Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Atrás???

por João Carvalho, em 13.02.09

Ainda a promover a moção que vai levar ao congresso, José Sócrates voltou hoje a defender o casamento entre homossexuais e lembrou que Portugal ainda os discriminava «há umas décadas atrás». Redundante: apesar de ter-se tornado vulgar, dizer 'há décadas atrás' ou 'há uma semana atrás' é tão certo como dizer 'subir para cima' ou 'descer para baixo'.

Por acaso, Sócrates faz parte dos que cometem essa falta vezes sem conta. Ora, se há momentos infelizes, um deles é seguramente falar de homossexuais e acrescentar 'atrás'. Não há necessidade...

Autoria e outros dados (tags, etc)


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Berbigão a 13.02.2009 às 21:39

E também não havia necessidade de escrever "descriminava" em vez de "discriminava".
Imagem de perfil

De João Carvalho a 13.02.2009 às 22:37

Boa. Corrigido e obrigado.
Sem imagem de perfil

De Chloé a 14.02.2009 às 00:20

Deixe lá, ontem no parlamento ele também disse que o governo "interveio"...
(por mim esse senhor saía já amanhã:::)
Sem imagem de perfil

De Chloé a 14.02.2009 às 00:39

Claro que a frase ficou cortada, o que ele disse foi que o governo "interviu".
E não interveio:)
Sem imagem de perfil

De João André a 14.02.2009 às 20:40

Não vejo esse como um erro grave. Vindo "há" de "haver", o facto de "há décadas" implicar um período de tempo décadas antes é apenas subentendido, não é explícito. É um facto que não há necessidade de proceder à explicitação, mas não creio que seja um erro. Um pouco como escrever "Eu quero uma cerveja" quando poderia escrever (ou dizer, naturalmente) "Quero uma cerveja".

Não levemos a correcção aos limites. A riqueza de uma língua também se mede por aí. Caso contrário chegamos aos limites de línguas como a alemã e a neerlandesa que são, na minha opinião, excessivamente rígidas.
Sem imagem de perfil

De rms a 14.02.2009 às 22:01

O atrás vem do inglês técnico. São influências do "ago"...
Imagem de perfil

De João Carvalho a 14.02.2009 às 22:34

Hehe... Podia ser, mas não é. 'Two years ago' é 'dois anos atrás', o que está correcto.
O problema é o verbo 'haver': ou a frase leva 'há' e não leva 'atrás', ou não leva 'há' e leva 'atrás'...
Sem imagem de perfil

De João André a 15.02.2009 às 10:50

Possível. Não faço mesmo ideia.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 14.02.2009 às 22:31

Caro João André, não lhe chamei erro. 'Subir para cima' também não é um erro. Trata-se de redundâncias. 'Há poucas horas' é sempre atrás. Se tirar o 'há', então será correcto dizer 'poucas horas atrás'. Estamos entendidos? Tratar a nossa língua com rigor nunca é um excesso.
Sem imagem de perfil

De João André a 15.02.2009 às 10:51

Certo, o erro (de leitura) foi então meu. Mas continuo a entender que não é problemático. Há tantos erros bem piores. Um dos que me enerva é "tenho um amigo meu".
Imagem de perfil

De João Carvalho a 15.02.2009 às 17:57

Claro, há sempre erros piores. Curioso é que 'vou subir para cima' desperta um sorriso e 'há momentos atrás' considera-se tolerável. 'Tenho um amigo meu' que também pensa assim...
Sem imagem de perfil

De Fernando Trindade a 03.03.2009 às 00:58

Olá.
Acabei de colocar uma dúvida sobre este "à uma hora atrás" e "há uma hora atrás" no ciber-dúvidas.

Mas houve aqui algo que me chamou a atenção. "Subir para cima" é um pleonasmo, uma ênfase dada propositadamente com recurso a elementos que exprimem a mesma ideia e não uma repetição ou redundância tão somente.

Já o uso do verbo haver no "há uma hora" faz-me confusão... por causa do "atrás".

Vejamos:
se "há um hora" significa que existe um intervalo de tempo que se considera.
Se "há uma hora atrás" então esse intervalo de tempo existe "atrás" de algo.. de quê? de "agora"? Não é certo...
O "atrás "pode significar" passado...



Já o "à uma hora" parece não fazer sentido... porque para que o artigo/proposição fizesse sentido e se referisse ao "tempo" seria "à uma hora (13 horas e 0 minutos).. o que também não soa muito bem...

MAS... se usarmos o "subentendido" podemos defender que " à uma hora (artigo definido, nome 'uma hora') atrás" como se fosse "refere-se ao metro", "à unidade de medida" mesmo que indefinida no seu todo (à umas décadas".


Enfim...
Não posso concluir grande coisa.
Aguardo a regulamentação aplicada por aqueles que estão credenciados para regulamentarem a língua que amo.

