Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Poucos ou muitos?

por Patrícia Reis, em 08.05.14

Os doentes com lúpus, diagnosticados e identificados, são quinze mil. Os medicamentos deixaram de ter comparticipação. Como é uma doença invisível, uma doença que a maioria não entende e que afecta sobretudo mulheres, pois não se diz nada. Entre corticóides, imunosupressores, medicamentos para as articulações e de protecção solar, venha o Diabo e escolha. Este é mesmo o Estado a que chegámos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


16 comentários

Sem imagem de perfil

De Competitividade nacional a 08.05.2014 às 10:03

Salário de trabalhador ucraniano nas estufas algarvias de framboesa por um mês de trabalho, SEM INTERRUPÇÕES ( as plantinhas não sabem quando é domingo ou feriado - é a justificação da "engenheira") - QUINHENTOS E SETENTA euros.
Pois, "cada um é pró que nasce" não é mesmo?
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 08.05.2014 às 11:48

Uma conhecida minha tinha isso quando vivia em Portugal. Emigrou para Inglaterra, nunca mais teve. A falta de sol é remédio santo para essa doença.
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 18:05

Luís, pode ser que sim, ainda bem para a sua amiga. Tenho duas em Londres e a doença mantém-se. Infelizmente.
Sem imagem de perfil

De Vera a 08.05.2014 às 11:54

Situação semelhante com a medicação para a esclerose múltipla (mas esta comparticipada a 100 %, julgo), que é cedida pelos hospitais e não é fácil ( senão mesmo impossível) consegui-la fora deles. Tenho um caso na família, de um jovem com 28 anos, e cuja condição tem vindo a degradar-se devido à falta de medicação no hospital que o "fornece"...
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 18:06

Lamento imenso a situação, decerto existem outros casos e doenças, não mesmo a menor dúvida. Esta chamou-me a atenção por ser algo perto de casa, como se costuma dizer.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 08.05.2014 às 11:58

Como é uma doença [...] que afecta sobretudo mulheres, não se diz nada.

Não me parece que esta afirmação tenha fundamento. Há muitas doenças que afetam sobretudo mulheres - o caso mais conhecido é o cancro da mama, que apenas atinge um número residual de homens - e que são faladas. E há muitas doenças que atingem sobretudo homens e de que quase não se fala.
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 18:07

Há doenças que afectam as mulheres em particular e outras os homens? Evidente, não acho que exista qualquer erro na forma como me expressei, mas se leio de outra forma, pois peço desculpa.
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 18:13

se leu... é uma gralha, peço desculpa.
Sem imagem de perfil

De Fátima a 08.05.2014 às 17:48

Patrícia, este governo é de tal maneira autista que não vê nada, além deles mesmos. É dramático, ao ponto onde chegámos, em pleno século XXI e mais dramático é, quando o ser humano deixou de ter valor, valor esse que hoje é dado ao dinheiro e nada mais. Dinheiro, dinheiro, mercados, mercados, é disto que se fala, o ser humano não interessa e até incomoda, quando aborda assuntos que podem atrapalhar-lhes o rumo que levam.
Sem imagem de perfil

De leoncio a 08.05.2014 às 17:56

Apenas para esclarecer: um ou uma doente com um rendimento de 55 000 € anuais que sofra de lúpus deve ter os seus medicamentos participados na mesma proporção de quem tenha um rendimento de 5 500 € anuais?
Deve alguém que tenha 350 € por mês contribuir, através dos impostos - do IVA, por exemplo -, para que alguém que em Portugal teria uma vida agradável, fique ainda com mais rendimento disponível?

Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 21:56

Não, mas esse pensamento aplica-se a tudo, certo?
Sem imagem de perfil

De IsabelPS a 08.05.2014 às 20:27

Patrícia, isso parece-me tão estranho que estou a tentar verificar. Tem mesmo a certeza? Palpita-me que o que se passa é que, sendo uma doença multissistémica, os doentes consideram que muito mais medicamentos do que os que são actualmente comparticipados deveriam ser incluídos. Provavelmente com carradas de razão. Mas não é bem a mesma coisa que "Os medicamentos deixaram de ter comparticipação".
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 21:58

Isabel, é a informação que tenho e de uma fonte que considero fidedigna, mas quem sabe e quem sou eu? Pelos comentários que tantas vezes aparecem, dou por mim a pensar que o melhor é ficar calada.
Sem imagem de perfil

De perguntador a 10.05.2014 às 23:21

Perguntei há dias, aqui, tudo comparticipado, na mesma proporção, a uma mulher com 50 000 euros de rendimento e a uma outra com 5000.
Teriam o mesmo desconto?
E tudo pago com o IVA de quem até pode só ter 300 euros por mês?
É óptimo ver como gosta de abordar estas questões.
Imagem de perfil

De Patrícia Reis a 13.05.2014 às 18:11

Meu caro, não entendo a ironia do seu comentário, mas quer saber? Não faz mal, devo ter de tomar um comprimido. E como não ganho nem 50 mil, nem cinco mil. A minha avó tem uma reforma terrível e uma doença de coração. Nós ajudamos? Sim, ajudamos. E ainda bem. Quanto a frase: "é óptimo ver como gosta de abordar estas questões", como não sei quem é, escuda-se num nome que não o identifica, não sei como reagir, logo é melhor não o fazer.
Sem imagem de perfil

De perguntador a 14.05.2014 às 16:38

O meu "protesto" é com a comparticipação por doença e não por doente.
E não creio que haja discriminação por ser uma doença mais frequente no sexo feminino. Creio, até, que as investigações das doenças auto-imunes estão entre as mais avançadas.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D