Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Toda a gente sabe que os homens são feios

por Rui Rocha, em 11.01.16

Peço desculpa, mas o silêncio do feminazismo empedernido (passe o pleonasmo) sobre os acontecimentos de Colónia só é uma surpresa para quem andar distraído. Já se sabe que ao radicalismo, a qualquer radicalismo, convém apresentar sempre o inimigo como uma massa homogénea à qual se atribuem as mais escabrosas acções. Ora, está bom de ver que à corrente feminazista não importa se os actos foram cometidos por brancos, amarelos ou negros, sírios, alemães ou portugueses, barbudos ou carecas. Já toda a gente sabe que os homens, todos os homens, são feios. Que são como animais. A premissa maior em que assenta a conclusão do silogismo feminazista é a de que os homens são maus. Ponto. Para quem tem esta visão das coisas, condenar os que cometeram os actos bárbaros de Colónia é perigoso. Poderia passar a ideia, por contraposição, de que há por aí outros homens que são civilizados, educados, respeitadores, companheiros, amigos, ternos, leais, interessantes ou até inteligentes. E isso as feminazistas não querem. Já se sabe que não há nada que perturbe mais a mensagem de ódio implícita no argumentário feminazista do que a evidência do homem que ama uma mulher.

Autoria e outros dados (tags, etc)


28 comentários

Sem imagem de perfil

De xpto a 11.01.2016 às 12:52

Toda a mulher mal fodida actua assim
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 11.01.2016 às 13:46

Tá bem, abelha.
Sem imagem de perfil

De kika a 11.01.2016 às 19:59

Tenho dias que comentários como
o seu me deixam intrigada...
Essa condição que de forma tão elegante
atribui a mulheres também tem equivalente
masculino ?
Sem imagem de perfil

De jo a 11.01.2016 às 13:20

Então, no seu entender, as violações em Colónia foram cometidas por mulheres?

Ou pretende que é obrigação de todos os movimentos serem islamofóbicos?
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 11.01.2016 às 13:49

Pensei que o post fosse claro, mas pelo visto não é assim. O que eu pretendo é que os actos de Colónia sejam condenados sem silêncios,rodeios ou meias-palavras. O que não é admissível é termos de esperar para ver quem os praticou e depois, de acordo com os ditames do politicamente correcto, condenarmos ou não.
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 11.01.2016 às 13:32

Não posso concordar com o comentário anterior, até porque é um facto que a igualdade que as feministas procuram ainda está longe de ser uma realidade, seja onde for.
Uma mulher sem complexos de inferioridade e bem resolvida quanto ao seu género, ideais e convicções, não precisa alardear a sua condição nem cerrar fileiras anti-macho.
É fundamental educar primeiro. Todas nascemos mulheres, mas nem sempre sabemos sê-lo realmente.
Ainda há um longo caminho a percorrer, mas nada que seja instatâneo é consistente ou tem qualidade. Obrigar a prémios de género em festivais de BD não são progressos, muito pelo contrário. Condenar no masculino todos os males do mundo, também não.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 11.01.2016 às 13:49

Obrigado, Dulce.
Imagem de perfil

De Manuel a 11.01.2016 às 13:47

A moda de agora é ser mulher. Fazer trabalho de mulher e parecer mulher também conta.
Qualquer dia aparece por aí alguém a divulgar os resultados de um estudo qualquer para nos dizer que é por causa desta moda que estamos em económica.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 11.01.2016 às 13:51

Estudos é o que há mais por aí. É provável que exista esse que refere e o seu contrário.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.01.2016 às 14:30

O Marcelo já deu pareceres nos dois sentidos.
Imagem de perfil

De Manuel a 11.01.2016 às 13:51

Crise económica. (Coisas de telemóvel)
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 11.01.2016 às 15:18

As maior parte das organisações feministas - as que têm via livre para os jornais - estão-se nas tintas para as mulheres assim como a maior parte das organisações anti-racistas estão-se nas tintas para o racismo a não ser que seja no sentido certo.

A sua função é utilitarismo Marxista: Atacar o Ocidente logo como é óbvio calam-se quando algo não pode ser apresentado como culpa do Ocidente.

