Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Em estado de choque

por Pedro Correia, em 15.04.11

 

 

Fernando Nobre anda a ser criticado, vejam lá, por faltar à palavra: disse que não se envolveria com nenhum partido e acabou por aceitar figurar como independente nas listas do PSD. Quem o critica, em grande parte, é gente que acha muito bem haver um primeiro-ministro que agora governa com o FMI quando há poucos dias jurava que não governaria com o FMI. "Continuarei a dar o meu melhor para que Portugal possa escapar a esse cenário. Lutarei para que isso não aconteça", declarou o primeiro-ministro em entrevista à RTP, na noite de 4 de Abril, justificando assim esta intransigência: "Um pedido de ajuda externa significaria que o País perderia reputação e prestígio." Quarenta e oito horas depois, dava o dito por não dito.

Quem critica Nobre, em boa parte, é gente incapaz de contestar o secretário-geral do PS, que levou ao recente congresso do partido uma moção estratégica em que se rejeitava expressamente um auxílio financeiro de emergência a Portugal. "Eu não estou disponível para governar com o FMI", declarou alto e bom som o secretário-geral dos socialistas, a 19 de Março, com aquele ar de convicção estudada com que diz tudo e o seu contrário. Quando a moção foi votada e aprovada, em pleno congresso, estava já ultrapassada pelos acontecimentos: o mesmíssimo secretário-geral que negava a necessidade de intervenção estrangeira nas finanças portuguesas acabara de solicitar a referida ajuda externa. Cambalhotas atrás de cambalhotas, trapalhadas atrás de trapalhadas. Sem um sussurro crítico de muitos daqueles que agora se confessam chocados com as incongruências de Nobre.

Eu, por mim, não me choco com a duplicidade de critério destes incongruentes, que em larga medida cumprem uma antiquíssima tradição do servilismo lusitano: é de bom tom evitar qualquer crítica ao Governo. Choca-me, isso sim, que Portugal esteja à beira da bancarrota - e que, segundo as estimativas do FMI, venha a ser o único país da União Europeia em crise persistente no próximo ano.

De uma coisa tenho a certeza: não foi Fernando Nobre quem conduziu Portugal a este cenário de ruína.


72 comentários

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 15.04.2011 às 16:21

Então a solução para o problema Sócrates são outros Sócrates...

Se Nobre estivesse no Poder levava-nos ao Hamas...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:07

Esse paralelo não faz sentido. Comparar um primeiro-ministro em funções há seis anos com um candidato a deputado é comparar o incomparável.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 15.04.2011 às 21:55

Mas não é o que o senhor acabou de fazer... comparou o Nobre com um indivíduo que é 1.º ministro há 6 anos. Parece haver aqui alguma contradição...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:48

Leu mal. Pelo contrário, venho dizer que não há comparação possível entre uma coisa e outra.
Sem imagem de perfil

De Joaquim Rato a 16.04.2011 às 04:11

Esta resposta é que não faz nenhum sentido. A questão é esta, se estes começam assim, como estariam daqui a seis anos?!!!Por outro lado, quem sustenta uma campanha com base no faltar à verdade do adversário,há um erro que não pode cometer, que é faltar à verdade. E as mentiras já são mais que muitas. E, ainda, a procissão vai no adro.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 12:41

Você acha que o PM fala melhor com o queixo ligeiramente virado para o lado esquerdo ou para o lado direito? Essa é que é uma questão importante.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 16.04.2011 às 19:00

Isto que o Pedro acaba de dizer é o quê: crítica ou insulto?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 20:31

Crítica? Nem pensar. Faço como você: não ouso criticar o Presidente do Conselho.
Sem imagem de perfil

De Sara a 16.04.2011 às 13:34

De acordo. Não vejo como se pode relacionar a crítica à atitude de Fernando Nobre com o criticar ou não Sócrates. São duas coisas completamente diferentes. E se este já começa assim, nem quero pensar como seria se chegasse a Primeiro-Ministro...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 17:46

O maior problema nacional, já todos vimos, é Fernando Nobre, Sara. O maior desemprego de sempre, a maior dívida externa de sempre, o défice astronómico, a maior carga fiscal de sempre, a perda efectiva de independência nacional, a falta de dinheiro para pagar salários em Junho, o encerramento compulsivo de milhares de empresas são problemas secundários em comparação com Fernando Nobre.
Ouvimos e lemos os comentadores, por estes dias, e chegamos à conclusão de que o buraco financeiro (e talvez até o buraco do ozono) foram causados pelo presidente da AMI. Vivemos uma espécie de alucinação colectiva. Não admira que a 'Europa' esteja cada vez mais relutante em emprestar dinheiro a esta espécie de manicómio em autogestão.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 16.04.2011 às 18:57

