Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se é para dizer aos alemães que trabalhamos mais horas que eles, dou graças por não ter sido autorizado o filme/video/clip na Praça Sony em Berlim. Chega de ridículo.

 

Editado: o filme pode ser visto aqui.


33 comentários

Imagem de perfil

De José Navarro de Andrade a 11.11.2012 às 02:31

Mas já alguém viu o video? Ou é só mais uma vichyssoise do grand guignol?
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 10:27

Já o procurei no Youtube mas não encontro. Esta história parece-me demasiado estapafúrdia. Que se use um episódio para afirmar 'a Alemanha' e os 'alemães' é um abuso e uma maneira triste de estimular animosidade contra um povo no seu todo. E acho piada, logo na Praça Sony, é que não fazem a coisa por menos.
Imagem de perfil

De monge silésio a 11.11.2012 às 09:51

1.- Lembram-se do video sobre a Finlândia? Lembram-se do tiranete local de Cascais a encabeçar essa coisa? Lembram-se do "lixo" enviado à Moody´s? E agora que a realidade é mais assente que dizem disso?

2.- Ridículo? Seja. Mas há mais. Esta gente em Portugal pactua com a ignorância maioritária e reinante, segue uma élite que, sendo a mesma , nos conduziu a pedir de-mão-estendida.

3.- Agora, ... tentem lembrar-se de uma certa gente que há uns dez ou quinze anos dizia que não produzimos para o que gastamos, o que é o mesmo que dizer, não produzimos para mais "políticas de"(os juristas chamam direitos...)

4.- Ora, esta gente vota. Esta grande maioria popularucha vota, e pôs os destinos do País em quem via nos desejosos eleitores dever de gastar mesmo com o dinheiro dos eleitores alemães ou franceses.

5.- O bom politico é Portugal é coisa rara. Se observar a longo prazo não é eleito, se praticar o médio prazo é vaiado (pelos apostadores "o céu é o limite" ou como os putos "quero mais"), e praticar o curto prazo com pipocas para todos, rotunda para os locais, lanchonete para os empreiteiros, direitos para todos denominados de desenvolvimento xuxial ou "coisinhas" é o maior da História porque trabalhou em favor do Povo, fez obra. O bobo da Madeira não é, no tempo, melhor ou pior que os do Continente. Os do continente têm só mais côr (ora o zé, ora o aníbal, ora o antónio).

6.- O ridículo existe. Chamava-se provincianismo. Palavra esquecida atento o ascendente desenvolvimento económico das populações, ficamos ricos mudamos ...palavras. Esse ridículo vem da vigente ignorância nas coisas básicas da vida (como saber fazer contas, a estrutura básica do Estado, a origem e o fim do imposto, liberalismo/socialismo etc.), ignorância que hoje se chama educação, porque se perdeu a noção de ...instrução pública.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 10:56

Fez muito bem em desabafar, contudo, o que aqui está em causa é um episódio lamentável e uma notícia desastrada. Alguém encartou estes senhores para representar Portugal? Eu não me quero ver representada por um video que não vi nem quero ver o meu país exposto ao ridículo. Os alemães não vão lá com fado e lamúrias, isto partindo do princípio que o filme chegaria aos alemães ao ser passado no Sony Center, o que é muito duvidoso. Berlim não é a Alemanha e o Sony Center não é o centro do mundo. E não entendo o modo de divulgação. Pensarão eles que a Praça Sony é um transmissor para o mundo? Poupem-nos. Gostava de ter algumas respostas que faltam na notícia e que este triste episódio não fosse usado como uma pedra de arremesso contra os alemães no seu todo.
Sem imagem de perfil

De Vasco a 11.11.2012 às 11:17

"Os alemães não vão lá com fado e lamúrias". Nem mais. Esta malta aqui (Os Moita de Deus cá da paróquia) é que ainda não percebeu que há povos que não se deixam governar por corregedores (os profs. Marcelos) tirados dos livrinhos de Júlio Dinis.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.11.2012 às 18:46

Vai tudo muito bem esgalhado, frade. Como é que anda a missa aí pelas ilhas? O Espírito Santo já derramou mais cores para atrair turistas? Cá para mim o contenente não se safaria sem o anti-ciclone dos Açores; ia tudo pelos ares não o fosse o "anti-desgraças" aí localizado.
Viva a Madeira, Viva os Açores, Viva o queijo da Ilha e as vaquinhas leiteiras; Viva a Manteiga dos Açores e o Alberto João na Madeira :-); Viva eu e o Povo Português e despeça-se quem nos conduz à morte.
Já agora, frade. Olhe que eu fiquei com a sensação que o opositor do Jardim é a "mulher de transição". E também fiquei cá com a ideia que o CDS/Madeira quer dar uma voltita com ela. Será que o frade pode fazer umas orações para evitar o adultério?
Sem imagem de perfil

De Vasco a 11.11.2012 às 11:03

Eu só gostava que esta gente (os milhares de profs. Marcelos que andam por aí) parasse de nos cobrir de ridículo.
Sem imagem de perfil