Entretanto na Suécia um dos maiores jornais foi acusado de censura sobre ataques de imigrantes num festival de Verão de 2015

http://nyheteridag.se/exposing-major-pc-cover-up-in-sweden-leading-daily-dagens-nyheter-refused-to-write-about-cologne-like-sex-crimes-in-central-stockholm/

Entretanto esse jornal acusado http://www.dn.se/ vem dizer que a Polícia já esconde acontecimentos deste tipo desde há dois anos, e apresenta um Q&A a desculpar-se do seu comportamento no caso.

Os media recusam-se a prever o que vai contra a sua ideologia, por isso não quiseram prever nada. Alguém que conhecesse o mundo árabe lhe poderia falar do Taharrush. Vamos a ver qual o primeiro jornal tuga a escrever sobre o assunto.
Já são muito lestos a falar das previsões do clima daqui a 10-20 anos apesar de falharem sempre.

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.01.2016 às 15:34

"A sua função é utilitarismo Marxista: Atacar o Ocidente " Eu discordo, acho que a sua função é atacar o Snr lucklucky.
Sem imagem de perfil

De isa a 11.01.2016 às 15:22

Concordo consigo mas, ao falar deste assunto e, dos mais de 1000 homens, com aparência árabe ou do norte de África que se dividiram em grupos com o único propósito, de praticarem violações, tenho quase a certeza que, uma grande maioria, nem sequer deve saber, exatamente, o que se passou em Colónia e, infelizmente, não foi só aí.
Mas não será de estranhar a reação das "empedernidas" porque, com a entrada de milhares de homens solteiros (entre os 18 e os 35 anos) que se regem por princípios, seculares imutáveis, completamente opostos aos das feministas... nessa altura, qualquer assunto, sobre quem estavam a abrir as portas ou sobre os problemas que daí podiam advir... foi de um silêncio ensurdecedor, era tudo filmado, falado e escrito, para puxar ao sentimentalismo, à caridade... no fundo, à utopia de um mundo que não existe em lado nenhum e, mesmo quem abordasse, ao de leve, os perigos das colisões culturais... eram umas bestas fundamentalistas sem coração, mesmo que fossem mulheres a falar desse assunto.
Agora, quem ouviu as novas regras, ridículas e idiotas, para evitar as violações, no fundo, culpando as vítimas (continuação da mesma receita da massa... homogénea) parece que estamos a entrar... num mundo de loucos.
Quem incentivou e, continua a incentivar, esta autêntica bomba relógio, sabe exatamente, o que pode vir a acontecer mas, isso, "está no programa" porque se vier ao de cima, os problemas económicos e financeiros da UE e, a nível global, sobre os quais, andam a mentir descaradamente, quando os europeus "acordarem", vão precisar de ter uma Grande Desculpa, para impor a lei marcial.
Bastou ver, para que serviram os ataques terroristas em França... novas leis a sair e outras a caminho...
Como alguém já disse e, muito bem... "vão desfrutando a soneca"
Imagem de perfil

De Manuel a 12.01.2016 às 00:58

Gosto da sua forma de pensar, se é que forma possa ser expressão de pensamento, mas: "...Quem incentivou e, continua a incentivar, esta autêntica bomba relógio..."
Em 200 anos a população humana à face da Terra septuplicou. De 1 bilião de vivos permanentes passámos a ser 7 biliões de almas permanentemente em cima deste nosso calhau voador. Não há incentivo maior para estas movimentações, misturas, desregulações e disfunções da sociedade humana que este - o seu próprio crescimento.
Milhares de anos a crescer lentamente: a educar, a ensinar a aprender, etc. tudo a um ritmo suave e ainda assim matavam-se uns aos outros pouco a pouco em Guerras iguais às de hoje: por poder e por fortuna.
Depois aceleraram o crescimento, 7x mais, porque de repente achámos que somos um milagre superior. E todos crentes de que somos coisa boa, qual anjinhos do céu, passámos a acreditar que a democracia tem soluções para todos os nossos problemas sociais e que de então em diante estávamos livres e à vontade para crescer e proliferar eternamente sem fim e sem destino. Esqueceram foi que tudo cresce, tudo menos o tal pequeno calhau voador de sempre.
Convenhamos que ade chegar o dia em que vamos ter de dar um corte no crescimento e nas falinhas mansas.
Sem imagem de perfil

De isa a 12.01.2016 às 11:05

Só se está a esquecer de um "pequeno" pormenor, as razões de tantas guerras, levadas pelo mundo ocidental (sempre tão cheias de "boas intensões", cujo Inferno está sempre cheio) mas que, isso sim, provocaram, elas próprias, a fuga das populações e que, lhe garanto, não ser, apenas, para tomar posse dos recursos económicos, apesar dessa razão, ser importante.

