Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Já li o livro e vi o filme (73)

por Pedro Correia, em 27.02.16

Guine_Arco_Triunfo_Erich_Remarque_BS[1].jpg

27-hoberman-jp-articleLarge[1].jpg

 

ARCO DO TRIUNFO (1946)

Autor: Erich Maria Remarque

Realizador: Lewis Milestone (1948)

Confesso-me leitor fiel das obras de Remarque. Incluindo esta, centrada no drama dos refugiados que afluíam a Paris em vésperas da II Guerra Mundial. Grande romance, mediana adaptação a filme. Apesar da deslumbrante Ingrid Bergman.

Maria do Rosário Pedreira

por Patrícia Reis, em 27.02.16
 

Ainda bem
que não morri de todas as vezes que
quis morrer - que não saltei da ponte,
nem enchi os pulsos de sangue, nem
me deitei à linha, lá longe. Ainda bem

que não atei a corda à viga do tecto, nem
comprei na farmácia, com receita fingida,
uma dose de sono eterno. Ainda bem

que tive medo: das facas, das alturas, mas
sobretudo de não morrer completamente
e ficar para aí - ainda mais perdida do que
antes - a olhar sem ver. Ainda bem

que o tecto foi sempre demasiado alto e
eu ridiculamente pequena para a morte.

Se tivesse morrido de uma dessas vezes,
não ouviria agora a tua voz a chamar-me,
enquanto escrevo este poema, que pode
não parecer - mas é - um poema de amor.

Leitura recomendada

por Pedro Correia, em 27.02.16

En busca de la última barra de pan en Caracas. De Daniel Lozano, no El Mundo.

Sugestão: um livro por dia

por Pedro Correia, em 27.02.16

imagem[1].jpg

 

A Estação da Sombra, de Léonora Miano

Tradução de Miguel Serras Pereira

Romance

(edição Antígona, 2015)

Tags:

Palavras da salvação

por Rui Rocha, em 26.02.16

jj.jpg

 

Sim, Senhor Ministro (3)

por Pedro Correia, em 26.02.16

article-0-031009E80000044D-711_634x400[1].jpg

 

Ministro dos Assuntos Administrativos, Jim Hacker - Este ministério tem de eliminar muita burocracia. Vamos dar aqui uma vassourada, abrir as janelas para entrar ar, pôr esta máquina obsoleta em ordem.

Sir Humphrey Appleby - Uma limpeza, quer dizer?

Ministro [sentado à secretária] - Isso mesmo. Há demasiada gente sentada à secretária

Sir Humphrey - ...

Ministro - Não me refiro a nós. Temos de correr com aqueles que só estão a fazer número!

Bernard Woolley, secretário particular do ministro - Correr com eles?

Sir Humphrey - Redistribuí-los, quer o senhor dizer.

Ministro - Sim, sim. Quero pô-los a trabalhar. Somos adeptos de um Executivo aberto: é nisto que o meu partido acredita e que serviu de base ao nosso manifesto eleitoral. Temos de abrir a política ao País. Que tal?

Sir Humphrey [segurando uma pasta com papéis] - Veja estas propostas. Esboçam a implementação dessa política e contêm a base para um Livro Branco, que a meu ver deverá chamar-se Governo Aberto.

Ministro - Então já foi tudo...

Sir Humphrey - Já foi tudo tratado.

Ministro - Quem preparou tudo isto?

Sir Humphrey - A máquina burocrática obsoleta.

Não, não, senhores Bispos

por Rui Rocha, em 26.02.16

Estão enganados. O cartaz do Bloco de Esquerda não ofende crentes nem não crentes só por o serem. Ofende a inteligência. De quem quer que a tenha. Por isso, melhor seria se guardassem a indignação para a utilizarem, por exemplo e para não irmos mais longe, contra instituições que promovem uma visão do mundo em que cabe às mulheres um papel de obediência e subordinação.

Não havia necessidade...

por Helena Sacadura Cabral, em 26.02.16

Jesus.jpeg

Pessoalmente já exprimi aqui a minha posição relativamente à adopção por casais do mesmo sexo. Entendo que uma criança precisa de amor, seja ele dado pela família tradicional ou pelas famílias que o não são. As unidades familiares de hoje não são iguais às de há meio século e, portanto, os hábitos e os costumes terão de ir-se adaptando.

Na minha opinião, uma criança institucionalizada está pior do que numa família que tem amor para lhe dar, sejam dois pais, duas mães, uma só mãe ou um só pai. E se foi permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo e que um solteiro adopte uma criança, tenho dificuldade em aceitar que um casal do mesmo sexo não o possa fazer.
Posto isto, entendo de um profundo mau gosto e revelador de bastante desrespeito por quem pensa de forma diferente os cartazes com que o BE resolveu pulverizar o país, usando como símbolo uma pirosíssima imagem de Jesus, com uma frase na qual se afirma que ele tem dois pais.
Uma coisa é defender ideias que se considera estarem certas. Outra coisa é defendê-las exorbitando os limites, para ofender aqueles para quem Jesus representa algo de muito sério. A nossa liberdade termina onde começa a do nosso semelhante. Não havia necessidade!
Eu inclino-me para que estejam a faltar ao Bloco as causas que lhe davam alma. Agora, como situacionistas que são, começam a não ter temas fracturantes e portanto a perder a graça. Estão, de facto, a envelhecer!

