Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pub: IPRIS Policy Brief 2

por Paulo Gorjão, em 06.04.10

This article is a first attempt of making sense of it all. Thus, it aims to review the facts in Guinea-Bissau so far and provide a brief prospective analysis regarding the chances of a successful SSR in the future. The first section describes the facts behind the military coup, as well as the domestic and international reactions, as they were expressed in the media. The next section assesses the possible implications of the military coup, namely regarding the future prospects of the SSR process, as well as Guinea-Bissau's commitment to the fight against drug trafficking. The third section provides a few policy recommendations regarding how the international community should react to the events that took place on 1 April. The article ends with a few final remarks. It is commonly agreed that the coup should not produce rewards and the perpetrators must be told so. Otherwise, the spiral of violence in Guinea-Bissau will never end. How to succeed in breaking this cycle of political and military instability, though, is the million-dollar question.

Tags:


4 comentários

Imagem de perfil

De Luís Naves a 06.04.2010 às 18:39

É um relatório complexo, parabéns, mas os veteranos afastaram Zamora Induta da chefia militar e não vejo maneira dele ser aceite de volta. O PAIGC poderá afastar legalmente Cadogo do cargo de primeiro-ministro. Já havia movimentações nesse sentido. E Sanhá só tem a ganhar com essa derrota. Cortar a torneira das ajudas se não houver regresso à situação anterior é condenar o país ao narcotráfico. Concordo consigo, deve haver respeito pela vida dos perdedores (muito difícil). Mas também pragmatismo político dos europeus. Há aqui lealdades de geração, histórias antigas que remontam a conflitos onde os ocidentais que pregam a democracia e as instituições não estão isentos de culpas.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.04.2010 às 19:30

Além das histórias antigas que remontam ao tempo dos bifes...
Imagem de perfil

De Paulo Gorjão a 06.04.2010 às 21:04

Caro Luís Naves, também eu não vejo maneira de Zamora Induta ser reaceite. Mas a verdade é que a comunidade internacional, do ponto de vista das declarações que foram tornadas públicas, não fez nenhum esforço.
Certo. Cortar a ajuda é condenar ao narcotráfico. Por isso refiro que se o narcotráfico regressar, então as ajudas não podem continuar.
É claro que pragmaticamente se terá de encontrar um ponto de equilíbrio. É a vida. Na altura devida se terá de peasr o que se cede e a troco do quê em concreto. Abraço.
Sem imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 07.04.2010 às 10:46

É publicidade mas da boa. E merecida.

Comentar post



O nosso livro



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D