Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Machismo? Isso existe?

por Marta Caires, em 11.03.09

O canil, com as jaulas cheias, arrepia. Os cães ladram eufóricos, percebem que as duas raparigas de jeans e t-shirt querem dois para levar às tias. E saltam, ladram, dizem com a cauda a abanar que são os mais bonitos, os meigos, os mais aptos para guardar uma casa, um jardim, uma fazenda de tias velhas. A senhora das limpezas aponta: estes podem ir, estes não. Machos? Não há, são os primeiros a arranjar dono.

Ninguém quer as fêmeas, ninguém ouve sequer as explicações das veterinárias da Sociedade Protectora dos Animais Domésticos. A esterilização é de graça, não custa mais do que os 40 euros da taxa de adopção. São cadelas e basta, estão condenadas a uma vida de prisão. Os irmãos partem e elas, bonitas ou feias, crescem nas jaulas da Sociedade. Um dia, quando é impossível continuar uma existência de poucos metros quadrados, começam a rodar sobre si próprias, condenam-se à loucura e à eutanásia.

As duas raparigas, surdas pelo barulho, apontam para uma jaula, para duas fêmeas pretas e amarelas. São aquelas, as tias vão protestar, mas na fazenda sempre houve cadelas, gatas e muitas mulheres. A compaixão, o afecto, o carinho, tudo isto se mistura quando a Tia Alzira olha para a caixa e sorri. "Eu não queria, mas são tão bonitas..." E em pouco minutos as cadelinhas estão a correr atrás da tia Encarnação, que é a alma daqueles quintais, da capoeira, da romãzeira em flor e dos gatos a dormir no terraço.

Só a Julieta torce o nariz. Não gosta de cadelas, um cão é outra coisa. Um cão, um gato, um rapaz. Aos 80, é tarde para explicar, para falar de direitos, para insurgir-se contra o preconceito que a leva a encontrar qualidades no que vem dos homens, dos cães, dos gatos. As mulheres são as mulheres, são as que ficam para ajudar nos casamentos, nas festas, para os velórios e para ouvir o choro e o desgosto. Como as gatas, as cadelinhas, esse exército de fêmeas que nunca baixa a guarda.

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Maresia a 11.03.2009 às 11:45

Fabuloso!
Sem imagem de perfil

De Sara a 11.03.2009 às 11:57

Excelente artigo. Adorei, desde a primeira palavra à ultima constatação de que no século XXI há coisas que ainda são muito peganhentas...
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 11.03.2009 às 13:22

Eu tenho lá em casa um exército de fêmeas... e toca-me fazer a sopa (na Bimbi , a melhor fêmea que entrou lá em casa!)

De resto não sou machista.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 11.03.2009 às 17:37

Belo texto!
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 11.03.2009 às 18:04

História deliciosa!
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 11.03.2009 às 18:16

Muito giro, mas seria melhor fazer a pergunta em relação a animais de duas patas: na adoção, os adotantes exprimem preferência por rapazes em vez de raparigas? Eu nunca ouvi dizer que tal aconteça.

É que com machismo em matéria canina podemos nós bem.
Sem imagem de perfil

De Maresia a 11.03.2009 às 18:42

Os adoptantes querem bebés, brancos e saudáveis... Por isso é que as instituições estão cheias de crianças que ninguém quer... E as listas de pais à espera de crianças para adoptar é imensa.
Mas também, por outro lado, é compreensível.
Tenho uma amiga e colega de trabalho, solteira que adoptou um adolescente, negro , com percurso de vida problemático. Corresponderam-se primeiro, trocaram fotos e no dia em que ela o foi buscar à instituição (não posso deixar de comparar com a cena dos canis deste post), ele entrou numa sala cheia de mulheres, procurou-a com os olhos, foi direito a ela e perguntou " És tu a minha mãe?".
Um história de muito amor incondicional para dar... Tem sido um percurso com altos e baixos, mas sempre num amor maternal e filial incondicional.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 11.03.2009 às 22:28

E é mesmo assim infelizmente.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 12.03.2009 às 01:19

Belíssimo texto. E verdadeiro, infelizmente.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 12.03.2009 às 02:03

Gostei muito, Marta.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 12.03.2009 às 09:47

Existe sim, e neste caso chama-se "cãochismo".
Mais uma vez, um belíssimo post com que nos brindou. Se algum dia vier a existir aqui um prémio para o melhor blogger..., vá-se preparando! Está muito bem posicionada para vir a receber essa distinção.

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D