Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




às vezes há sol em inglaterra

por Ana Margarida Craveiro, em 12.03.09

Por todo o lado, somos rodeados de avisos, a informar-nos alegremente de que estamos a ser vigiados. Shoppings, lojas, museus, edifícios de estado. Claro, ainda não chegámos às câmaras na rua (excepto na entrada de alguns prédios), e estamos muito longe de Tóquio. Vamos aceitando tudo isto, acriticamente, em nome da nossa seguranças. Os estudos concretos, normalmente sobre o Japão, exemplo máximo, indicam que nunca ninguém foi preso devido à presença dessas mesmas câmaras. Mas fomos aceitando. Nos jogos de futebol, todos os adeptos são filmados, sem que haja qualquer rejeição de tal abuso. Tanto é filmado o Macaco agarrado às grades como a D.Maria que gosta do seu Benfica em dias de sol. Em nome da igualdade. Em nome da segurança.

Nick Gibson é um inglês, proprietário de um pub em Islington, em Londres. Não tinha licença de exploração do bar, porque se recusou a instalar CCTV, como a polícia aparentemente lhe exigia. Recusou-se a invadir a privacidade dos seus clientes, de controlar por filme a quantidade de cerveja e sandes ingerida. Mas não se ficou por aqui: escreveu à sua MP, e fez publicar essa mesma carta no Guardian. Ontem, viu finalmente ser atribuída a licença, sem CCTV. A pergunta final da sua carta, porém, permanece digna de transcrição: When was it that the constant small erosion of our liberties became irreversible?

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.03.2009 às 12:30

Um caso desses nunca aconteceria em Portugal. Aqui é ao contrário: gostamos de ser filmados, vigiados, controlados, «normalizados». E nunca poderíamos escrever uma carta ao deputado. Até porque esse deputado já teria dado lugar a outro que por sua vez também já teria sido substituído.
Sem imagem de perfil

De Ana Cristina Leonardo a 12.03.2009 às 12:47

Ontem, viu finalmente ser atribuída a licença, sem CCTV.

finalmente, uma boa notícia!
Sem imagem de perfil

De Virgínia a 12.03.2009 às 12:48

Em Portugal temos muitos sítios vigiados. Para quê? Quando acontece um assalto, os ladrões são filmados, algumas vezes são apanhados pela polícia, vão a tribunal e são postos outra vez na rua... e o ciclo repete-se!
A filmagem fica para recordação...
Sem imagem de perfil

De Paulo Quintela a 12.03.2009 às 12:58

"...escreveu à sua MP...", a ideia mais relevante do post na minha opinião. Ontem na SIC, dizia Alexandre Quintanilha que quando pagava os impostos na California, recebia depois um documento em que se discriminava a distribuição das suas contribuições pelos diversos sectores e que, se houvesse desacordo, era possível influenciar de algum modo o destino do imposto. Aqui, nem 'MP' nem controlo sobre o nosso dinheiro a partir do momento em que é descontado pelo estado...
Sem imagem de perfil

De Once a 12.03.2009 às 13:03

When we've allowed the "erosion of democracy and civil liberties" i would answer.

De qualquer forma, uma rosa no deserto na manutenção da liberdade individual.
Cá? é o oposto. Ainda que sem a garantia de segurança que tal pressuposto pressupõe.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 12.03.2009 às 13:51

Tal capacidade de crítica e resistência ao abuso, entre nós, enfrenta um problema bicudo: a generalidade dos portugueses pela-se por ter uma câmara virada para si. No mínimo, uma câmara virada para outro, mas que lhe permita pôr-se atrás a espreitar como quem não quer a coisa...
Sem imagem de perfil

De Ana a 12.03.2009 às 14:36

Ana:

Deixo-lhe o link para a tomada de posse do Presidente dos EUA. Aqui, verá que foram todos vigiados ao pormenor. Se aumentar o zoom consegue ver as caras (e não só) dos presentes. Pode, inclusive, ver detalhes das partituras musicais da Banda.

http://gigapan.org/viewGigapanFullscreen.php?auth=033ef14483ee899496648c2b4b06233c
Imagem de perfil

De Ana Margarida Craveiro a 12.03.2009 às 14:57

obrigada a todos os comentadores. queria só acrescentar que Gibson escreveu à MP, sim, que por acaso tem gabinete na mesma rua, mas ela não respondeu. algumas coisas não são muito diferentes: a MP só respondeu quando a carta de gibson apareceu no jornal, e a resposta é uma miséria, em termos de discussão de liberdades (o vazio).

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D