Buraco SLN/acções ... Buraco submarinos ... Buraco BPP , etc , estaremos de acordo que não são buracos seguramente da responsabilidade do Dr. FN ...
Mais de 5000 milhões para tapar o buraco do BPN ; mil milhões nos submarinos e não sei quanto para o BPP , são quimeras ... ou como o Pedro diz, será insulto ou lápiz azul?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 20:35

Neste preciso momento escuto na RTP que a Maternidade Alfredo da Costa «está à beira da ruptura» por graves dificuldades financeiras, a tal ponto que a direcção da maternidade acaba de fazer um apelo público a donativos particulares. Um retrato - um entre tantos outros - do País que hoje temos devido a um longo ciclo de incompetência governativa. Um retrato - entre tantos outros - que as torrentes de propaganda já não conseguem ocultar.
Sem imagem de perfil

De Sara a 17.04.2011 às 23:49

Caro Pedro, claro que o *maior* problema não é Nobre, mas sinceramentem alguém disse isso? Algum comentador elevou a atitude de Nobre ao pior que temos de enfrentar nos próximos tempos? Acho que a crise tem sido debatida diariamente até à exaustão. Mas não é por termos problemas maiores que vamos esquecer tudo o resto. E acho que a crise está directamente ligada a toda esta indignação face à atitude de Fernando Nobre. As pessoas estão cansadas destes partidos e deste sistema que tudo lhes pede sem dar nada em troca, que tudo lhes leva. 14% das pessoas acreditaram, nas últimas eleições, que movimentos de cidadãos independentes (dado o seu background agora mais falado, não tão independente assim) poderiam ser uma alternativa e depositaram a sua confiança nesta pessoa. O que faz esta pessoa com isso? 'Vende-se' à melhor oferta. Mostra-se muito pouco humilde, dizendo que se nao for eleito presidente da AR nem considera lá ficar, e que nem sequer leu o programa do partido pelo qual escolheu dar a cara, depois de ter andado a criticar partidos e de ter jurado que "deputado, categoricamente não".
E Passos Coelho já começa a desmentir (que surpresa, Passos Coelho voltar atrás em alguma coisa que a opinião pública recebeu mal!) a oferta do cargo de presidente da AR.
Tudo isto é vergonhoso, tal como são vergonhosas muitas outras coisas. Alucinação colectiva seria não criticar uma atitude, a meu ver, altamente criticável e que revela pouca integridade. Isto é notícia, a crise é notícia. Não percebo como é que criticar Nobre é fazer tudo isso que expôs no seu post. :)
Sem imagem de perfil

De Observador do caos a 15.04.2011 às 16:33

Fernando Nobre não vem mexer com o status quo. Está na linha de todos os aldrabões, salafrários, corruptos e outros mimos apropriados à série quase infindável de gentinha que nos tem (des) governado. Ou seja: Nobre é igual a Sócrates, porque hoje diz uma coisa e amanhã o seu contrário.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:08

O insulto é o argumento dos fracos.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 15.04.2011 às 21:58

O Pedro lá sabe...qual o epíteto com que ainda não brindou o Sócrates.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:50

Não confunda crítica com insulto. O lápis azul já passou de moda.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 16.04.2011 às 18:39

E o fantasma da asfixia, também ... quando o Pedro "mima" algum político que não gosta, chama-lhe crítica ... quando é um cidadão que expressa esses mesmos "mimos" em relação a outro qualquer vira-casacas, passa a "insulto". Perfeitamente entendida a mensagem.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 20:39

MFM1999: é o «fantasma da asfixia» que o faz ter medo de usar o nome próprio? Podia usar um pseudónimo mais engraçado: Simplício Costa, por exemplo. O nome da personagem interpretada pelo António Silva n' «O Costa do Castelo». Fica a sugestão. A menos que prefira Simplex Costa.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 16.04.2011 às 21:11

Os do lápis azul é que se preocupavam com a identidade dos seus críticos "...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 21:43

Que réplica tão inesperada. Você acaba de comparar o doce Portugal socrático com o Portugal da ditadura, onde o medo imperava e as pessoas tinham de se ocultar sob falsas identidades. Nunca o imaginei capaz de semelhante comparação.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 16.04.2011 às 23:09