Abraços.
Fernando





Imagem de perfil

De João Carvalho a 03.03.2009 às 01:32

Meu caro, na minha opinião, 'subir para cima' não costuma ser enfático, mas rusticidade, iliteracia.

'Há uma hora atrás', porém, costuma ser usado por gente diferente e por razão diversa, como seja: moda; expressão supostamente mais pomposa ou refinada; mais tempo de antena (como 'acessibilidades', 'contratualizações', 'desculpabilização', etc.). Portanto, do meu ponto de vista, é pura redundância - disparatada - e não mais do que isso.

A sua reflexão é interessante. Não é uma lição, porque não é conclusiva, mas até permite conclusões. Gostei.

Abraços.
Sem imagem de perfil

De Fernando Trindade a 03.03.2009 às 13:46

:)
Caro João
Obrigado pela continuidade.

Eu de facto não tenho competências académicas ou reconhecidas para opinar pelo que prefiro sempre abrir linhas de pensamento, considerar alternativas, gerar discussões evolutivas. Penso que seja assim que se aprende e evolui.
Não sou dono da razão e nestes casos apenas observando a entidade reguladora da língua Portuguesa se poderá chegar a uma conclusão. E mesmo essa poderá ser posta em causa e modificada, afinal de contas também a língua evolui.

Quanto ao "subir para cima", aqui eu vou discordar. É mesmo um pleonasmo e nem sempre é iliteracia.

Como podemos verificar no site Ciberdúvidas da língua Portuguesa, talvez o único site com autoridade fundamentada para estas questões:

"Subir para cima e descer para baixo são pleonasmos. O pleonasmo é a repetição duma ideia pelo emprego duma ou mais palavras, cujo sentido já está expresso anteriormente, como nas expressões apresentadas. Há quem condene incondicionalmente o pleonasmo, o que não está certo. O pleonasmo é uma figura de sintaxe que não raro convém empregar como reforço para se conseguir vigor, expressividade mais intensa, maior clareza e para impressionar mais fortemente o receptor."

Link: http://ciberduvidas.sapo.pt/pergunta.php?id=1973



(No entanto, e não obstante esta... teoria, sou obrigado a concordar que o seu uso é de tal maneira comum às massas mais incultas que se tornou paralelo com iliteracia, rustidade e fraco conhecimento).

Depois há casos em que nada tem que ver com isto:
"-Eu vou subir para cima duma cadeira para arranjar a lâmpada"
"-Que fazes aí à varanda á chuva? Desce para baixo do toldo!"

São casos de uso correcto.

Obrigado pela discussão! :)

Fernando
Sem imagem de perfil

De Fernando Trindade a 03.03.2009 às 21:14

Já agora:

-----Original Message-----
From: Ciberdúvidas da Língua Portuguesa [mailto:noreply@ciberduvidas.pt]
Sent: terça-feira, 3 de Março de 2009 17:52
To: Fernando trindade
Subject: Resposta à sua pergunta

Escreve-se «Há um tempo, aconteceu...», sem \"atrás\" (seria pleonasmo). Em «Há um (algum) tempo...», já quer dizer \"atrás\" (que foi anterior).
Em expressões destas, é sempre com o verbo haver: Há (uns) dias, há meses, há bocado, etc.


------------------------------
Pronto... explicado!


Sem imagem de perfil

De Luis Figueira a 15.02.2009 às 02:17

Caríssimo João:
Parafraseando o nosso Herman José, eu diria mesmo, não havia nexexidade ..." Como bom alpinista político que é, Sócrates não perde uma oportunidade para aproveitar tudo aquilo que "está a dar" no momento. E este, como sabemos é, claramente, um assunto que "está a dar"... E Sócrates, sempre enlevado pela sua auto-imagem, delirante, pensa que o mundo ainda está em 2005 e, no entanto, "ele moveu-se" e, pelo menos, já deu mais 1200 voltas, sempre para "a frente". Desiluda-se, Sr. Engenheiro, que os temas fracturantes com que então distraiu os eleitores, já não vão facturar tão bem como facturaram. Hoje as pessoas têm coisas mais sérias em que pensar e os portugueses já estão bem escaldados dos dissabores que lhes têm trazido as maiorias absolutas... Especialmente esta sua.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 15.02.2009 às 02:58

Prazer em saber-te por aqui, Luís.

Quanto às promessas dele, nada que não se saiba já: algumas leva sempre atrás...

Abraços, meu caro. Aparece sempre. E vai dando sinal.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.02.2009 às 18:22

Todos sabem que o ânus é atrás. Ou será que não?
Sem imagem de perfil

De Mistah Mayah! a 11.04.2011 às 17:45

Meu caro, perdoe-me a ousadia mas vossa excelência fez um comentario algo, digamos, absurdo, portanto gostaria de aproveitar dita oportunidade para comentar da seguinte e ilustre forma:

OH MEU DEUS SEU BILOIDÃO!!!

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D