Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Delito de Opinião

Últimas Ceias #3

Ana Vidal, 05.04.12

Introdução: Porque tenho uma infinidade de "últimas ceias" e o tempo até à Páscoa já é curto, tive de escolher só algumas. Decidi dividi-las por temas. O de hoje é "A Última Ceia no CINEMA".


Como o Zé Navarro de Andrade já referiu no primeiro post desta série, o magnífico fresco de Leonardo, sendo embora uma representação inicialmente cristã, deu início a um simbolismo que ultrapassaou há muito o domínio da religião. Cito-o: a última Ceia, com o passar das eras, veio a consolidar-se enquanto uma das fundações do que genericamente se apelida de civilização Ocidental. A partir dessa cerimónia estabelecemos que o elo supremo entre os humanos está em partilhar o pão e o vinho; assim como partilhar o pão e o vinho à mesa, se tornou um gesto cultural que designa os momentos decisivos de uma vida. A mesa é um palco de emoções em que as defesas abrandam e os sentidos reinam, potenciando por isso, consoante o momento, cumplicidades e intrigas, tensões e bonomias, pactos e rupturas, enfim, amores e ódios. Não é por acaso que muitos negócios são feitos à mesa, como não é por acaso que as grandes decisões são normalmente precedidas ou seguidas de uma refeição especial, que as sela e comemora. Solenidade e ritual, dois elementos essenciais ao equilíbrio instável das relações humanas. E o cinema, seu espelho natural, não podia deixar de fora este potencial simbólico. O poderoso jogo de forças em volta de uma mesa é matéria irresistível para qualquer cineasta.

 

The Sopranos Last Supper (Annie Leibowitz)

 

A aclamadíssima Annie Leibowitz fotografou, em 1999, o elenco dos Sopranos em pose de Última Ceia, com Tony ocupando o lugar central e Livia, a pérfida matriarca, o de Judas. Os outros serão meros peões, ou mais do que isso? Observem-nos bem.

 

Star Wars Last Supper (Eric Deschamps)


Eric Deschamps pintou este quadro para a revista Giant, para celebrar a saga epico-futurista que encantou o mundo. Nas próprias palavras do pintor, "As personagens foram escolhidas pela Giant e tinham de ocupar determinados lugares, o que me dificultou a tarefa. Eu teria preferido Boba Fett como Judas em vez de Han Solo ou Chewbacca, e acabei por deixá-los numa posição mais dúbia, mais interpretativa. Tive de afastar-me um pouco das poses do original, para conseguir arrumar todas as personagens."

 

Hollywood Last Super

 

Esta é uma das inúmeras "Hollywood Last Supper" que existem. Não conheço o autor, mas escolhi esta pela curiosidade da colocação de peças neste inesgotável puzzle: aqui é Marilyn Monroe que ocupa o lugar de Cristo, talvez por ter sido igualmente "sacrificada", no seu caso à fama e à celebridade. Sabe-se lá porquê, é Clark Gable quem assume o indesejado lugar de Judas.

 

Mas há mais, e muito melhor, se passarmos das imagens ao video. Deixo-vos com três exemplos eloquentes de refeições decisivas no Cinema, tirados de três dos meus filmes de eleição: Brutti, Sporchi e Cattivi (Ettore Scola), Des Hommes et des Dieux (Xavier Beauvois) e American Beauty (Sam Mendes). Sigam os links. Vale a pena perder algum tempo a vê-los, garanto.

 

Adenda: Viridiana (Luis Buñuel), por sugestão do Pedro Correia. E mais dois de que me lembrei entretanto, para quem tiver tempo e paciência: Babette's Feast (Gabriel Axel) e Festen (Thomas Vinterberg). Finalmente, uma pérola da comédia para aliviar: History of the World (Mel Brooks)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.