Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Para mais tarde recordar

por Pedro Correia, em 05.10.12

«Levamos com o maior aumento de impostos de sempre.»

 

«Isto é uma espécie de assalto à mão armada aos contribuintes.»

 

«Isto é para matar a classe média.»

 

«Mais impostos vão gerar mais recessão e mais desemprego.»

 

«Isto o que vai dar é mais economia paralela, mais fuga aos impostos.»

 

«Mais uma falha nas previsões e nas metas, e a credibilidade do ministro das Finanças é completamente destruída.»

 

«Tem que haver equilíbrio, moderação e bom senso.»

 

Marques Mendes, ontem, na TVI24.


5 comentários

Imagem de perfil

De Mário Pereira a 05.10.2012 às 22:23

Contrariamente ao habitual, desta vez concordo com quase tudo o que disse o Marques Mendes.
Menos com a penúltima frase: a credibilidade do ministro das Finanças JÁ ESTÁ completamente destruída...
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 06.10.2012 às 00:48

«Tem que haver equilíbrio, moderação e bom senso.»

Verdade? então como esteve de acordo com o Estado a bater records e a dominar cada vez mais a economia?
Records são por definição algo Extremo.
Sem imagem de perfil

De Pedro Barbosa Pinto a 06.10.2012 às 08:35

Ganda Nóia!
Sem imagem de perfil

De JLB a 06.10.2012 às 23:39

"Eduardo Catroga disse hoje, em entrevista à TSF e ao DN/Dinheiro Vivo, que o Governo cometeu um "erro político enorme" ao não explicar aos portugueses a verdadeira situação económica do país, que agora se depara com novas medidas de austeridade, realçando, todavia, que o "pecado original de todo este processo começa por ser técnico", já que "em 2010 e 2011 a base de partida real do défice público devia ser 11% ou 12% do Produto Interno Bruto (PIB)"."

Se o chumbado PEC IV de Sócrates mantinha um objectivo de 4,6% do PIB para o défice público em 2011 como se explica esta diferença de mais do dobro?

Alguém contou uma história muito mal contada aos Portugueses, à Troika e ao Passos Coelho.
Sem imagem de perfil

De JLB a 07.10.2012 às 00:41

Por falar em défice de 12% ... Em 2010, a Europa tremeu quando o défice público Grego foi revisto, em alta, de 3,7% para 12,7% do PIB.

[ http://www.iol.co.za/business/business-news/goldman-sachs-role-in-greece-a-real-scandal-1.1258930#.UHC8dPZlSE4 ]

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D