Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Use já e pague depois (ou nunca)

por Pedro Correia, em 07.09.17

free[1].gif

Anda para aí um enorme alarido sobre viagens de políticos patrocinadas por empresas privadas. Acho muito bem que este assunto seja investigado até à exaustão. Espero, sobretudo no caso dos autarcas, que se siga a pista destas deslocações em matéria de eventuais favorecimentos directos ou indirectos às entidades responsáveis pelos generosos convites. Partindo sempre do princípio que não existem almoços grátis.

Encaro no entanto com alguma ironia esta profusão de virgens ofendidas, agora prontas a rasgar vestes em colunas de jornais e ecrãs televisivos. Porque é um segredo muito mal guardado que os órgãos de informação sempre foram brindados com viagens na modalidade "tudo pago" - das mais diversas proveniências e para os mais variados (e por vezes principescos) destinos. De resto, quanto mais alto se sobe na hierarquia dos jornais e televisões, mais generosos se tornam estes pacotes de viagens.

 

Nem precisamos de recuar muito no tempo. No último mês, e só a título de exemplo nada exaustivo, registei estes "patrocínios" de peças jornalísticas, devidamente identificados em várias publicações.

"A jornalista esteve alojada a convite do Sapientia Boutique Hotel"

"Esta reportagem foi realizada com o apoio de Azores Airlines e SATA"

 "A jornalista esteve alojada a convite do White Exclusive Suites & Villas"

"O jornalista viajou a convite da TAP"

"A jornalista viajou a Kingston [Canadá] a convite da Frulact"

"O repórter viajou a convite do Turismo de Alicante e da Costa Branca"

 "A jornalista viajou a Fez a convite do turismo de Marrocos em colaboração com a Solférias"

"O jornalista viajou a convite da Brisa"

 

Estas viagens à borla ocorreram, em certos casos, nas mesmas publicações que mais têm destacado os passeios dos políticos, por vezes em tom de compreensível indignação.

Haverá quem suponha que os parâmetros éticos de uns não devem aplicar-se a outros. Respeitando as opiniões alheias, naturalmente, permito-me discordar.

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 07.09.2017 às 14:02

Que as viagens , férias, passeios e presentes a médicos, autarcas e deputados devem ser esmiuçadas as para despistar favorecimentos aos patrocinadores, concordo plenamente.
Não sei como avaliar situações idênticas nos órgãos de comunicação social, talvez porque sempre as inseri num contexto de informação.
Sempre me lembro de ver publicidade no fim de peças ou artigos jornalisticos e programas e noticiários televisivos.
Sempre pensei que o fornecimento de um bem ou serviço como oferta ou com desconto substancial no pvp, fizesse parte de um intercâmbio publicitário.
A oferece , a pedido de B, XYZ a B para a peça, artigo, entrevista, etc., e B menciona A nos créditos finais.
Nunca me passou pela cabeça que determinado jornal ou estação televisiva benificiasse patrocinadores... até porque há patrocinadores que não precisam da menção nos créditos para nada ...
Imagem de perfil

De Psicogata a 07.09.2017 às 14:35

Este país para além de ser pobre em ética, é pobre em coerência.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 07.09.2017 às 18:38

Mas rico em virgens ofendidas. São mais que as mães.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 07.09.2017 às 15:41

Bom, também sucede o mesmo com a classe médica e as farmacêuticas. ....aliás isto é normal no sistema monetário capitalista e tribal. Um tipo de altruísmo egoísta. ...eu dou na esperança de tu me dares um dia mais que aquilo que te dei....um caso típico de " não há almoços grátis "....chamam-lhe lobying, não é? No meu tempo chamava-mos-lhe pouca vergonha....agora é mais chique bem...o filho do meu vizinho é um marginal, mas sendo o pai juiz, cá na terra, dizemos que o Manuel não é marginal, mas sim rebelde ... já o Cláudio, filho de um desempregado, é um arruaceiro. ..
Sem imagem de perfil

De am a 07.09.2017 às 15:43

A propósito de jornalistas:

A RTP têm uma jornalista permanente nos Estados Unidos da América, que se limita a (re) transmitir noticias que já estamos fartos de ouvir/ler ...

Com o apoio dos contribuintes portugueses
....
Mais vemos a correspondente da SIC no Brasil

Paga pela SIC

Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 07.09.2017 às 17:13

No caso da coisa pública, é óbvio que este tipo de procedimentos têm de ser averiguados... Noutros países, estas práticas são reguladas (lobby) mas em Portugal teima-se em não o fazer e eu até compreenderia se depois na sombra não se fizesse tudo e mais alguma coisa... Acredito que, mais do que censurar quem dá, é importante censurar quem aceita, pois são esses que devem estar conscientes das suas limitações...

Acredito que, se este assunto for para a frente, tal como os donativos e outros ainda não falados (admissões, favorecimentos, mini-regimes ditatoriais...) abrimos uma caixa de pandora... Ou talvez não... Porque em Portugal, a corrupção é prática corrente e na generalidade até é bem acolhida.

Em relação aos "media". Sendo privados, pouco haveria a dizer... No entanto... É cada vez mais importante clarificar o que são e transportar essa informação para a sociedade: se estão a fazer serviço público devem ser muito bem regulados, não o fazendo, as população deverá estar ao corrente de que são meros mecanismos ao serviço de quem paga mais e proibidos de apregoar isenção e códigos de ética em matéria de informação. Não quero com isto denegrir a imagem dos "media", bem pelo contrário, pois o que se procura é colocar as coisas nos devidos patamares.

P.S: qualquer leitor inteligente que leia um artigo sobre um produto, serviço ou organização, e sendo pago pela mesma, também deveria imediatamente perceber que a mesma pode não ser totalmente isenta... Mas isso sou eu que digo :-)

P.S.2: Deve ser por isso que uma determinada agência não me contactou mais quando eu disse que no meu blog poderia equacionar publicidade, mas que a mesma seria sempre mencionada e totalmente imparcial.

Abraço
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 07.09.2017 às 19:32

Leia-se "transpor" ao invés de transportar (é mais correcto)
Sem imagem de perfil

De m a 07.09.2017 às 18:48

A mim espanta-me tantos cegos que não vêem que o Mundo avança com o intercâmbio da ciência. Tanta gente séria e cheia de ética e moral!
Nada avança fechado.
Um dia contestei uma Administração. Um director de informática para fugir ao fisco passou um recibo de 10.000 Km num mês.
Perguntei se este tipo trabalhou ou foi ida e volta a Moscovo?
Se fiscalizado seria o caos.
Sem imagem de perfil

De Cristina M. a 07.09.2017 às 22:14

boa recolha; apreciei a listagem.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.09.2017 às 00:34

Muito longe de ser exaustiva, como referi.
Sem imagem de perfil

De Cristina M. a 08.09.2017 às 00:35

acredito.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 10.09.2017 às 11:07

Excelente post.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D