Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Cinco breves notas de viagem (1)

por Sérgio de Almeida Correia, em 07.05.11

Estrabão relatava que a cidade fora fundada pelas Amazonas. Veneravam Arthémis. Ao que parece terá sido por volta do século XIV a.C., mas foi depois da conquista de Alexandre Magno, em 334 a.C., e, em especial, a partir de 133 a.C., quando  se tornou, com os romanos, a grande capital da Ásia menor, que conheceu maior prosperidade. E essa prosperidade sente-se quando se percorre a Via dos Curetes, entre a majestosa Biblioteca de Celso e a Ágora, entres mármores brancos e azuis e campos polvilhados de papoilas. Aqui viveram Demócrito e Heráclito. Por estas ruas que agora piso andaram os apóstolos Paulo e João. Foi aqui que S. João escreveu o seu Evangelho.

A recuperação da cidade é absolutamente notável. E a forma como o local está preservado é o resultado da cooperação internacional, com muitos monumentos a serem mantidos por italianos e austríacos. Do Odeão ao Grande Teatro, com os seus mais de 20.000 lugares e 66 degraus, dominando todo o vale, passando pelos restos do Monumento a Mémio, mandado construir por Augusto em honra do sobrinho, passando pelo Templo de Adriano e a esplêndida Ágora, sem esquecer os banhos públicos ou o famoso lupanar, conhecido como a “Casa da Tolerância” e estrategicamente colocado numa esquina da cidade, atrás das termas de Escolástica, num local outrora frequentado pelos mais ilustres homens da cidade, até ao local onde foi edificada a Igreja de Maria, ali onde em 431 se reuniu o Concílio convocado por Teodósio II, sem esquecer a Fortaleza de Selçuk, a igreja bizantina de S. João e a Porta da Perseguição, Éfeso vale bem uma visita. Ou mais do que uma; se houver tempo, dinheiro e uma companhia à altura do local.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.05.2011 às 15:31

Arrancam da melhor maneira estas tuas notas de viagem, Sérgio. Gostei muito de conhecer Éfeso, aqui há uns anos - foi uma viagem inesquecível. E gostei também de toda a costa turca do Egeu. É como dizes: merece «mais do que uma visita, se houver tempo, dinheiro e uma companhia à altura do local.»
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 08.05.2011 às 16:30

Absolutamente de acordo, Sérgio. Éfeso, e no geral toda a costa turca, valem bem uma visita demorada. Para já não falar de Istambul, uma das minhas cidades de culto. Gostei de ler-te. Aproveita bem a viagem.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D