Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A história secreta.

por Luís M. Jorge, em 25.05.11

Almerindo Marques vai ser presidente da Opway, uma construtora do Grupo Espírito Santo. Ocorreram várias coisas antes de lá chegar. O Rui Costa resume, eu adapto:

 

1. Almerindo Marques, presidente da Estradas de Portugal, renunciou ao cargo em Março de 2011.

 

2. Dois meses depois, o Tribunal de Contas audita uma renegociação de dívida entre as Estradas de Portugal e as concessionárias das SCUT:

  • A dívida do Estado às concessionárias passou de 178 milhões para mais de 10.000 milhões de euros;
  • A Ascendi (liderada pela Mota-Engil e pelo Grupo Espírito Santo) garantiu mais 5400 milhões de euros em rendas, que não dependem do número de carros em circulação;
  • A Euroscut (liderada pela Ferrovia) garantiu mais 1186 milhões de euros em rendas;
  • Em 2011, o Estado recebe 250 milhões de euros em portagens e paga 650 milhões de euros de euros em rendas, com um prejuízo de 400 milhões de euros (62% do valor das rendas, 160% do valor das portagens)

Pior:

O Governo não só nomeou as comissões de negociação (ver aqui) , como criou condições para escapar ao controlo do Tribunal de Contas. Em 2006, a maioria socialista aprovou uma alteração aos poderes do tribunal que permite modificações a contratos antigos:

«Não estão sujeitos à fiscalização do Tribunal de Contas os contratos adicionais aos contratos visados», determina a Lei 48/2006, de 29 de Agosto.”

3. Almerindo Marques nega que as Estradas de Portugal tenham concluído um negócio ruinoso (0:53 no filme).

 

4. A 23 de Maio o Jornal de Negócios noticia que Almerindo Marques vai ser o próximo presidente da Opway, a construtora do grupo BES.

 

O que diz o PSD? Nada. O que diz o CDS? Nada. O que diz a blogosfera de Sócrates? Nada. O grupo Espírito Santo é a história secreta de Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)


22 comentários

Imagem de perfil

De Rui Rocha a 25.05.2011 às 13:44

Ah, Ricardo Salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal.
Sem imagem de perfil

De Javali a 25.05.2011 às 15:41

Brilhante e triste ao mesmo tempo.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 25.05.2011 às 17:24

Tem graça, Rui, já uma vez escrevi esta mesma frase. Sei que é pura coincidência, não estou a acusar-te de plágio! Aliás, a associação é irresistível, não devemos ter sido os únicos a fazê-la. :-)
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 25.05.2011 às 22:38

Sim, Ana. Esse é que é o problema. A associação ocorrer-nos a ambos tem uma razão óbvia: faz todo o sentido.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.05.2011 às 14:15

Está tudo bem quando acaba bem, porque nós temos o poder do voto para impedir que estas coisas aconteçam, não é verdade? Se a burguesia continua a saquear a classe trabalhadora, é porque a classe trabalhadora continua a votar nos partidos que favorecem a burguesia, não é verdade?
Sem imagem de perfil

De mapril a 31.01.2013 às 18:19

Errado. O único poder capaz de alterar o estado vigente, é o poder do não voto. "O voto é a arma do povo", é uma frase que faz todo o sentido, mas entregar o voto é ficar desarmado. Seja lá em que partido for.
Sem imagem de perfil

De Outside a 25.05.2011 às 14:34

Excelente e bem resumido post.
Não é bem uma história secreta (apesar de omitida pela comunicação social, pelas entidades fiscalizadoras e pelos grupos parlamentares mencionados - que não se estranha por tamanha entranha em que se encontram).
Não obstante, é sempre bom recordar sem memórias selectivas, é sempre bom dar nomes aos boys e aos bois.
Acutilante comentário de Rui Rocha idem.
Ai Portugal Portugal, do que é que Tu estás à espera.
Fique(m) bem
Imagem de perfil

De João Severino a 25.05.2011 às 15:08

Caro Luís
Há mais de vinte anos que sei do que é capaz o Espírito Santo com a sua off shore em Macau...
Sem imagem de perfil

De Rui Costa a 25.05.2011 às 15:18

É um silêncio ensurdecedor. E em silêncio, pergunto-me: quem se sentará no mocho?
Sem imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 25.05.2011 às 15:47

Vai uma aposta em como o Louçã amanhã já está a falar nisto?
Imagem de perfil

De Luís M. Jorge a 25.05.2011 às 15:52

Extraordinário é que o país inteiro não esteja a falar nisto, não é Carlos? Mesmo que a história não seja bem como aqui está, nós deviamos saber.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.05.2011 às 17:52

Ai a preocupação é o aproveitamento político que a esquerda radical faz da questão, tentando alertar os trabalhadores - vá lá, os cidadãos - para o facto de estarem a ser saqueados por um dos senhores mais ricos do país? A própria direita tem toda a vantagem em combater o corporativismo, apesar de ser possível o saco azul pesar menos no final do mandato.
Sem imagem de perfil

De Isabel T. a 25.05.2011 às 18:32

Todos diferentes todos iguais.
Sem imagem de perfil

De Miguel a 25.05.2011 às 20:55

Caro Luis M. Jorge,

eu até costumo gostar de o ler...por isso surpreende-me que reproduza essa noticia da TVi cuja unica confirmação é...essa unica noticia da TVI.

Agora, diga-me...com toda a inteligência que me habituei a reconhecer-lhe (embora discordando amiude..) o caro Luis acredita mesmo que existiu uma renegociação que passou os encargos dessas SCUT de €178 para €10.000m ??

Fico triste que tambem o caro Luis desista de combater com elevação para embarcar nestas mentiras "do dia".

No remoto caso de ter mesmo imaginado que tais valores estavam correctos... Olhe bem para esse valor inicial €178m. Menos de 0,1% do PIB.
Se esse fosse o custo das SCUT acha que tinahmos algum problema? Acha que PS e PSD tinham defendido a impopularissima medida de intriduzir as portagens ?

tanta coisa acertada para dizer..tanto tema relevante para discutir...

Miguel
Imagem de perfil

De Luís M. Jorge a 26.05.2011 às 09:41

Leia o Público de hoje, pode ser que encontre coisas "relevantes" para discutir sobre este assunto. É incrivel: neste país de merda, quando há um rico enrascado aparecem logo imensos pobrezinhos a defendê-lo.
Sem imagem de perfil

De Rui Costa a 26.05.2011 às 11:28

Se o Miguel acha que um roubo não merece discussão, tem a minha concordância. Um roubo merece, isso sim, cadeia.
Sem imagem de perfil

De JgMenos a 26.05.2011 às 01:45

O discurso é sempre a favor dos 'coitadinhos'; mas os líderes ditos de esquerda só pensam em melhorar de vida. Como toda a corrupção, para ganharem 10 estragam ou dão a ganhar 1000.
O capitalismo só é tolerável com as regras fundadoras do seu funcionamento.
Mas a esquerda troca a ordem pela tolerância, a herarquia pela igualdade, a disciplina pela impunidade. É o capitalismo rosa, é o capitalismo no seu pior.
Usam o discurso que foi criado para destruir o capitalismo, para viverem nele, o que seria estúpido, não fosse esse o caminho certo para a riqueza de alguns.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D