Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Santana: vitória clara no debate

por Pedro Correia, em 05.01.18

Só hoje vi o debate Pedro Santana Lopes-Rui Rio de ontem à noite. Felicito a RTP por tê-lo organizado em canal aberto, no cumprimento da indispensável missão de serviço público. Felicito o Vítor Gonçalves pela moderação serena, fiel à sua imagem de marca.

Quanto ao vencedor, nem uma hesitação: não liguem aos comentadores politicamente correctos que se apressaram a sugerir um "empate técnico". Nada disso: ganhou Santana. Não aos pontos, mas por KO.

Rio, arrasado, foi às cordas. Vê-se bem que lhe falta muita rodagem no exercício do contraditório. Nem parece que anda há mais de trinta anos na política, desde o tempo em que foi jotinha lá nos idos de oitenta.

Autoria e outros dados (tags, etc)


34 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 05.01.2018 às 15:10

Apenas vi uma pequena parte do debate mas, do que vi, concordo plenamente.
Sem imagem de perfil

De Jorg a 05.01.2018 às 16:33

Aceitando a sua avaliação de "scores", não fiquei convencido de que qualquer dos candidatos seja o líder que o PSD precisa em termos de mobilização eleitoral e para o confronto - para mim urgente - com a tralha geringonça.
Santana Lopes é demasiado congenial às pseudo-elites da capital, do Estado e para-Estado e apensas academias, mesmo depois de elas o terem arrasado aquando da sua curta intendência governativa - como alias se pode reparar ainda de recente, perante o "convite" geringonço para Santa Casa "financiar" o Montepio.
Rio, a partida mais desempoeirado, andou a aceitar demasiada vénia de quem foi, na era pós-bancarrota socretina, se preocupou mais em associar austeridade, sacrifícios a requintes de malignidade do governo Passos Coelho do que ao estado podre, pobre e de rasca amoralidade politica que foi o legado da governação socialista em 2011.
A pergunta que me ocorreu de forma recorrente durante o debate foi o que cada um deles teria feito em 2011, caso lhe tivesse saído em sorte ser chefes de governo sob a Troika?? Nenhum deles me convenceu que teriam tido a coragem de tomar medidas necessarias, ainda que duras, como as que foram tomadas - com erros, é certo, mas com determinação no caminho a seguir- pelo governo Passos Coelho. Nenhum deles me pareceu ser capaz de dizer não a Ricardo Salgado. Nenhum deles lidaria com "brutal aumento de impostos" com transparência e coragem.
Uma certa confirmação destas "intuições" veio na parte final do debate quando o moderador introduz o tema da recondução de Joana Marques Vidal como Procuradora-Geral da República - algo que implicaria um mínimo de palavras mais institucionais e circunspectas especialmente no quadro de uma disputa interna do PSD. Em vez disso, ouviram-se argumentos que deixariam bem contentes muitos próselitos da geringonça mais uns deserdados do antigo séquito do ex-presunto engenheiro domingueiro. Recitar argumentos que se prestam facilmente a caucionar a substituição da actual PGR é, como alias assinala Rui Ramos hoje no "Observador", um abrir a porta á Oligarquia já parcialmente restaurada pela Geringonça do Costa, para "mandar" um claro sinal aos magistrados e PJ para a não perturbação de "negócios".
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 17:51

Rio agarrou-se apenas às "trapalhadas" do governo Santana. Decalcando o argumentário do PS.
Esqueceu que já não estamos em 2004. Estamos em 2018 e desde então correu muita água debaixo das pontes. Como diz o povo, depois de mim virá quem de mim bom fará.
Acresce que - como Santana deixou bem claro, sem desmentido - Rio foi então, o tempo todo, primeiro vice-presidente do PSD e era assim co-responsável pela direcção política do partido, no mais alto grau.
Se discordava, tinha saído pelo seu pé. Tinha batido com a porta. Não saiu, não bateu. Calou-se.
As críticas retroactivas que faz a Santana pecam por virem com 14 anos de atraso.
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 05.01.2018 às 21:00

Concordo plenamente.
Excelente conclusão. Quem viu e ouviu , dificilmente terá outra leitura.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 23:25

Um tiro que fez ricochete. Só não causou danos maiores por ser tiro de pólvora seca.
Imagem de perfil

De Luis Moreira a 05.01.2018 às 16:59

Não sei como viram o que dizem. O único entre os três - Santana, Rio e Costa - que não tem gravíssimos rabos de palha é Rio e isso numa corrida a 1º ministro é decisivo.
Mas nós passamos a vida a criticar o populismo mas depois gostamos tanto dele...

