Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Estrelas de cinema (5)

por Pedro Correia, em 09.11.10

 

 

CINEMA 'FEELGOOD', COM BILHETE POSTAL

*

Depois dos livros de auto-ajuda, que hoje ocupam secções inteiras nas livrarias e nos tops de vendas, eis que chega agora também um filme de auto-ajuda: Comer, Orar, Amar. Com tópicos banalíssimos sobre a “felicidade” e o modo de atingirmos a “paz interior”. E a dose necessária de correcção política, fazendo equivaler todos os quadrantes geográficos e todas as culturas: a terapia começa com umas rezas na católica Itália, prossegue com meditações conduzidas por uma guru fashion na Índia e – de chorrilho de banalidades em chorrilho de banalidades – culmina com os ditames de um curandeiro numa aldeola de Bali. O mundo unido num abraço ecuménico ao serviço da felicidade universal e da multiplicação dos cifrões em Hollywood.
Julia Roberts, a estrela de turno, tem aqui dois registos de representação: sorri quando está feliz e esconde o belo sorriso que bem lhe conhecemos desde Pretty Woman quando se sente tristonha. É uma gama de emoções superior à média actual da “indústria” cinematográfica, que movimenta muito box office e transforma certos críticos em meros divulgadores de sinopses, fazendo equivaler receitas de bilheteira a qualidade cinematográfica.
Comer, Orar, Amar é tão esquemático e rudimentar enquanto filme como a receita “terapêutica” que propõe aos espectadores mergulhados num vazio espiritual: uma sucessão de bilhetes postais que não evita o cliché, antes o procura deliberadamente. Do dolce far niente na luminosa Roma, com refeições de sonho e sempre bem regadas, ao americano de meia idade angustiado por “culpas” várias que procura a redenção entre os deuses hindus, seguindo a rota inaugurada pelos Beatles nos anos 60. Mas o cliché máximo é atingido com a entrada em cena de Javier Bardem, interpretando um playboy brasileiro curtido ao sol da Indonésia, numa espécie de caricatura de si mesmo. Ao som de Bebel Gilberto, neste filme que não perde uma oportunidade de exibir um estereótipo, Bardem cumpre o que lhe pedem: devolver o sorriso a Julia Roberts. Na praia, entre coqueiros.
Quando isso acontece, como todos sabíamos que iria acontecer, já se percebeu que o próprio Bardem – depois de filmar com Almodóvar, Joel Coen e Woody Allen – não leva este papel minimamente a sério. E, por uma espécie de mecanismo de sabotagem interna, quase introduz uma espontaneidade neste filme que nunca a tem. Julia sorri no final, como também já sabíamos desde o início que iria suceder. E nós também sorrimos, claro: não procurámos a sala de cinema para outra coisa.
Chama-se a isto, no jargão contemporâneo, cinema feelgood. O cinema autêntico é outra coisa.

 

Comer, Orar, Amar (Eat Pray Love, 2010). De Ryan Murphy. Com Julia Roberts, James Franco, Richard Jenkins, Viola Davis, Billy Crudup, Javier Bardem.


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Helena a 09.11.2010 às 17:32

Se tivesse optado por colocar aqui uma fotografia do Javier, em vez da Julia, podia dizer que gostei mais de ler o seu artigo do que de ver o filme, que até foi bem chatinho (valeu-me a banda sonora para manter a pestana aberta). Como não pôs e a Julia nem se está a rir, bem, ficam quites. :)
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.11.2010 às 18:58

Ó Helena, acederia a qualquer pedido menos a esse. De resto, esta cena da Julia R. a comer gelado é das poucas que não considero péssimas neste filme.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D