Frases de 2016 (19)

por Pedro Correia, em 26.02.16

«Não é possivel ter democracia com liberdade de circulação de capitais.»

Francisco Louçã

Já li o livro e vi o filme (72)

por Pedro Correia, em 26.02.16

suma-mil1[1].jpg

Mildred-Pierce-1945[1].jpg

 

MILDRED PIERCE (1941)

Autor: James M. Cain

Realizador: Michael Curtiz (1945)

Um dos mais expressivos retratos de mulher da literatura americana foi êxito também no cinema, com Joan Crawford a conquistar um Óscar no filme, entre nós intitulado Alma em Suplício. Em 2011 deu origem a uma premiada série de TV.

estaline.png 

 

Bingo

por José António Abreu, em 26.02.16

O governo e a sua maioria têm sido acusados de dar com uma mão e tirar com a outra, mas o que importa nessa ginástica não é quanto ganham as pessoas, mas que ganhem por vontade do poder político: o rendimento de cada cidadão não deve depender do seu esforço, mas da sua relação com o governo. O PS, PCP e BE nada têm contra quem ganha muito, desde que ganhe muito no Estado ou através do Estado. Banqueiros e empresários disponíveis para “parcerias” nunca terão dificuldades.

Rui Ramos, no Observador.

CHE.png

 

Sugestão: um livro por dia

por Pedro Correia, em 26.02.16

1507-1[1].jpg

 

Traço de União, de Miguel Torga

Oito textos sobre as relações luso-brasileiras

(reedição Glaciar, 2016)

Tags:

Belles toujours

por Pedro Correia, em 26.02.16

Marina_Berti_(Quo_Vadis)[1].jpg

 

Marina Berti

Tags:

Obrigado, João Almeida

por Sérgio de Almeida Correia, em 26.02.16

800.jpg

"Estudei sempre em escolas públicas, em relação aos meus filhos, se isso for viável, também estudarão sempre em escolas públicas." – João Almeida, deputado, vice-presidente do CDS-PP

 

Vamos todos fazer para que seja sempre viável, mesmo que alguns dos companheiros dele não sejam da mesma opinião e prefiram todo o dinheiro público e mais algum a subsidiar escolas privadas.

Pérolas na Padaria do meu Irmão

por Francisca Prieto, em 25.02.16

Oito da manhã, à porta da do estabelecimento, trabalhadores africanos assentam calçada à portuguesa. Padeiro vai a passar com uma caixa de Ferrero Rocher na mão. Um dos dos trabalhadores atira timidamente um "já comia um chocolate". Padeiro abre a caixa e oferece-lhe um bombom. Trabalhador responde "Merci".

Já li o livro e vi o filme (71)

por Pedro Correia, em 25.02.16

c194f572715b4fb4100c111deef44c65[1].jpg

Doomed-romantic---Michael-010[1].jpg

 

O AMERICANO TRANQUILO (1955)

Autor: Graham Greene

Realizador: Phillip Noyce (2002)

O romance que anteviu com lucidez a intervenção americana no Vietname foi adaptado ao cinema de forma exemplar. Michael Caine interpreta o jornalista britânico Thomas Fowler, alter ego do escritor. Greene teria gostado.

Sim, Senhor Ministro (2)

por Pedro Correia, em 25.02.16

article-0-031009E80000044D-711_634x400[1].jpg

 

Ministro dos Assuntos Administrativos, Jim Hacker [recém-chegado ao ministério] - Quem há mais no nosso departamento?

Sir Humphrey Appleby - Eu sou o subsecretário de Estado permanente, o [Bernard] Woolley é o seu secretário particular principal. Eu tenho um secretário particular principal, que é secretário particular do secretário permanente. Hé dez secretários delegados responsáveis perante mim, e 87 secretários e 219 secretários adjuntos que respondem perante os secretários particulares principais. O primeiro-ministro vai nomear dois subsecretários parlamentares e o senhor nomeará o seu secretário particular parlamentar.

Ministro - E sabem todos escrever à máquina?

Sir Humphrey - Nenhum de nós sabe. Quem faz isso é Mrs. McKay. É a secretária.

Sugestão: um livro por dia

por Pedro Correia, em 25.02.16

image[1].jpg

 

Não Há Tantos Homens Ricos Como Mulheres Bonitas que os Mereçam, de Helena Vasconcelos

Romance

(edição Quetzal, 2016)

Tags:



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D