Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Começam as brancas ou as negras e perdem

por Rui Rocha, em 26.07.11

 

A propósito dos acontecimentos dramáticos na Noruega, está a ser disputado, mais uma vez, um jogo de tabuleiro. O seu nome técnico é imputação de terroristas. Mas, a designação popular também pode ser arremesso de loucos ou de desequilibrados. Neste jogo, tal como no xadrez e nas damas, existem peças brancas e peças mais escuras. Alguns que se dizem de esquerda, atacam com os terroristas brancos. Outros, que se arrogam de direita, atacam com os terroristas mais escuros. Dizem que o jogo foi inspirado pelos festivais, muito comuns em cidades do Sul de Espanha, de moros y cristianos. É um jogo peculiar. No final da partida, cada um dos jogadores fica convencido de que ganhou. Mas, na verdade, este é um jogo em que todos perdem. Os terroristas, os loucos e os desequilibrados não pertencem, se virmos bem, a nenhum dos lados do tabuleiro. São, infelizmente, de todos nós. Sobretudo daqueles que ficam com a vida marcada para sempre pelos actos tresloucados de que são vítimas. As únicas posições humanas perante estas tragédias são o repúdio dos actos e a compaixão pelas vítimas, independentemente da cor, do credo ou das convicções políticas de que quem os pratica ou de quem os sofre. A divisão dos despojos humanos ou, se quisermos, o arremesso de terroristas, loucos ou desequilibrados, é tarefa de abutres.


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 26.07.2011 às 11:27

É claro que se repudia os atos e se lamenta as vítimas.

Mas, além disso, com o objetivo de evitar mais atos destes, convem saber quais são as motivações dos seus autores.

E, para esse efeito, convem saber se eles são movidos por uma ideologia qualquer mais ou menos bem definida, ou se são movidos por uma paranóia. Isto é, convem saber se se trata de pessoas racionais ou loucas.

As ideologias combatem-se racionalmente, através da argumentação. Mas um louco não é suscetível à argumentação - tem que ser encarcerado.
Sem imagem de perfil

De Zé Fernandes a 26.07.2011 às 11:57

Há uma certa verdade na ironia implícita no título do "post" : vivendo-se uns tempos para "aqueles lados" apercebemo-nos de que as coisa se tornaram mesmo " branco e negro".
E não tenha dúvidas, vão complicar-se ainda mais.
Consequências da História e também, por estranho que nos possa parecer, do clima...

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D