Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Crowding out

por Rui Rocha, em 03.12.11

Um galambista muito galamboso criou uma galamba que nem o melhor desgalambista conseguia desgalambar. Assim foi galambando, num doce galambar. E enquanto galambava, cantava canções de engalambar: galambas tu e galambo eu, galambas tu mais eu e galamba que galamba e torna a galambar. E assim galambando, fez-se galambeiro. E logo outros galambistas começaram a galambar. Com tantos galambistas, era ver qual deles galambava mais e, se virmos bem, todos galambavam por igual. E galamba que galamba e torna a galambar. E se o galambeiro galambava como galambava e os outros galambistas galambavam como ele, ali se formou um belo galambal. E galambas tu e galambo eu, e galambas tu mais eu. Havia nesse galambar coisas de esgalambar. Quanto mais o galambeiro galambava mais os galambistas galambavam com ele. E todos juntos galambando, foram ao parlamento galambar: a galambice é uma loucura que nem o melhor desgalambeiro consegue curar e galamba que galamba e torna a galambar. Um desgalambeiro veio e outro desgalambeiro também. E ao galambeiro não o desgalambava ninguém. E galamba que galamba e torna a galambar. E mais outro veio e o galambeiro a galambar. Um dia chegou o Governador do Banco de Portugal e o galambeiro foi ao ar.


29 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 04.12.2011 às 17:46

Mais uma vez temos de sofrer com a novel Teoria da Inflação para o Crescimento.
Despejar notas faz crescer.
A esquerda obcecada com dinheiro.

Ao José Luiz Sarmento :
Para começar o dinheiro todo despejado em Portugal, Grécia, Espanha, ou na Inglaterra, ou em França ou nos EUA ou, ou na última década deu que crescimento?
Os Estímulos de 2008 até hoje mais o QE e as intervenções do BCE deu em quê?

Só agravou o problema.

Mas mesmo de frente à realidade não aprendem.
Escolhem sempre o caminho mais fácil onde não têm de fazer perguntas difíceis sobre a sociedade assistencialista que formou gente pouco competente e incapaz que ajudaram a criar.

E aí está o que não querem enfrentar.
A produtividade.
Sem imagem de perfil

De José Luiz Sarmento a 04.12.2011 às 18:51

A teoria da inflação virtuosa não é nova, já vem de longe. Hoje é defendida por Paul Krugman, entre outros economistas de primeiríssimo plano.

A teoria da austeridade para o crescimento também vem de longe, mas nunca deu outro resultado que não fosse a catástrofe: na Alemanha, por exemplo, entre 1930 e 1932, serviu de base às políticas de Heinrich Brüning, o Chanceler da Fome, que baixou salários, despediu funcionários públicos, restringiu as funções do Estado, criou o pânico nas classes médias e baixas, presidiu a uma era de deflação e abriu deste modo o caminho aos nazis.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D