Se estiver informado, saberia que até, há pouco tempo, não se questionava a razão dos americanos, Não bombardearem os poços de petróleo que, "por acaso", são uma das maiores fontes de rendimento do Isis, cujo petróleo, "por acaso", é comprado pela Turquia e... não só...

Quando um dono de uma empresa de canalizações que tinha vendido uma carrinha nos EUA, lhe começaram a "chover perguntas" sobre essa carrinha que apareceu numa foto, com elementos do Isis que, pelos vistos, nem se deram ao trabalho de retirar a publicidade da empresa... se calhar, começará a pensar que, se calhar, não sabe tanto como pensa e que, se calhar, lhe estão a vender "gato por lebre".
Aliás, eu vi a entrevista onde um repórter perguntava a um responsável governamental americano, a razão do não bombardeamento, daquela que é considerada, a maior fonte de rendimento dos terroristas. Se acreditar na resposta de que seria, apenas, para não poluir o meio ambiente, quando, nem falando na Líbia, a parte da Síria, ocupada pelos terroristas, pouco maior que Portugal, anda a ser bombardeada por: EUA, França, Inglaterra, Canadá, Dinamarca, Austrália, Países Baixos, Turquia, Rússia, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Jordânia, Bahrein... (às vezes até penso que devem ter que organizar um horário, para não colidirem num espaço aéreo tão pequeno) a resposta só pode ser, por gozo ou, realmente, pensarem que somos todos ingénuos ou totós.

Se não juntar os factos, usando a sua própria cabeça e, "comer" a informação que lhe é servida "pré-mastigada", só me lembro das palavras de Carl Sagan:

"One of the saddest lessons of history is this: If we´ve been bamboozled long enough, we tend to reject any evidence of the bamboozle. We´re no longer interested in finding out the truth. The bamboozle has captured us. It´s simply too painfull to acknowledge, even to ourselves, that we've been taken. Once you give a charlatan power over you, you almost never get it back."

E, francamente, se nem sequer queremos aprender nada, com as lições da História, realmente, nem sei o que andamos cá a fazer, se for só para fazer parte do rebanho, consumindo ou não consumindo, conforme nos ordenam, comprar tralhas e cangalhadas, discutir futebol, ver novelas, tirar umas selfies, repetir slogans tipo papagaios, comer, dormir e morrer... para isso, preferia nem ter nascido.
Quanto a acreditar na Democracia, deve estar a falar por si, não por mim.
Aliás, já deixei aqui a referência, de quem explica muito melhor, essa ratoeira, chamada Democracia:

YouTube:
https://www.youtube.com/watch?v=TZAu9oUTcyE
The Collectivist Conspiracy - G. Edward Griffin
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.01.2016 às 12:20

Não era minha intenção deixa-la desagradada com o meu comentário, apenas tentei partilhar a minha visão holística do nosso mundo.
E não sou totó nem ingénuo ao ponto de não desconfiar das campanhas de informação e manipulação da opinião pública, mas se devo desconfiar dessa informação, devo dizer que da mesma maneira eu desconfio das campanhas da contra-informação.
Anda tudo ao mesmo.
Sem imagem de perfil

De isa a 12.01.2016 às 14:21

Nunca me passaria pela cabeça, chamar-lhe ingénuo ou totó, primeiro porque pensei que tivesse ficado esclarecido que isso, será o pensamento, de quem nos fornece a informação manipulada, depois, porque nem sequer o conheço para poder fazer qualquer tipo de suposições mas, talvez entenda melhor o meu ponto de vista e, certamente, ficará mais esclarecido, se ler o comentário que acabei de deixar ao lucklucky.
Imagem de perfil

De cristof a 11.01.2016 às 16:51

Atropelou o que me realça mais , na gestão das noticias de Colonia : a propaganda anti Merkl, e a sua decisão de cumprir o direito internacional, sem sofismas e dar guarida a quem precisa.
Essa é que me parece a agenda principal; que outros/as cretinos aproveitem a boleia, talvez.
Sem imagem de perfil

De isa a 11.01.2016 às 18:01

Propaganda anti-Merkl ?????????????
Mesmo que não tenha uma filha ou uma neta, não consigo aceitar a superficialidade com que se refere a este assunto, especialmente, quando situações destas, não são novas e, seriam expectáveis.
Quanto a isso... de "dar guarida a quem precisa", esquecendo as implicações para as populações locais... não consigo acrescentar mais nada porque me falta o vocabulário... soft

Escolho um vídeo, entre muitos, por causa de uma 1ª foto onde se vê bem, como esses "que precisam de guarida" tratam as próprias mulheres, quanto mais as outras, cujo respeito, por educação secular, para eles valem zero.