Que estranha essa sua conclusão ... Dá para entender essa sua fixação por expressões como "Presidente do Conselho" e "lápis azul" ... deveria ir em romaria a Santa Comba para exorcizar esses fantasmas.
Quanto ao "doce Portugal socrático", permito-me lembrar-lhe que ao contrário do tempo do "Presidente do Conselho", pelo menos agora o Pedro pode "criticar" impunemente quem quiser e eu sou livre de lhe responder sob o pseudónimo que me der mais gozo...mas pelos vistos o Pedro com o poder do seu lápis azul acha que eu devia escolher outro, à moda dos tempos da intolerância.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 17.04.2011 às 00:06

Quem falou em fantasmas foi você - o 'fantasma da asfixia'. Ainda bem que me reconhece o direito de criticar quem me apetecer. Obrigadinho.
E gabo-lhe a lata: vem agora falar do poder do meu "lápis azul" depois de ter vindo aqui dizer, várias vezes, o que muito bem lhe apetece sem ninguém beliscar a sua liberdade de expressão. Ao contrário do que sucede a vários outros blogues, que têm a torneira dos comentários sempre fechada, como bem sabe.
É preciso ter muita lata, francamente.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 17.04.2011 às 00:59

Está muito enganado, Pedro. Será que ainda não percebeu que ninguém tem que nos reconhecer o direito à liberdade de expressão e que só a devemos agradecer a nós mesmos, assim como só nos podemos recriminar a nós próprios por não sabermos conservá-la, porque se dependesse dos outros, já estaria no "pacote da suspensão" sine die ...
Não sei o que acontece noutros blogs, nem me interessa, mas até hoje só aqui fui confrontado com o alerta de que o meu comentário só é publicado depois de visionado pelo dono do blog ... admito que haja outros que façam mais do que isso, nem me custa acreditar.
Folgo em saber que a minha "lata", isto é, a minha liberdade de discordar das suas opiniões o incomoda, mas nem por isso deixarei de visitá-lo.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 17.04.2011 às 12:02

Apareça sempre, com este ou outro pseudónimo. Aqui, ao menos, pode exprimir as suas opiniões. Noutros lados não pode.
Sem imagem de perfil

De MFM1999 a 17.04.2011 às 18:09

Pedro esqueça essa sua obsessão pelo meu pseudónimo ... e agradeço-lhe a sua condescendência em permitir que eu aqui venha exprimir as minhas opiniões. Obrigado por essa carta de alforria ...
Já agora, aproveito para lhe contar um episódio do tempo do Senhor Presidente do Conselho que o Pedro talvez até já conheça. Um dia foi submetido à apreciação dos senhores do lápis azul uma obra cujo autor se chamava Vladimir Iliich Oulianov , e não é que aquela cabeças pensantes deixaram passar a obra. Só depois de já estar nas bancas das livrarias é que se aperceberam quem era o autor e andaram a recolher todos os exemplares que conseguiram, como fizeram com "Quando os lobos uivam" do Aquilino Ribeiro. No caso da obra do Aquilino até a casa das pessoas que conseguiram saber que tinham comprado o livro, o foram buscar.
Sem imagem de perfil

De Carlos Alberto a 15.04.2011 às 16:45

Tem mesmo a certeza disso Pedro Correia? Não haverá por aí um Abrantes qualquer que irá veicular a teoria de que a culpa de tido foi da AMI!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:09

Depois de ter ouvido um primeiro-ministro aos berros, há duas semanas, a garantir ao País que não governaria com o FMI acho que tudo já é possível, Carlos.
Sem imagem de perfil

De rui a. a 15.04.2011 às 16:54

Está bem, o PS está cheio de trampolineiros, é um facto indesmentível. O PSD é que escusa bem de se nivelar por baixo.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:10

De acordo, Rui. Mas comparemos aquilo que é comparável, não o que não é.
Sem imagem de perfil

De Anónima da Silva a 15.04.2011 às 17:13

Pedro,
Tem razão quando diz que não foi Fernando Nober que conduziu Portugal ao cenário de ruína.
Foi antes a cegueira de alguns em atacar o Governo só porque não é do nosso agrado.
Foi antes o oportunismo mais larvar quando se fareja uma oportunidade de mudança de cadeiras.
Patriotismo, onde estás?
Onde pára a Pátria que Fernando Nobre apregoava na campanha presidencial? Serviu só para ser bandeira "roubada" a Manuel Alegre?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:12

As próximas legislativas funcionarão sobretudo como uma espécie de plebiscito a Sócrates, Anónima da Silva. O povo, que é soberano, dirá de sua justiça nas urnas. Como democratas, confiemos no superior critério do eleitorado.
Sem imagem de perfil

