Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Brave new world

por Pedro Correia, em 02.12.09

Barack Obama decidiu mandar mais 30 mil soldados para travarem a guerra no Afeganistão. A poucos dias de receber em Oslo o Prémio Nobel da Paz.


10 comentários

Sem imagem de perfil

De james a 02.12.2009 às 22:17

Pois, mas parecia uma estrela do rock a ser aplaudido no concerto de West Point ...
Sem imagem de perfil

De Carlos Pimentel a 02.12.2009 às 22:18

Que post tão falacioso. Nem parece teu.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2009 às 22:25

O que há de falacioso aqui? Ele despachar 30 mil tropas para Cabul ou receber o Nobel da Paz?
Sem imagem de perfil

De Carlos Pimentel a 03.12.2009 às 18:06

O que me pareceu falacioso foi teres dado a entender que há hipocrisia no facto dum prémio nobel da paz enviar soldados para uma determinada região do mundo. Aliás, quando foi anunciado o Nobel eu previ exactamente isso, ou seja de que a partir daquele momento o homem ia ficar refém dum prémio que seguramente não desejava e que foi um autêntico presente envenenado. Desculpa na demora a responder mas tive um dia de loucos.
Sem imagem de perfil

De fernando antolin a 02.12.2009 às 22:24

Queira Deus que esteja enganado, mas parece-me outro menino d'oiro que caiu em graça...
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 02.12.2009 às 22:46

O tom pareceu-me provocatório, como quem diz: "Não pensem que o Nobel me vai travar os movimentos. Se era essa a ideia, enganaram-se redondamente." E também me pareceu forçado o argumento de que estavam a ser preparados novos atentados aos EUA enquanto ele falava. Pela primeira vez, não gostei de um discurso de Obama.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2009 às 22:51

Eu achei o discurso falacioso, como diria o Carlos Pimentel.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 02.12.2009 às 23:04

Pois... também eu.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 03.12.2009 às 01:10

Desta vez, até eu.
Sem imagem de perfil

De Chloé a 03.12.2009 às 14:23

Há nisto um lado bom: Obama parece não governar pela imagem e pela escravatura às expectativas que gerou.
Há depois um lado mau: por opções idênticas vejam lá o quanto odiaram Nixon.

Comentar post



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D