De Cristina Torrão a 11.11.2012 às 11:16

Essa mania dos vídeos... Já com a Finlândia foi a mesma coisa, vai-se logo mostrar-lhes que somos boas pessoas, muito trabalhadoras e simpáticas, amigas do seu amigo. E que tal vermos nós vídeos dos outros países? Talvez assim desaparecesse tanta ignorância sobre os alemães, como a que tenho lido nos últimos tempos, a propósito da visita da Merkel.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 11:20

A imagem dos alemães parou no tempo aqui em Portugal. Acho vergonhoso por parte do Expresso a redacção daquela notícia, as generalizações e subliminarmente o preconceito.
Sem imagem de perfil

De Helena a 11.11.2012 às 12:16

Só posso dizer que quando li a notícia do Expresso fiquei furiosa com o título, mas senti uma certa Schadenfreude com o conteúdo da mesma. Chega de ridículo.

E não seu onde vão buscar a ideia que os alemães tem uma má ideia acerca dos portugueses. Eles não tem ideia porque Portugal não existe para os media alemães. Ontem passei a tarde ao telefone com jornais e rádios de Berlim para obter uma reacção ao episódio do filme e a resposta foi unânime: que filme? Depois de eu esclarecer responderam-me francamente : isso não e notícia para nós.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:12

Schadenfreude é o máximo. É umas das palavras para a qual não temos equivalente em português e que daria muito jeito às vezes.

Pode não existir para os media mas existe para os alemães quando se lhes fala que têm de pagar os nossos devaneios, mas seja como for, temos a mania de que somos maiores do que o somos. Já fomos na altura das Descobertas e isso já passou há muito.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 11.11.2012 às 13:16

Não vi o filme, mas acho que nem preciso de vê-lo para concordar contigo: estes arroubos de nacionalismo provinciano só servem para nos menorizar e criar antagonismos inúteis com um povo que não tem culpa nenhuma da nossa situação. Além de que são profundamente ridículos, como dizes.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:06

Ridículos mesmo. Mas eles acham que os alemães se enchem de pena dos portugueses trabalhadores e honestos?
Imagem de perfil

De João Campos a 11.11.2012 às 13:29

Subscrevo, Leonor. Se o vídeo é do mesmo género - e do mesmo mau gosto - daquele da Finlândia, então ainda bem que os alemães têm juízo.

(quanto ao método de difusão, o Prof. Marcelo nunca ouviu falar do YouTube? É que é melhor do que dez Praças Sony juntas)
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:08

A Praça Sony é mais chique. Afinal um filme tão bom que ainda ninguém viu e que os alemães aparentemente censuraram não pedia menos. A seguir é a Berlinale.
Imagem de perfil

De João Campos a 11.11.2012 às 17:34

Para ver a figura de urso do Prof. Marcelo premiada?
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 18:11

Tadinhos dos Ursos, tão simpáticos :)
Sem imagem de perfil

De Alexandre Carvalho da Silveira a 11.11.2012 às 14:01

Espero que o video que ninguem viu, para além do rol das nossas qualidades, como pessoas, como trabalhadores, como emprendedores etc e tal, explique também aos alemães porque é que tivemos de lhes bater à porta de mão estendida. Para eles perceberem mesmo bem quem é que nós somos!
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:09

E acha que isso lhes interessa verdadeiramente?
Sem imagem de perfil

De AEfetivamente a 11.11.2012 às 14:29

Excelente comentário,o da Ana Vidal. E o mesmo acerca dos teus, Leonor. Anda tudo doido.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:09

Completamente. Graças aos deuses que os alemães têm juízo
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 11.11.2012 às 16:45

Acabei de ver o filme e estou sem palavras. É como se fosse um sketch do gato fedorento, mas sem graça. Felizmente que alguém teve o bom senso de não deixar aquilo passar em público, é de uma saloice confrangedora.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 16:58

Já está o link no post, Ana. Enfim, sem palavras. Mas quem é que eles acham que vão convencer de quê?
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 11.11.2012 às 17:30

Transcrevo um comentário sobre o filmeco que acabei de ler noutro sítio, e que naturalmente subscrevo: "Com tanto índice igual e melhor que a Alemanha, não se percebe como apresentamos estes tristes resultados. O auto-atestado de incompetência é colossal."
Imagem de perfil

De João Campos a 11.11.2012 às 17:54

Eu acabo de ver o vídeo e estou sem palavras. Pensava que não era possível descer mais baixo do que aquele filmeco para a Finlândia, mas afinal...
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 18:12

Muito mau mesmo. Eu tinha razão quando agradecia aos deuses não nos fazerem passar mais esta vergonha.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 11.11.2012 às 18:16

Este é muito pior, João. Estão lá todos os estereótipos do tuga saloio e chico-esperto, como se ainda fossemos todos Marias de bigode e Manéis de nariz avinhado. E tudo isto assinado por Marcelo Rebelo de Sousa, uma pessoa que tenho por civilizada e inteligente? Não percebo, juro.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 18:20

Além dos estereótipos, Ana, a mensagem de que os alemães lucram connosco é absurda, como se tivessem culpa do nossos esbanjamento de recursos.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.11.2012 às 18:23

Claro. Logo ontem quando li a notícia percebi que ia dar nisto.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D