YouTube:
https://www.youtube.com/watch?v=4b4dxIreMjg

The rape of Cologne - 1000+ migrants sexually assult German women
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 11.01.2016 às 23:00

cristof deve julgar que 1984 é um manual para ser seguido...

É preciso ser um caso especial de cegueira para falar de propaganda anti Merkel, quando os jornais e TV's têm censurado crimes cometidos há anos e só agora com o estouro começam a descrever.
E nada do que eles estão hoje a descrever é sequer 50% da verdade, que é bem pior. Que falem do que se passa nas Escolas para começar...

Suécia
https://sverigesradio.se/sida/artikel.aspx?programid=2054&artikel=6342236

Lágrimas de crocodilo hipócritas de jornalistas e políticos. A polícia faz o que outros dois mandam pois controlam a mensagem.

Alemanha
http://www.spiegel.de/international/germany/cologne-attacks-trigger-raw-debate-on-immigration-in-germany-a-1071175.html

Uma tentativa jornalista de gestão de crise no Der Spiegel .
Ainda assim deixam escapar coisas como zonas na Alemanha controladas por gangs e epidemias de assaltos e ataques cometidos por imigrantes(anteriores a esta vaga de imigração). Censurados claro.
Sem imagem de perfil

De isa a 12.01.2016 às 13:28

Ainda há pouco, deixei a minha resposta ao Manuel porque, concordo plenamente consigo, sobre a "cegueira" instalada e cultivada no sistema, com objetivos muito específicos, no entanto, precisamos de ir tentando que, cada um, vá acordando por si próprio, porque não há outra maneira, senão estaríamos a usar os mesmos instrumentos, de quem tenta manipular a informação.
Como diria Leonardo da Vinci:
"There are three classes of people: those who see, those who see when they are shown, those who do not see"

Eu já pertenci ao grupo do meio e, a minha esperança é que, mais alguns, nem que seja apenas por curiosidade, comecem a investigar e a pesquisar, sozinhos porque, só assim, poderão aceitar e, mais importante, comprovar, quais são, realmente, os que lhes andam a mentir, a sonegar informação ou, ainda pior, dizer meias verdades para, mais facilmente, fazerem cair nas mentiras, servidas no mesmo pacote.

Um sinal de alarme não apaga um fogo mas, se ele tocar muitas vezes e se, em vez de um, forem vários, passa a ser difícil, continuar a ignorar ou fingir que não ouvem... nem que seja, a tal curiosidade e, acabar por ter que ir averiguar se, é só avaria ou é mesmo fogo ;)
Confesso que o meu receio é demorarem muito e, ser tarde demais mas, também sabemos que, alguns (muitos), nasceram, mesmo, para gostar de viver num mundo tipo 1984... no entanto, se não desisto (e, às vezes, até me apetecia borrifar para os avisos), aos 58 anos tenho uma outra razão, por sinal, muito egoísta... não é esse tipo de mundo que quero, especialmente, para os meus três netos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.01.2016 às 18:41

Este é um assunto melindroso.
É muito difícil manter o equilíbrio.
Parece não vir a propósito, pelo assunto alegadamente ser outro, mas, uma vez há muitos anos, uma mulher do povo, bem católica apostólica e romana,
lá bem do interior geográfico, onde ainda não havia luz elétrica nem água canalizada, surpreendeu-me, ao partilhar com uma vizinha da mesma igualha, um aforismo que nunca meais esqueci:
- Aos homens,
dá-se tudo a comer
e nada a saber!...
Sem imagem de perfil

De BELIAL a 11.01.2016 às 19:35

Concordo.
Melindroso
Equilíbrio.

Enfim...mas, ferrem-lhes uma coça !!!
Sem imagem de perfil

De do norte e do país a 11.01.2016 às 21:33

onde param as vozes esganiçadas defensoras acérrimas das mulheres?

Sem imagem de perfil

De lucklucky a 11.01.2016 às 23:01

Essas vozes nunca quiseram saber das mulheres.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D