Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Talvez o mais belo fado de sempre

por Pedro Correia, em 27.11.11

Tags:


24 comentários

Imagem de perfil

De Ana Vidal a 27.11.2011 às 13:09

Concordo, Pedro. O que Alain Oulman acrescentou à qualidade do fado é incomensurável. Para não falar da própria Amália, que além de uma voz única, trouxe teve a inteligência e a ousadia de trazer para o fado os grandes poetas da nossa língua.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 13:16

Sem dúvida, Ana. O maior salto qualitativo do fado ocorre nos anos 60 quando Amália dá corpo e voz ao desejo do Alain Oulman de unir esta bela forma de expressão artística, inconfundivelmente portuguesa, à nossa melhor poesia. Daí nascem esta deslumbrante 'Gaivota' (com versos imortais do Alexandre O' Neill), o 'Fado Português' (versos do Régio), 'Fria Claridade' (Pedro Homem de Melo), 'Com que Voz' (Camões). E tantos, tantos outros.
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 27.11.2011 às 13:25

Retiro-lhe o "talvez".
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 13:53

Por mim fica retirado, Teresa.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 27.11.2011 às 13:29

Como o Ary, o David, e os próprios Camões e Pessoa. O disco "Com que voz" é um bom exemplo disso, um deslumbramento em todos os sentidos.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 13:54

Sem dúvida, Ana. Por coincidência digo isso mesmo noutra caixa de comentários.
Sem imagem de perfil

De sammyopaquete a 27.11.2011 às 13:59

São sempre dificeis as chegadas ao melhor fado, ao melhor livro, ao melhor filme, ao melhor outra qualquer coisa.
Difícil será encontrar uma música de Alain Oulman que não encaixe, na quase perfeição, da voz de Amália.
O meu podium:
1 - Abandono - poema de David Mourão Ferreira
2 - Gaivota - poema de Alexandre O'Neil
3 - Medo - poema de Reinaldo Faria
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 16:13

Belíssimos fados, esses. O do David Mourão-Ferreira, também conhecido por 'Fado de Peniche', é um belíssimo fado, marcante a vários níveis. O 'Medo' (com versos de Reinaldo Ferreira, não Faria) é igualmente um dos mais belos fados de todos os tempos. Foi pena Amália ter esperado quase 30 anos para gravá-lo. Seria ainda melhor se o conhecêssemos na voz dela dos anos 60, quando estava no apogeu.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 27.11.2011 às 14:41

Concordando que este será um dos mais belos fados de sempre, acho porém que o maior de todos eles foi escrito exactamente hoje com seu reconhecimento pela UNESCO como património imaterial da humanidade.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 16:14

Uma data para lembrar, seguramente.
Sem imagem de perfil

De IsabelPS a 27.11.2011 às 16:02

O mais belo fado, não sei. Mas o mais belo canto, seguramente.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 16:16

O mais belo fado, para mim, atendendo às diversas parcelas: poema, melodia, interpretação e voz. Há diversas outras versões, nenhuma delas tão bem conseguida. Mas a beleza visceral deste fado subsiste sempre, mesmo perante versões medíocres (que também as há).
Sem imagem de perfil

De macarvalho a 27.11.2011 às 17:07

Concordo em absoluto.
O mais belo fado e os mais belos versos.
Serão muitos, sem dúvida, mas o único que me arrepia até à alma, é mesmo este.
Como sei que nada é deixado ao acaso, encontramo-nos nesta linda homenagem que ficará eternamente connosco.
Para mim, a melhor.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 22:48

Arrepia mesmo, sem qualquer dúvida. Por mais vezes que o escute sinto sempre isso.
Sem imagem de perfil

De José Ribeiro e Castro a 27.11.2011 às 18:11

Liguei para este seu post no meu blog:

http://avenida-liberdade.blogspot.com/2011/11/patrimonio-mundial-do-nosso-coracao.html

Grande dia!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 27.11.2011 às 22:50

Grande dia, sem dúvida. Obrigado pela visita e pela citação. Aproveito para dar as boas-vindas ao seu blogue, já inscrito na nossa barra lateral.
Um abraço amigo.
Sem imagem de perfil

De Teresa a 28.11.2011 às 11:09

Muito provavelmente, sim.
Este e Foi Deus.

http://www.youtube.com/watch?v=tb6BgMz0FNs
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 11.07.2012 às 16:47

De acordo, Teresa.
Imagem de perfil

De José Maria Gui Pimentel a 28.11.2011 às 11:20

Não consigo gostar deste fado desde que fizeram aquela versão alternativa aterradora. Fiquei traumatizado.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 11.07.2012 às 16:48

Como eu te percebo, Zé Maria. Felizmente ouvi este belo fado durante muitos anos antes de ter sido cometido o homicídio a que te referes. Quando isso ocorreu já fazia parte do meu património pessoal.
Sem imagem de perfil

De rui a 23.12.2014 às 23:33

Gostos não se discutem, e sobretudo música, vamos escutando, eu seria certamente a última pessoa a escrever num blogue sobre Fado porque detestava Fado, ainda hoje em não o consigo apreciar devidamente, a razão destas palavras são exatamente a incompreensão dos ditos experts na temática do Fado que ao detestarem a versão inovadora de GAIVOTA porque será um ultraje aos seus ouvidos....pois e não é que foi essa versão que me levou a ser mais tolerante em relação ao Fado, levou-me a ler as Pautas, a dar-me ao trabalho de memorizar poemas afinal o Fado poderia ser mais que o choradinho lusitano, fui conhecer a guitarra portuguesa, dado que só estou familiarizado com a clássica e a electrica. Sei que dificilmente gostarei de tocar fado mas já estive bem mais longe.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.12.2014 às 23:42

O nosso ouvido também se educa e vai evoluindo em função disso, Rui. Gosto de saber que o fado vai conquistando cada vez mais adeptos. Nisto não faço o menor esforço para parecer isento, pois sou fã incondicional de fado (do bom, claro, pois também há do outro).
Sem imagem de perfil

De Querco a 29.04.2012 às 13:37

Vejam essa versão de foi Deus do Brasileiro Zé Renato:

http://www.youtube.com/watch?v=eYJA6Sq0EUo

Deveras bonita.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 11.07.2012 às 16:49

Ainda bem que a trouxe aqui.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D