Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ricos.

por Luís M. Jorge, em 25.08.11

Há algo de perturbador nestas manifestações de ricos que entre Nova Iorque e Paris se mobilizam para que lhes aumentem os impostos. É preciso que uma democracia ultrapasse todos os limites da submissão abjecta aos interesses de uma elite para que esta acorde repentinamente de um torpor de três décadas e nos comunique que nos esquecemos de a taxar.

 

Não competia a Warren Buffet ou à herdeira da L’Oreal propalar a generosidade de quem sofre com as dores do mundo e deseja, sacrificando-se, mitigá-las. Pelo contrário: nós, a opinião pública e o poder político deviamos tornar esta espécie de grandes gestos ridículos e desnecessários. Num país decente, com uma justiça fiscal rudimentar, os multimilionários deviam queixar-se dos seus impostos como se queixa um cidadão normal. Mas para isso era conveniente que os pagassem.

 

A Europa e a América encheram-se de vassalos desta casta que agora quer ajudar-nos. Que a criadagem das nossas plutocracias preencha os parlamentos e as administrações das empresas públicas distribuindo entre si as sobras das grandes fortunas com mesuras e salamaleques é o mais trágico testemunho do grande equívoco liberal: a ideia de que podemos deixar os grandes em paz enquanto recomendamos frugalidade aos pequenos e distribuimos roupa e comida pelos pobrezinhos.

 

Só uma sociedade de escravos consegue ser feliz entre esta miséria moral.

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Príncipe Negro a 25.08.2011 às 14:31

Mas, meu caro, V. acha que há ricos em Portugal?
Nanja eu - e não vivo no Aleixo. Irra!
Sem imagem de perfil

De ajoaosoares a 25.08.2011 às 15:15

Os ricos, salvo raríssimas excepções, não estão habituados a ser generosos, mas orientar as suas atitudes em função de mais lucro, mais acumulação de riqueza. Para isso, desenvolveram uma esperteza indomável.

Porquê então esta ostentação de caridade, de generosidade? Eles olham para o Norte de África e Médio Oriente e vêm que o povo começa a acordar, os escravos deixaram de ser ovelhas dóceis e a revolta está prestes a invadir a Europa, já tendo havido vários sinais que são avisos ou precursores. Nessas condições, pensam que “se os ricos não fizerem nada agora, terão o antagonismo do público nos próximos anos” e, depois, o seu prejuízo pode ser total ou, pelo menos, incomensuravelmente maior.
Estão a jogar em benefício próprio, como é seu timbre, para evitar males maiores.

Mas temos que reconhecer que Bill Gates e Warren Buffett há poucos anos doaram metade da sua fortuna a obras de caridade e apoio social. Ainda os há com bom coração...

Cumprimentos
João
Sem imagem de perfil

De PALAVROSSAVRVS REX a 25.08.2011 às 15:54

Toda a vida sonhei escrever isso, assim, exactamente assim. Parabéns, Luís.
Sem imagem de perfil

De JP a 25.08.2011 às 16:20

Muito bom. Vou divulgar!
Imagem de perfil

De Luís M. Jorge a 25.08.2011 às 19:20

Caríssimos como estou no telemovel não dá para responder a toda a gente. Obrigado, Rex.
Sem imagem de perfil

De singularis alentejanus a 25.08.2011 às 20:30

E aquilo a que chamam off-shores, que raio será?
No Alentejo não consta do dicionário........
Sem imagem de perfil

De Lawrence a 25.08.2011 às 21:14

Desde que nos convenceram que colocar uma cruz num papel era a cura de todos os males do mundo, ficámos nas mãos de uma cáfila de poderosos ladrões que só uma revolução mundial poderia acabar.
E como ninguém está para revoluções para além da soleira da sua porta porque também conseguiram pôr-nos a lutar por nós e pelos nossos sem tempo de olhar mais além para os problemas comuns, somos mesmo ESCRAVOS numa prisão dourada que nos "convenceram" a construir e a pagar!
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 26.08.2011 às 01:17

Desta vez, totalmente de acordo contigo, Luís. Estes gestos de grande consciencialização social nunca deveriam existir, são ridículos e chegam até a ser ofensivos. Por todas as razões que dás, e porque este pedido para se ser taxado "como os outros meninos" me soa ao mais descabelado sarcasmo que tenho ouvido nos últimos tempos. Mas a culpa é nossa, que ficamos logo muito embevecidos com tanta sensibilidade.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.08.2011 às 02:47

São todos muito mais taxados que os outros.
A questão é só uma: pagar a taxa do medo.
Mafia Social.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 26.08.2011 às 02:45

Um texto demonstrar como uso da violência é uma força com que muitos concordam.
Depois farão muitas declarações humanistas para compensar.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D