Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma inutilidade política

por Pedro Correia, em 04.02.09

Vou ainda um pouco mais longe do que o André, aqui em baixo: o CDS acaba de dar um passo de gigante para o seu definitivo desaparecimento da cena partidária nacional por se tornar uma inutilidade política. Ao abdicar avançar com listas próprias para a Câmara de Lisboa, diluindo-se numa coligação liderada pelo PSD na capital, desvaloriza-se como partido alternativo à direita. Como se a (presumível) democracia-cristã devesse andar a reboque da (alegada) social-democracia. Isto acontece, note-se, no momento em que o partido laranja enfrenta as mais desfavoráveis sondagens da sua história e menos de dois anos após os sociais-democratas terem recolhido a percentagem mais baixa de sempre em Lisboa - 15,7%, com uma lista encabeçada por Fernando Negrão. E numa altura em que as mais recentes pesquisas de opinião até demonstram alguma capacidade de recuperação do CDS, face às desastrosas lideranças que se têm sucedido no PSD. Isto de nada vale quando falta a coragem de enfrentar o teste eleitoral com listas autónomas em Lisboa, Porto e Coimbra. O interesse político à mercê do cálculo matemático? Veremos se as contas no fim não saem furadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


5 comentários

Sem imagem de perfil

De tric a 04.02.2009 às 23:02

era era ridiculo que a Direita não fosse unida na conquista da capital , apenas por motivos de partidatrite e vaidades
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 04.02.2009 às 23:24

Você parece esquecer que a última vez em que a direita ganhou as autárquicas em Lisboa ia desunida.
Sem imagem de perfil

De tric a 05.02.2009 às 01:23

os tempos mudam! e a receita não pode ser sempre a mesma para circunstancias diferentes
Sem imagem de perfil

De Luis Serpa a 04.02.2009 às 23:39

Verdade seja dita que já é tempo de o CDS desaparecer, para dar lugar a um verdadeiro partido da direita liberal (em grande parte vindo de uma cisão no PSD?)
Sem imagem de perfil

De Ena, tantos! a 05.02.2009 às 10:05

E por acaso repararam em quantos, sim, QUANTOS foram os militantes de Lisboa, sim, DE LISBOA, que votaram? Parece que uns 160. Ena, tantos! Até o MRPP deve ter mais militantes em Lisboa!

Comentar post



O nosso livro





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D