Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O imbatível rigor de Vital Moreira

por Pedro Correia, em 13.04.09

Confirma-se: as opiniões de Vital Moreira variam conforme o tempo e as circunstâncias. Permite aos seus o que nega aos outros, e vice-versa. Repare-se no vigor com que agora aplaude os anunciados processos-crime movidos por políticos contra jornalistas: "As queixas penais de políticos por motivo de injúria ou difamação não constituem nenhum 'atentado à liberdade de expressão'" nem 'ataque aos jornalistas' (aliás, se a queixa se revelar infundada, será um tiro pela culatra...), mas sim o exercício de um elementar direito de defesa de direitos de personalidade. Por mais que isso custe a alguns jornalistas e comentadores, os políticos não perdem o direito à defesa da honra só por o serem." Isto diz ele em Abril de 2009, quando acaba de saber-se que José Sócrates processou vários profissionais da informação. Já em Março de 2008, quando o queixoso era Alberto João Jardim, pensava de forma bem diferente: "Um dirigente político como Alberto João Jardim, que muitas vezes ofende da forma mais soez quem o incomoda (incluindo os jornalistas), deveria abster-se de accionar judicialmente os que, na qualidade de jornalistas, se sentem no direito de retorquir, ainda que de forma menos canónica, aos seus destemperados ataques pessoais."

Dois pesos, duas medidas. Ao sabor das conveniências políticas do momento.


33 comentários

Sem imagem de perfil

De aires bustorff a 13.04.2009 às 15:26

Acha mesmo que são 2 medidas e 2 pesos?
So, felicito-o pela sua perspicacia analitica...
Muitos parabens!!!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 20:45

Acho. Nisto, como em tanta coisa. Vem aí mais.
Sem imagem de perfil

De javali a 13.04.2009 às 15:48

Ora aí está.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 13.04.2009 às 15:53

«Ao sabor das conveniências políticas do momento.» Por sinal, para quem tem bom gosto, este sabor é intragável!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 20:46

Só pode ser, compadre. Intragável mesmo.
Sem imagem de perfil

De mdsol a 13.04.2009 às 16:47

Pergunta genuina:

Compara-se aqui a hipotética injúria do jornalista com as injúrias do AJJ?

:)))
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 20:47

Compara-se aqui apenas o direito que um político tem, ou não, de accionar judicialmente quem alegadamente o difama. Segundo VM, tanto quanto me apercebi, AJJ não tem esse direito e JS tem. Só isso. E já dá muito que pensar.
Sem imagem de perfil

De Margarida a 13.04.2009 às 17:39

"E novidades?"...
Mas não se deve perder a oportunidade de demonstrar a incoerência.
De que o cavalheiro não é único detentor, já agora.
Estes meses vão ser penosos...; a bem dizer, um ano inteirinho de campanha eleitoral, haja paciência...

(hã, mais contentinho com a minha colherada 'nas políticas', querido Pedro? )
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 20:48

Claro que sim, Margarida.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 13.04.2009 às 18:14

...e se fosse só dois pesos e duas medidas... E então os dois partidos?... Este senhor tem feito quase tudo a dobrar na vida.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 20:49

Desde logo, a posição perante a União Europeia, Luís. Hoje é cidadão "europeu", como alega nos cartazes. Na década de 80, enquanto deputado comunista, pensava de maneira diferente.
Sem imagem de perfil

De Adília a 13.04.2009 às 18:39

O paralelismo que procura estabelecer entre as duas citações não me parece correcto, penso mesmo que é falacioso e vou tentar explicar porquê. Fundamentalmente acho que está a estabelecer uma comparação entre duas situações de grau e nível diferente, logo incorrecta. Repare, na primeira citaçõa fala-se dos políticos em geral e parece-me acertado o que se diz. Na segunda citação fala-se de um político em particular, que até se nomeia, ao qual por motivos obvios e explicitados não se aplica o que é enunciado na primeira: este político é eiro e vezeiro em desconsiderar e até insultar toda a gente na maior impunidade e daí que, pelo menos moralmente, não digo juridicamente, perde o direito a reclamar se alguém o tratar também nos mesmos termos.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Bernardo a 13.04.2009 às 20:16

A questão aqui, é que se os jornalistas se sentem insultados pelo AJJ, podem e devem accioná-lo judicialmente, se não o sentem não o farão, outra coisa é dizer, como o faz Vital Moreira, que por isso não tem o direito de se defender judicialmente quando se sente atacado. Se se sente ofendido, da mesma maneira que o Eng. Sócrates tem de se defender, também AJJ o tem, se é ataque, como diz Vital, no caso do AJJ, também o é no caso de Sócrates.
www.atexturadotexto.blogspot.com
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 21:04

