Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Presidenciais (23)

por Pedro Correia, em 08.01.16

                           Marcelo-Rebelo-de-Sousa-2-560x840[1].jpg OriginalSize$2014_10_31_09_18_53_236720[1].jpg 

 

Debate Marcelo Rebelo de Sousa-Sampaio da Nóvoa

 

Sampaio da Nóvoa não é o maior adversário de Marcelo Rebelo de Sousa nesta campanha eleitoral. O que o ex-director do Expresso tem mais a temer é a abstenção: os portugueses votaram três vezes em menos de dois anos e é notório o desinteresse em torno das presidenciais, que muitos consideram já com desfecho anunciado.

O potencial risco desmobilizador desta convicção que se instalou junto de tanta gente é o maior obstáculo que Marcelo enfrenta. E o tom de bonomia em que têm decorrido os debates, sem crispação nem aquelas "dramatizações" que noutros tempos faziam as delícias do comentador Rebelo de Sousa, só contribui para acentuar o desinteresse.

Faltava portanto "dramatizar". Marcelo precisava de concretizar esse desígnio no frente-a-frente com António Sampaio da Nóvoa em horário nobre da SIC, ontem à noite. Assim fez. Surpreendeu o seu antagonista ao "entrar em campo" como costumam fazer as equipas treinadas por Jorge Jesus no campeonato nacional de futebol: exercendo pressão alta desde os instantes iniciais, confundindo e contundindo o adversário.

Nóvoa demorou a reagir, traindo o embaraço com exclamações como estas: "Muito me surpreende..."; "é a primeira vez que ouço..."; "não estava à espera..." E quando recuperou do embaraço inicial notou-se bem que lhe faltam os dotes histriónicos e a experiência televisiva do colega catedrático que tinha à sua frente.

Foi um debate vivo, à moda antiga - daqueles de que se falarão mais tarde. Um debate em que Nóvoa proclamou: "O Presidente da República tem de se bater por causas. Eu não vim para deixar tudo na mesma." O primeiro debate a sério desta campanha até agora feita de palavras demasiado dóceis. De tal maneira que a moderadora, Clara de Sousa, acabou por ter uma intervenção residual - o que aliás fazia todo o sentido pois tratava-se de um verdadeiro confronto, não apenas de uma troca de amabilidade para cumprir calendário.

Deste debate as frases que os telespectadores mais retiveram foram, em larga medida, proferidas pelo candidato que conta com o apoio do PSD e do CDS: "Os portugueses sabem onde eu estive. O professor apareceu agora, virgem. Onde é que esteve? Onde é que esteve? Onde é que esteve?"

Embalado, Marcelo acusou o antagonista de querer passar "de soldado raso a general" e de possuir muito mais meios do que ele para fazer campanha eleitoral: "Eu não tenho a sua estrutura nem os seus gastos de campanha." Visivelmente incomodado, o ex-reitor de Lisboa advertiu-o: "Não vá por aí, professor, não vá por aí."

Estava o verniz quebrado. Era precisamente o que Marcelo queria.

 

Vencedor: Marcelo Rebelo de Sousa

...............................................................

 

Frases do debate:

 

Nóvoa  - «Sobre cada matéria nós temos 20 citações suas a dizer uma coisa e 20 citações a dizer o contrário.»

Marcelo  - «Mas disse! Eu dizia e o senhor não dizia. Eu expunha-me e o senhor não se expunha.»

Nóvoa - «Eu venho da crítica às políticas de austeridade. O professor Marcelo Rebelo de Sousa vem do apelo ao voto em Passos Coelho e Paulo Portas.»

Marcelo - «O senhor tem que trazer na lapela três ex-Presidentes da República. Eu não, eu não preciso.»

Nóvoa - «As suas afirmações sobre gastos excessivos na campanha em período de crise são antidemocráticas. É evidente que a democracia tem custos. A ditadura é muito mais barata, até se faz à borla.»

Marcelo - «Sabe quem é que meteu dinheiro na minha campanha até agora? Fui eu.»

...............................................................

 

O melhor:

- Num eficaz golpe de retórica, Sampaio da Nóvoa transformou o comentador Marcelo num adversário do candidato Marcelo: "Eu não me ouço só a mim mesmo. Não gosto de passar o tempo todo a falar sem ouvir ninguém. Essa é uma diferença fundamental que nos separa no exercício do cargo."

- Quando Nóvoa questionou a "forma no mínimo discutível" como o ex-presidente do PSD aproveitou a sua enorme exposição mediática como trampolim para a política, Rebelo de Sousa retorquiu de imediato: "Isso impediria António Costa de ser candidato a primeiro-ministro". Aludindo à participação de Costa, durante anos, no programa de comentário político Quadratura do Círculo.

O pior:

- O ex-reitor da Universidade de Lisboa fala na necessidade de "sangue novo" e "outras pessoas" na política. Mas confessa que só avançou na corrida a Belém após "longuíssimas conversas" com três ex-Chefes do Estado: Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio.

