Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Nossos (10)

por Helena Sacadura Cabral, em 01.04.12

 

 Laurent Filipe, músico e trompetista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nossos (9)

por Helena Sacadura Cabral, em 01.04.12

 

Bernardo Sassetti, músico e pianista de eleição.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Se não beber... (43)

por João Carvalho, em 01.04.12

... tente conduzir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A mentira do dia

por José António Abreu, em 01.04.12

É o título.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Blogue da semana

por José António Abreu, em 01.04.12

Palavras, palavras e mais palavras. Letras pretas em fundo branco. Ficção, com tudo o que ela tem de verdadeiro e (para disfarçar) de falso. Nada mais simples, nada mais complicado. O blogue da semana chama-se garfiar. E tem por lá um texto que devia colocar as autoridades de sobreaviso e preocupar o Ministro Miguel Relvas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Domingo de Ramos e Páscoa: origens

por João Carvalho, em 01.04.12

 

O domingo anterior ao Domingo de Páscoa chama-se Domingo de Ramos. É quando se benzem os ramos de oliveira e se celebra a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém, montado num jumento, saudado pelo povo que Lhe estendeu pelo caminho as vestes e os ramos de árvores e gritava: "Hossana ao Filho de David! Bendito o que vem em nome do Senhor!”

O Domingo de Ramos foi instituído a partir do século IV como um modo de recordar essa entrada de Jesus de Nazaré na cidade de Jerusalém. Vários outros costumes foram associados ao Domingo de Ramos e somente na segunda metade do século VII é que o Vaticano restaurou a ordem dos Domingos da Quaresma.

Actualmente, a celebração de Ramos tem dois momentos: o primeiro, em que é feita a bênção dos Ramos, e o segundo, em que se realiza uma missa, altura em que se faz uma reflexão sobre a Morte e Ressurreição de Jesus. No final da celebração, os ramos de oliveira (ou de palmeira) são abençoados e levados pelos fiéis para ser colocados em cruz nas suas casas ou sobre alguma campa no cemitério, como sinal de compromisso com Cristo e simbolizando a força da vida e a esperança da ressurreição.

O dia da Páscoa é celebrado no primeiro domingo após a Lua Cheia que ocorre depois de 21 Março (a data do equinócio da Primavera, no hemisfério Norte, e do Outono, no hemisfério Sul), definida pela Igreja em 325 d.C., no Conselho de Nicea. Ou seja: o Domingo de Páscoa é equivalente à antiga regra de que seria o primeiro domingo após o 14.º dia do mês lunar de Nissan, no calendário judaico (existente há mais de 3300 anos), em que os meses seguem as fases da Lua.

Com esta definição, a data da Páscoa varia de ano para ano, sendo no mínimo a 22 de Março e no máximo a 25 de Abril, o que determina que a Páscoa seja uma festa móvel. Esta data, a primeira das diversas festividades da Igreja Católica, vai determinar as restantes datas, como pode observar-se:

– terça-feira de Carnaval, que ocorre 47 dias antes da Páscoa;

– quarta-feira de Cinzas, que ocorre 46 dias antes da Páscoa e dá origem ao período da Quaresma;

– Domingo de Ramos, que ocorre no domingo anterior à Páscoa;

– Pentecostes, que ocorre no sétimo domingo após a Páscoa;

– Santíssima Trindade, que ocorre no domingo seguinte ao domingo de Pentecostes;

– Corpo de Deus, que ocorre na quinta-feira imediatamente a seguir ao domingo de Pentecostes.

A sequência exacta de datas da Páscoa repete-se aproximadamente em 5.700.000 anos no nosso calendário gregoriano.

(Com a colaboração da nossa

comentadora MACarvalho)

(Imagem no topo: Domingo de Ramos,  fresco de Giotto,

século XIV, na Capela Arena, em Pádua.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tell me lies, tell me sweet little lies

por Leonor Barros, em 01.04.12

 

Lembremo-nos de quem nos governa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Certos animais de escamas

por José Navarro de Andrade, em 01.04.12

 


Brilham os olhos de Rita no escuro aquático do medo.

Orson Welles era demasiado inteligente para gostar de metáforas. Com ele era tudo literal. Donde o medo dela, nem é bem medo, será ansiedade?, diante de uma parede de vidro. Sabemos que é azul porque já ali estivemos, mas o que deles vemos é contra uma luz líquida e branca.

“Sigamos o cherne, minha amiga! Desçamos ao fundo do desejo”, segreda-lhe ele, enquanto de costas para que não lhe vejam os olhos, ou os dentes.

E Rita vibra e vê circular o cação, tão esguio na sua pele malhada, num sossego de águas transparentes (foi mesmo assim!):

“Em cada um de nós circula o cherne, quase sempre mentido e olvidado.” Diz ela o que lhe vem à cabeça loira.

Só no fim concordam que se podem beijar sem receio. Entrega-se Rita, multiplicadas Ritas. Vitória literal de Welles. 

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

As canções do século (822)

por Pedro Correia, em 01.04.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 19/19



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D