De joao a 19.04.2011 às 18:45

o superior critério do eleitorado votou sócrates nas últimas eleições, foi respeitado? não me parece, toda a gente bate no governo, é moda (desde que foi eleito há 6 anos), o pior é que vão bater também no próximo e por aí fora, o objectivo óbvio é acabar com o regime de liberdade de expressão e democrático onde ainda podemos escolher quem nos governe, falar e escrever o que nos apetece, infelizmente muitos o fazem sem respeitar quem os governa pela simples razão de que não são da sua cor, e isso é que é o mais importante - se querem ser respeitados, respeitem quem nos governa, respeitem o nosso voto e deixem-se de andar a aldrabar o zé povinho
Sem imagem de perfil

De Francisco Castelo Branco a 15.04.2011 às 17:16

Não critico Nobre, porque a sua missão dentro da AR pode ser muito bem aproveitada.

Era bom que o Presidente da AR fosse uma pessoa escolhida fora dos partidos.

Dava mais seriedade
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:14

Por mim, acho muito bem que a segunda figura do Estado venha de fora dos estados-maiores partidários, Francisco. E muito gostaria que a primeira figura também viesse.
Sem imagem de perfil

De Pedro Almeida a 15.04.2011 às 17:40

A questão não é o Fernando Nobre, per si, pela sua parte ele até fez muito bem em aceitar o convite.
O que carece de mínima racionalidade vem da parte do PSD.
Qual a vantagem politica/eleitoral de o convidar para cabeça de lista do mais importante circulo eleitoral do país? E "pior" ainda declarar desde já que será ele o presidente da AR caso seja possível?
Que proximidade politica pode existir entre Nobre e o PSD?
Não será preciso um mínimo que seja de experiência parlamentar para assumir o cargo?
Encaixá-lo algures entre os 10 primeiros da lista já seria algo de controverso, dar-lhe o primeiro lugar só lembrou mesmo ao PPC.
A avaliar pelas generalizadas reacções o tiro saíu mesmo pelo culatra.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:15

Perfeitamente justificável, a sua crítica. Parece-me no entanto uma questão menor face à bancarrota que enfrentamos - essa sim, é a questão essencial. E com protagonistas (re)conhecidos.
Sem imagem de perfil

De Anónima da Silva a 15.04.2011 às 17:50

Gostaria apenas de formular a seguintes questão que ainda não vi leventada por nenhum jornalista ou em qualquer blog: Já perguntaram a Mário Soares o que pensa de Fernando nobre ter aceite ser cabaça de lista por Lisboa pelo PSD? Foi "combinado"/cozinhado/apadrinhado em casa de Mário Soares, como aconteceu com a campanha presidencial?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 15.04.2011 às 19:15

Excelentes perguntas, Anónima da Silva. Aqui ficam, à consideração de quem entender formulá-las a Mário Soares.
Sem imagem de perfil

De Comentador a 15.04.2011 às 21:39

Pelos vistos, não repararam que o dr. Soares já respondeu a isso na entrevista de anteontem à RTP.
Gente informada é assim...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:51

Ainda bem que você chegou com a boa-nova.
Sem imagem de perfil

De singularis alentejanus a 15.04.2011 às 23:45

Já puseram a Mário Soares essa questão. Resposta: estou surpreendido!
E agora?

Não foi o MS que disse que sós burros é que não mudam?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:53

Mário Soares, segundo li hoje, terá organizado um jantar entre Nobre e Sócrates em que o segundo revelou ao primeiro que metade dos ministros tinham votado nele. É caso para todos ficarmos surpreendidos.
Sem imagem de perfil

De L M D a 15.04.2011 às 20:26

Muito honestamente, está-se a fazer uma tempestade num copo de água.
Fernando Nobre concorre nas listas do PSD. E depois? Qual é o problema?
Será que alguém me explica o porquê desta novela?
Eu sempre pensei que viviamos num país livre, mas aparentemente...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:54

Diz bem. Tempestade num copo de água. Como se não tivéssemos de enfrentar tempestades reais. O meu ponto é esse.
Sem imagem de perfil

De Carlos Faria a 15.04.2011 às 21:28

Lembra-se daquele comentário em que eu dizia que havia o risco de Sócrates poder ganhar... que discordou?
Veja a máquina rosa a funcionar e bem afinada, aliada com os mesmos do PSD que durante os últimos anos nunca souberam enfrentar o actual Primeiro Ministro convenientemente a alimentarem casos secundários para que se concretize o meu receio e o culpado se ria na cara de todos nós em Junho.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 16.04.2011 às 00:54

Deixemos o soberano pronunciar-se, Carlos. Em democracia o soberano é o povo através do voto.
Sem imagem de perfil

De joão a 19.04.2011 às 18:46

e mais nada...

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D