- Marcelo denunciou o "apoio tóxico" do MRPP à candidatura de Nóvoa, dando relevo a um facto irrelevante.

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.01.2016 às 20:04

"Embalado, Marcelo acusou o antagonista de querer passar "de soldado raso a general" e de possuir muito mais meios do que ele para fazer campanha eleitoral: "Eu não tenho a sua estrutura nem os seus gastos de campanha." Visivelmente incomodado, o ex-reitor de Lisboa advertiu-o: "Não vá por aí, professor, não vá por aí."
Estava o verniz quebrado. Era precisamente o que Marcelo queria."
Isto é de extremo mau gosto e se alguém quebrou o verniz, foi sem dúvida Marcelo. Marcelo andou ao longo dos anos a trabalhar para isto, daí não precisar de cartazes, pois todos o conhecem nas andanças de comentador que é para o que tem jeito, para Presidente não tem perfil. O que diz hoje, já não o diz amanhã, mas di-lo conforme o momento e os protagonistas. Marcelo esteve mal e notou-se a olhos vistos que estava pouco à vontade e ansioso.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.01.2016 às 22:39

Sempre me intrigou o facto de os apoiantes de Sampaio da Nóvoa comentarem aqui na condição de anónimos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.01.2016 às 00:59

Quem lhe disse a si que apoio Sampaio da Nóvoa? Isso não me impede de ver a mediocridade de Marcelo. Não sou o Sombra. Agora deu em adivinho!...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.01.2016 às 10:52

Sempre me intrigou o facto de os apoiantes de Sampaio da Nóvoa comentarem aqui na condição de anónimos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.01.2016 às 15:22

Engana-se redondamente e gosta de continuar enganado. É a sua opção e se isso o faz feliz, continue...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.01.2016 às 15:25

Meu caro, cada um sabe de si. Se assim se sente mais confortável faça o favor de permanecer incógnito.
Sem imagem de perfil

De Sombra a 08.01.2016 às 21:58

Quanto a este comentário "Rebelo de Sousa retorquiu de imediato: "Isso impediria António Costa de ser candidato a primeiro-ministro". Aludindo à participação de Costa, durante anos, no programa de comentário político Quadratura do Círculo."
Parece-me que o Pedro Correia e o MRSousa omitem uma grande diferença entre António Costa e MRSousa é que um estava num canal generalista, sem contraditório, em horário nobre (MRSousa) e o outro estava num canal privado, com contraditório, e fora do horário nobre (AC). Será uma pequena diferença? Para si sim, para outros, nem por isso. Sombra
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.01.2016 às 22:40

Este comentador é a sombra do primeiro. Como o nome indica.
Sem imagem de perfil

De Sombra a 08.01.2016 às 23:02

Estimado Pedro, permita-me tratá-lo assim.
Desconheço quem fez o comentário anterior (Anónimo). Não somos a mesma pessoa, isso lhe posso garantir. E tem todo o direito de duvidar.
Não sou apoiante de nenhum candidato. Quando fiz o comentário anterior, apenas quis salientar a diferença de comentário político entre AC e MRS. A diferença de telespectadores, mais nada. Após o seu comentário, ficarei realmente na Sombra. Pus apenas uma questão, mais nada... Mas desde já lhe dou os parabéns sobre o livro do dia, que faço questão de todos os dias ver, e das suas críticas literárias. Boas leituras. Sombra
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.01.2016 às 23:36

Não posso duvidar da sua palavra. E cumprimento-o sinceramente pelo seu pseudónimo, Sombra.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 08.01.2016 às 22:56

Enquanto o candidato Marcelo foi igual a ele próprio, o candidato Nóvoa mostrou, mais uma vez, a sua vacuidade, acentuada quando jogou algumas das cartadas (baixas) que os seus assessores lhe prepararam, como foi o caso da acusação de que o Marcelo quis, em 1982, extinguir (extinguir!) o SNS, quando integrava o governo, na qualidade de Secretário de Estado. Pode-se acusar o Marcelo de muita coisa, mas acusá-lo de querer acabar com o SNS ultrapassa o razoável – uma acusação desta só pode ser feita por alguém muito mal informado, para não dizer de má-fé. Por isso, foi fácil ao professor desmontar a falsa acusação, como também lhe foi fácil demonstrar que o seu adversário estava, habilidosamente, a truncar afirmações que havia feito em Fátima, há muitos anos, mostrando ser possuidor de uma memória prodigiosa.
Em suma, eu que nunca tinha assistido a nenhum outro debate, não gostei deste, muito menos gostei do candidato Dr. Nóvoa, que não sabe ao que veio, mostrando ter uma ideia incorrecta do papel do presidente da República portuguesa, à luz na nossa actual Constituição.

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 08.01.2016 às 23:37

Concordo, Tiro ao Alvo. O professor Nóvoa devia ter evitado essa acusação - demasiado fácil de ser desmontada.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D