Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os Meus Carros (3)

por João Carvalho, em 16.03.12

 

Não me lembro exactamente quando entraram lá em casa, mas lembro-me de que um dos NSU Prinz 1000 tinha uma matrícula que começava por DA.

Eram versões desenvolvidas dos 1000 anteriores. O primeiro foi o 1000S. Com aquela carroçaria de veículo híbrido típica dos Prinz — a frente e traseira quase iguais — parecia feito para ser carro de bispo, branquíssimo por fora e vermelho por dentro.

Um dia, ainda novinho, foi levado para uma revisão na marca e nunca mais voltou: ao sair da oficina pela mão de um experimentador, apanhou na parte de trás com outro carro que passava e ficou muito danificado. Definitivamente. Resultado: ao fim de inexplicavelmente difíceis negociações, a marca acabou por entregar um 1000C, que tinha começado a substituir o S.

Os Prinz 1000 eram rápidos. Mas o nervosismo da máquina traduzia-se no permanente cheiro a gasolina que exalava e este, por seu turno, reflectia-se no consumo exagerado que nem a condução mais suave conseguia moderar. Por isso, também o 1000C não ficou lá por casa muito tempo: antes de entrar para a história da família, foi rejeitado e trocado por outro automóvel muito diferente.

Assim, sem história, um dos NSU ficou apenas para a minha história própria, porque eu era ainda muito novo (14 ou 15 anos, talvez) e foi nele que me sentei pela primeira vez ao volante, pus o motor a trabalhar, engatei a primeira, arranquei, dei a volta completa ao quarteirão e regressei ao ponto de partida, onde estava a minha mãe com mais gente incrédula de boca aberta perante o meu feito.

 

 

Na verdade, eu nunca conduzira antes. Apesar do meu notório interesse por carros, a família não alimentava tais atrevimentos para evitar asneiras de que todos se arrependessem e, portanto, houve grande espanto por eu ter conseguido conduzir sem ter quaisquer antecedentes. Sozinho, tive ocasião de aplicar tudo o que costumava ver fazer com extraordinária atenção.

 

 

De resto, os NSU 1000 nem ficaram nas nossas memórias familiares, porque passaram fugazmente lá por casa e não deixaram saudades. Como disse, o 1000S morreu de morte súbita e o 1000C não tardaria a ser trocado por um carro totalmente diferente, mas isso é outra história para outra vez.


9 comentários

Imagem de perfil

De José Navarro de Andrade a 16.03.2012 às 15:25

Já agora João, uma curiosidade de leigo: porque razão auqele tipo de motor com cilindros ao centro (faço-me entender?) caiu em desuso?
Imagem de perfil

De João Carvalho a 16.03.2012 às 16:00

Segundo creio, não foi tanto pelos cilindros ao centro, mas pela disposição requerida pela colocação traseira com arrefecimento a água: muito ruído, traseira desequilibrada e frente muito leve. Se houve outras razões, José, desconheço. O certo é que durou muitos anos.
Sem imagem de perfil

De mohamed a 17.03.2012 às 02:31

Isto é só heróis.
Imagem de perfil

De Laura Ramos a 17.03.2012 às 10:23

Eh eh ;) O meu primeiro carro-vítima, acelerava que se fartava e fugia de rabo ;)
Imagem de perfil

De João Carvalho a 17.03.2012 às 11:05

Quem mais foge é quem mais quer!
:o)
Sem imagem de perfil

De cr a 19.03.2012 às 11:08

Que bela recordação, o meu pai teve 4 ou 5 de cores diferentes, ainda me lembro de lavar aqueles 6 luzitas cá atrás e deixá-lo tão brilhante porque era fácil que ficassem a brilhar, o material de que eram feitos estes carros, prestava-se a isso. Nessa altura eu não tinha idade de conduzir e adorava carros, distraía-me lavando o carro lá de casa afincadamente ( gosto que perdi hoje em dia).Lembro-me também de atravessar Espanha numas férias inesquecíveis no NSU, com um calor escaldante de 40 graus...eh eh eh
Imagem de perfil

De João Carvalho a 19.03.2012 às 16:35

É sempre bom recordar. Aqueles farolins traseiros eram altamente personalizados e constituíam um must desses NSU.
Sem imagem de perfil

De José Oliveira a 23.03.2013 às 16:13

Ao ver este blog, fez-me recordar o NSU prinz 1000, o meu primeiro carro, matricula DA-54-45, bons tempos e boas memorias.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D