Sérgio, a minha tese é igualmente essa.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 13.04.2009 às 22:01

Tese que também partilho. Mas convém acrescentar, Sérgio, que Alberto João Jardim já tem sido processado: sem sucesso, porque não abdica da imunidade.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 22:05

Exactamente, João. Convém sublinhar isso. Quanto a José Sócrates, há igualmente que perguntar o seguinte: por que motivo o PM não processa comentadores como Vasco Pulido Valente, António Barreto e Pacheco Pereira, que já o criticaram de todas as maneiras? Dizia há dias o Daniel Oliveira, e com razão, que este PM é forte com os fracos e fraco com os fortes.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 13.04.2009 às 23:28

Tens razão e teve razão o Daniel Oliveira.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 21:00

Adília: falacioso é presumir que a posição actual é "geral e abstracta" quando ela decorre num contexto de várias queixas-crime de José Sócrates contra jornalistas. De resto, se esta tese fosse geral e abstracta em relação aos políticos, valeria também para AJJ, que é igualmente político no activo. Sou insuspeito relativamente a AJJ, que não me merece a menor simpatia, como tenho escrito aqui e noutro blogue. De resto, quando AJJ acciona judicialmente jornalistas, por mero delito de opinião, critico sempre - e assino por baixo. Mas esta tese, para mim, tem validade para todos os políticos - não só para AJJ. Ao contrário do que supõe, Adília, há muitas maneiras de insultar e amesquinhar jornalistas - Jardim é o mais óbvio e mais boçal nesta matéria, mas está longe de ser o único.
Sem imagem de perfil

De Lúcio Ferro a 13.04.2009 às 21:39

A questão não me parece tão linear quanto a coloca caro Pedro. na verdade, parece-me que está a confundir patamares diferentes, na medida em que, ao contrário de AJJ, que saiba Sócrates não insultou qualquer jornalista em particular (dificilmente falar-se de 'campanhas negras' pode ser equiparado aos despropósitos soezes em que AJJ é useiro e vezeiro.
Em suma, querer equiparar a praxis política de um trauliteiro como AJJ, que insulta desregradamente e ameaça com todo o tipo de represálias quem o belisca com a praxis da grande maioria dos políticos do 'continente' (entre os quais JS), que, estes sim, têm todo o direito de processar seja quem for quando se sentem insultados, é, parece-me, absurdo.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 21:58

Meu caro, parece que começamos a desviar-nos um pouco daquilo que escrevi.
Relembro: peguei nas palavras actuais de Vital Moreira, que admite todo o direito a qualquer político - de forma geral e abstracta, sem isentar ninguém - de mover processos judiciais contra jornalistas, pondo-as em contradição com o que o próprio VM escreveu 13 meses atrás sobre AJJ. Só isso. Quanto aos insultos desbragados de AJJ a jornalistas e políticos (incluindo o actual PR, que tratou de 'Sr. Silva'), sou o primeiro a insurgir-me contra isso, tal como critiquei o silêncio e a passividade de Cavaco Silva sobre o atentado à democracia que há meses se registou na Assembleia Regional da Madeira.
Volto ao principio: não podemos é negar a Jardim aquilo que, no plano dos princípios, exigimos para Sócrates. E vice-versa. Parafraseando Vital Moreira: um pouco mais de rigor, s.f.f.
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 13.04.2009 às 18:55

Um cata-vento politico, apontado sempre para o chefe.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 21:02

Apetece pedir a VM: um pouco mais de coerência, s.f.f.
Sem imagem de perfil

De joão melo a 13.04.2009 às 19:14

ah sim ..vital moreira ..o homem que está sempre a clamar por rigor ..na minha tasca a certa altura fui acompanhando o numeroo de vezes que ele pedia rigor http://o-andarilho.blogspot.com/search/label/vital%20moreira

depois desisti

tenho mais que fazer

abraço pedro

Post-scriptum.as cererejas já estão á espreita
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.04.2009 às 21:01

Caro João,
Tenho de ir espreitar as cerejas sem demora. As saudades já apertam. Quanto ao rigor do candidato, estamos conversados.
Abraço
Sem imagem de perfil

De António Manuel Venda a 13.04.2009 às 23:15

Vital Moreira é mesmo assim, nada a fazer.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D