter lá ido um representante meu com um representante da GNR, apesar da lei obrigar à devolução do aparelho, se estiver imaculado – como está – recusou-se a tal. Compreende-se? Não.


18 comentários

Imagem de perfil

De Laura Ramos a 05.04.2013 às 22:20

Bem vinda, Patrícia...
Ao fim de 12 anos de fidelidade à VDF, e cansada de pagar verdadeiros balúrdios por mês (na verdade, inconfessáveis), acabei de fazer a portabilidade para a Meo 4 O. E comigo, no mesmo pacote, uma filinha de mais 3 utizadores associados (portanto, ou a coisa corre bem, ou é um suicídio colectivo...)
Wish me luck ;)
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 06.04.2013 às 13:37

:) vou saber como é! obrigada! beijos, Laura, bom fim-de-semana
Sem imagem de perfil

De William Wallace a 05.04.2013 às 22:30

Penso que existe um prazo durante o qual se podem devolver artigos (15 dias penso eu) caso estejam como vendidos na embalagem original , portanto a loja teria de aceitar a troca.
Penso que a Vodafone vai gentilmente declinar qualquer responsabilidade alegando ser culpa do agente da marca.

"as inúmeras situações deste calibre com a Vodafone"

Deveria ter trocado de operador logo á terceira , se me permite e outra coisa pessoalmente iria para a TMN e Samsung porque na 1ª poderá eventualmente conjugar muito mais serviços (menores custos) e na segunda não terá problemas de assistência ou de compatibilidade de plataformas ( digamos que a Samsung é mais user friendly ) .
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 06.04.2013 às 13:38

Obrigada, William, são boas sugestões. Os pacotes de fidelização nas empresas são caninos:( bom fim-de-semana
Imagem de perfil

De Gui Abreu de Lima a 05.04.2013 às 22:47

Que raiva. Cansar o cão. É o que fazem.
Deco!
Sem imagem de perfil

De Pedro Almeida a 05.04.2013 às 23:12

Os seus empregados são obrigados a usar o operador que a senhora quer?
Ou eu percebi mal e os telemoveis que eles usam são da empresa e não pessoais?
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 06.04.2013 às 13:38

Percebeu mal, são oferecidos pela empresa e pagos pela empresa. Ninguém é obrigada a ter só aquele e há quem tenha outros, pessoais. Bom fim-de-semana
Imagem de perfil

De Helena Sacadura Cabral a 06.04.2013 às 00:06

A minha má impressão da empresa já vem do tempo Telecel. Confirmei-a posteriormente como Vodafone.
Além do que fizeste, eu faria ainda uma carta com aviso de recepção para o Presidente do Conselho de Administração. E insistiria.
E assim vão os nossos "serviços"...
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 06.04.2013 às 13:40

Querida, como tu bem sabes, uma carta não é um problema, faço com facilidade, mas a questão - agora para nos rirmos - é saber se o trato na segunda pessoa do singular como a Vodafone insiste em tratar os seus clientes ou se simplesmente o trato com a formalidade conveniente:) beijos e bom fim-de-semana
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 06.04.2013 às 20:24

Faça uma carta é para cima. Isto é para o estrangeiro, a empresa mãe.
Sem imagem de perfil

De Fernando a 06.04.2013 às 11:31

Certamente seria diferente se tivesse escolhido outra marca de telefone e acontecia-lhe o mesmo se fosse nos outros.
Ainda não vi escrito que se trocam iPhones.
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 06.04.2013 às 13:35

Nota: os meus empregados têm o telefone da empresa, pago pela empresa, pacote que considerámos melhor na altura. A lei diz que se pode trocar em 15 dias, a representante da Vodafone - Gelsom - recusou-se, mesmo com a chamada da GNR que, não quis aplicar a lei. As reclamações feitas para a Vodafone não surtiram qualquer efeito, apenas um email a dizer que somos o processo 21 mil e qualquer coisa. Até agora. E, já agora, se se vende um determinado produto, seja o que for, que não é passível de ser trocado, pois terá de estar bem expresso algures no ponto de venda e na forma como a comunicação é feita entre empregado e comprador. O facto de ter optado por esta marca e este modelo prende-se com razões pessoais e não tenho de as justificar, tendo à partida escrito no meu relato infinito de frustração que era uma oferta (logo, em vez de algumas almas ficarem a pensar que ando a rebolar em dinheiro para comprar Iphones 5, por favor, pensem lá que às vezes uma prenda é comprada com muitas contribuições, pode ser?) Escrevo isto em resposta aos comentários que surgiram, que acabarão por aparecer aqui. Agradeço a Vossa solidariedade, o meu relato é de frustração, como dito, e adiantará pouco, já sei. É Portugal. Um bom fim-de-semana. Beijo
Imagem de perfil

De José António Abreu a 06.04.2013 às 14:24

Não tenho experiência nem com a Vodafone nem a com a Apple. Mas a sobranceria da última já é lendária. Enquanto os clientes até fizerem fila para conseguirem o 'privilégio' de lhe comprar os produtos...

(Não foi o teu caso, eu sei.)
Sem imagem de perfil

De zedeportugal a 06.04.2013 às 16:30

A vodafone PT está a trilhar alegremente o caminho 'tuguês das ilegalidades. Eu seguiria o conselho da Helena e enviaria uma carta registada à administração. Claro que vão dar-se mal, muito mal, a longo prazo; mas, entretanto no curto prazo a coisa parece-lhes ir dando resultado, nesta quase república das (ou dos?) bananas. A minha sugestão é que se tem facebook publique lá também o que aqui publicou. Sempre chegará a mais gente e poderá causar mais mossa...
http://umjardimnodeserto.wordpress.com/2013/01/31/publicidade-enganosa-da-vodafone/
Sem imagem de perfil

De joão melo a 06.04.2013 às 16:36

nunca se deve comprar coisas numa terra chamada coina...nem uma pastilha

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D