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 17:45

"Gravíssimos rabos de palha." Parece coisa séria. Refere-se a quê?
Imagem de perfil

De Luis Moreira a 05.01.2018 às 22:44

Apesar de já haver por aí respostas ( ver observador) como é que Sampaio tinha em seu poder sondagens que, ao fim de meia dúzia de meses ( estado de graça) davam a maioria absoluta ao PS ? Era por Santana estar a governar bem ?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 23:26

Como ficou bem evidente no debate, Santana contou com o apoio incondicional - e até entusiástico - do seu primeiro vice-presidente no partido à época. Um tal Rui Rio.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 05.01.2018 às 17:28

Pedro, não foi isso que ouvi.

Aliás é ridícula a acusação de Santana Lopes sobre Rui Rio ter feito sabotagem ao PSD, quando o próprio Santana Lopes quis fundar um partido PSL, ao ser posto de lado pelo próprio PSD. O mesmo Santana que acusa Rio de congeminar com António Costa aceitou um cargo de nomeação política para a Santa Casa de Lisboa. Santana Lopes é um trapalhão. Ganharíamos mais ter Santana como comentador.

Mas percebo o Pedro. Santana é mais liberal. Rio mais Social Democrata ( é o que dizem embora eu não acredite que Rio seja Social )

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 17:47

Este debate destinava-se aos 70 mil militantes do PSD, não ao cidadão comum.
Rio esteve sempre na defensiva, sempre em posição autojustificativa.
Não o ouvi dizer uma frase incómoda para António Costa. Uma vez mais.
E ouvi-o, espantosamente, quase apelar à demissão de Joana Marques Vidal. Precisamente a PGR que mais impulsionou a investigação criminal no País nos últimos 40 anos.
O discurso dele podia ser de um candidato à liderança do PS.
Perfil Facebook

De Rão Arques a 05.01.2018 às 18:56

Será que tanto tempo depois vamos ter Marcelo/Santana em formato de proa?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 22:08

Só sei que nada sei. Como diria o melhor amigo do Santos Silva.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.01.2018 às 02:22

Oxalá não. O povo português gosta do Marcelo (e da geringonça também) mas não quer que o presidente e o governo tenham a mesma cor, pois isso dá total impunidade ao governo. Cavaco/Passos/Portas nunca mais!
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 06.01.2018 às 10:51

Ninguém como um anónimo para emitir certidões sobre aquilo que o povo gosta ou deixa de gostar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.01.2018 às 12:28

Não é só um anónimo. Já consultou as sondagens?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 06.01.2018 às 19:02

Você não é anónimo? Chama-se Sondagens? Quer ser consultado?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.01.2018 às 21:40

Santana e vitória na mesma frase.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 22:07

Texto sem comentador anónimo é como jardim sem flores. Todos juntos ainda hão-de fundar o Sindicato dos Corajosos.
Imagem de perfil

De Luis Moreira a 05.01.2018 às 22:32

Como é que acreditam que um político como Santana Lopes tem alguma hipótese numa eleição nacional contra Costa ?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 23:27

Eu não acredito nem deixo de acreditar. Limitei-me a fazer uma análise muito sucinta do debate de ontem. Que só vi hoje.
Imagem de perfil

De José da Xã a 05.01.2018 às 23:20

Disse precisamente o mesmo lá no meu espaço, ontem logo após o debate.
Tendo em conta que Santana é do nosso clube... acho que o boavisteiro Rui Rio sofreu uma goleada.
Mas o curioso é que tanto ontem como hoje já escutei coisas como:
- o RR foi muito frio ao atacar SL;
- o SL foi muito populista;
- RR foi mais assertivo;
- o SL foi muito demagógico.

Das duas uma: ou eu não vi e ouvi o mesmo debate que os diversos comentadores ou a minha noção de política deve estar desactualizada.
Bom fds.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.01.2018 às 23:30

Essas opiniões valem o que valem, meu caro. Mas se Santana e Rio estavam empatados antes deste debate, como tantas sumidades garantiam, então Santana agora está por cima. Porque saiu vencedor do frente-a-frente.
Imagem de perfil

De João Pedro Pimenta a 06.01.2018 às 01:22

Não posso deixar de concordar. E nem me espanta: Santana, com a sua longa tarimba em debates, discussões, e provavelmente com outra preparação teórica e ideológica e facilidade de verbo dificilmente deixar-se-á suplantar por Rio. Isto apesar de achar que o ex-presidente da CMP tem mais capacidade política e de execução, e de que Santana apresentar-se a líder do partido é um absoluto nonsense.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 06.01.2018 às 10:55

Rio esteve péssimo em tudo, a começar na linguagem corporal: rígido, nervoso, a olhar para fora do plano com cara de "tirem-me daqui".

Claramente, visivelmente, não estava preparado para o debate.
Deixou-se conduzir totalmente para o terreno que Santana determinou.
Foi incapaz de reagir às acusações de duplicidade moral implícitas no confronto entre o que diz agora e o disse à época na entrevista à 'Visão'.
Ficou claramente incomodado com a alusão a Paulo Morais, seu ex-número dois no Porto durante o primeiro mandato autárquico.

Imaginei como seria num debate a sério entre Rio e António Costa. Não custa imaginar.

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D