Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Nada como um espirro dos antigos

por João Carvalho, em 28.10.09

As autoridades de Saúde norte-americanas – ao que dizem – rejeitaram a vacina anti-gripe A que Portugal encomendou e está a aplicar. A Alemanha parece que está a fazer o mesmo que os EUA.

No hemisfério Sul, onde já é Primavera, a gripe A não teve maiores efeitos do que as gripes sazonais comuns. A OMS, porém, insiste na ideia de pandemia e corre por aí o aviso de que a gripe A pode afectar um-terço da população europeia. Talvez algo como a ainda recente "gripe das aves", que ia varrer um-quarto da população mundial?

Em Portugal, as nossas autoridades de Saúde andam a esclarecer que quaisquer eventuais efeitos provocados pela vacina são sempre preferíveis à gripe A, sem que esclareçam de facto que efeitos podem ser esses.

♦ ♦ ♦

Tal como há uns meses se adivinhava, a pior epidemia é a da informação e contra-informação em torno de tudo isto, é a da "guerra" entre os laboratórios multinacionais, é a da primazia das grandes distribuidoras farmacêuticas, é a dos interesses obscuros envolvidos. Isto, sim: é epidemia e gera alarme.

Há necessariamente muita coisa escondida por baixo do que vem à superfície. Nada melhor do que darmos um belo espirro dos antigos, colectivo e com a boca destapada, para ver sair da toca quem se esconde.

Tags:


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Maresia a 28.10.2009 às 18:50

Gripe A: Uma experiência

Eu estou em prisão domiciliária à conta da gripe A. O meu filho mais novo começou domingo à noite com dores no corpo e cabeça. Dei-lhe um comprimido, desses da praxe, e como tinha teste na segunda logo de manhã, apesar das queixas de dores no corpo e na ausência de febre, despachei-o para a escola. Ainda me passou pela cabeça a leve suposição que fosse fita para não fazer o teste. Fui buscá-lo à mesma escola a meio da manhã, prostradíssimo. Tosse, dores no corpo e de cabeça e um ligeiro aumento de temperatura. Resolvi ligar para a Saúde 24, a menina enfermeira depois de muitas perguntas, aconselhou-me a ficar em casa a controlar a temperatura e a fazer infusões de folha de eucalipto, mas depois, eu que tenho assim um lado prático pensei: e como vou justificar as faltas da criança e das minhas sem ir ao medico? Marchei para o Centro de Saúde. Diagnóstico: virose, se no dia seguinte melhorasse escola.
A situação agravou-se na noite seguinte, a febre subiu e apareceram as cólicas intestinais e a diarreia, associada aos outros sintomas. Contactei a linha da Saúde 24, mandaram-me para o Centro de Saúde, que até avisaram por telefone, já me aguardavam quando cheguei.
Após observação e constatação de que os sintomas apontavam para Gripe A, fui mandada ao Hospital Distrital da região por receios de complicações pulmonares. Auscultada a criança, mais uma vez, e afastados esses receios sem recurso a meios complementares de diagnóstico, fui mandada para casa por 7 dias mais o jovem porque tudo indicava ser gripe A. Perguntei se não faziam análise para confirmar a doença, que não, que tinham imensos casos suspeitos por dia e que se fossem a confirmar todos não faziam mais nada.
Estou a faltar ao emprego por 7 dias, mas não sei se é gripe A e como eu milhares de pais por esse país. Não seria mais barato fazer a análise?
Ah e o Sr. Dr. mandou-me tratar da justificação de faltas no centro de saúde com o médico de família. Só depois de ter saído de lá, percebi que esta indicação entrava em colisão com a de não sair de casa...

Imagem de perfil

De João Carvalho a 28.10.2009 às 21:28

Deve ser, não é? Não se pode testar toda a gente, não é? Quer uma justificação de faltas? É só voltar ao sítio onde esteve antes. Enfim: tudo à boa maneira portuguesa.

Rápidas melhoras para o seu filho, Maresia. E dê-nos conta da evolução, se puder e quiser.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



O nosso livro






Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D