Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pensamento da semana

por Helena Sacadura Cabral, em 26.08.17

"A vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo que recorda e a maneira como o recorda.”

Esta é a frase de Gabriel García Márquez que escolhi para acompanhar o pensamento do Delito durante esta semana.

 

Este pensamento acompanhou o DELITO durante toda a semana

Autoria e outros dados (tags, etc)


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria a 20.08.2017 às 10:11

Escolheu muito bem, Helena.
A cada dia isso é mais verdade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.08.2017 às 10:12

Poder-se-ia dizer que o génio dos artistas consiste na capacidade de exprimir de forma surpreendente aquilo que é óbvio.
Na verdade o que nos acontece é algo objetivo, exterior a nós, inatingível.
O que nos pertence é o impacto que os acontecimentos produzem em nós e que incorporamos na nossa subjetividade.
Tanto assim é que o mesmo acontecimento produz diferentes efeitos em diferentes indivíduos.
Esta dicotomia é o objeto de teorias filosóficas, nomeadamente do idealismo e do realismo, com implicações óbvias na gnoseologia.
Bom domingo!
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 20.08.2017 às 10:13

Muito na " linha" de Marcel Proust.
Invocamos passados , imaginamos futuros tanto mais vezes quando o agora do presente nos é insuficiente. Pela recordação, pela projeção somos capazes de vivermos não uma, mas três vezes sempre em outros papéis daquele que agora pensamos ser. Somos sempre três.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.08.2017 às 10:15

... gnosiologia...
João de Brito
Sem imagem de perfil

De Beatriz Santos a 20.08.2017 às 10:58

Eu diria que a vida de uma pessoa são as duas coisas juntas. Se a forma como recordamos é importante e nos determina, não o é menos a que adoptamos para viver o que nos acontece. Viver, está muito além da recordação.
Imagem de perfil

De Helena Sacadura Cabral a 20.08.2017 às 18:09

Beatriz
Podemos ser dois ou mesmo três se nos posicionarmos no futuro. Mas na verdade quando lembramos a nossa vida anterior, já não somos a pessoa que a vivenciou. Quanto ao futuro é idêntico porque aquilo que idealizamos viver será diferente do que viveremos, porque nessa altura já não seremos os mesmos do presente.
E até no presente, passam-se dois meses a ouvir falar de fogos no país e o que sentimos nos de hoje já não é semelhante ao que sentimos em Pedrogão Grande...
Sem imagem de perfil

De Beatriz Santos a 20.08.2017 às 23:09

Creio que em relação aos fogos o meu sentir é, em cada um, muito semelhante; Pedrógão é de memória pungente, ceifou muita vida humana.
Quanto à finitude do tempo infinito o que escreve é verdade, mas não incomoda o que penso. Tudo depende do bocadinho de tempo que se pretende defender e da perspectiva em que nos colocamos. Como deve ter entendido, prefiro o filósofo que escreveu, "somos e não somos os mesmos" e, quem sabe ele o pensou sobretudo por sermos temporais.
Sem imagem de perfil

De Vento a 20.08.2017 às 12:07

Pessoa - "O Poema do menino Jesus"
e
"Sweet mistery of Life"

https://www.youtube.com/watch?v=HakV--x6LXM

Sem imagem de perfil

De kika a 20.08.2017 às 15:38

En fin de compte,tout s'arrange,sauf
la difficulté d'être qui ne s'arrange pas.
J.Cocteau
Sem imagem de perfil

De Zeus a 20.08.2017 às 15:44

"A vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo que recorda e a maneira como o recorda.”

Já foi assim mas, muito em breve, deixará de o ser.

Há muito tempo que os seres humanos foram colocados numa panelinha, em lume muito brando, onde vão ter o destino de meros caracóis quando, sem darem conta, também vão acabar na posição certa para, facilmente, lhes ser enfiado o palito.
Têm sido bem preparados e se, "antes de", aos caracóis dão batata ou farinha, aos humanos deram muitas ideias, até como abdicar da responsabilidade sobre a sua própria vida e, também, muito bem temperados mas, em vez de orégão ou poejo, umas boas pitadas de preguiça, "facilitismo" e irresponsabilidade, uma receita perfeita, para acabarem nas mãos de muitos vendedores, não de caracóis mas, de banha da cobra.

A diferença entre seres humanos e animais, era (cada vez é menos) poder antecipar consequências das suas escolhas e acções, saber avaliar todas as alternativas e, como organizar-se com outros seres humanos para, assim, poderem evitar determinadas consequências. Ao entregar e perder o controlo sobre o seu próprio destino, passaram a simples caracóis, divididos em sacos, com Respectivos Rótulos, perdendo capacidades de autonomia e, das simples aptidões de sobrevivência.

Qualquer grão de areia que entre nas suas vidas, um qualquer evento, como não abrirem as lojas, os "patrões externos" decidirem fechar a torneira ao papá Estado ou um EMP/PEM que lhes desligue os smartphones, habituados a nem pensar, já pouco deve faltar, para se lhes faltar uma app, não saberem o caminho para casa.

Coincidência, acaso, um evoluir Natural e NORMAL da Humanidade?
No tipo de Mundo para onde caminhamos, querem-nos completamente Dependentes e, simples arrendatários de Tudo, até o que sirva para apenas sobreviver, só assim, faremos tudo o que nos mandarem, até a troco de um prato de comida. Na Europa já há escolas primárias que têm de ensinar que os ovos são postos pelas galinhas, não pelos repositores, de prateleiras de supermercado.

Cada vez mais afastados do Natural e da Natureza que passou a servir, só, para ser Visitada e, lentamente, tudo a pagar, em vez de se saber fazer, a grande maioria já só sabe consumir, de preferência, tudo feito e, de preferência, com químicos porque sem eles, começa a ser para uma minoria.

Como deixámos de pensar nas consequências porque, constantemente, nos repetem que "Fazem Tudo para Nosso Bem", seja vender a Nação ou a caminho da I.A. (inteligência artificial) ou, melhor dito, I.A. Inteligência Autónoma, onde o ser humano passará a ser totalmente irrelevante e, isto, dito por quem ajudou e, continua a ajudar, a criar a nossa própria Obsolescência.

É, neste ponto que voltamos à frase e a um "Pormenor" porque, vão precisar que aceitemos esta "Não Vida" mas, vendida com as mesmas "boas intenções" de sempre, aquelas de que o Inferno está cheio.

Há guerras, fome, tanta coisa errada que precisamos mudar mas, milhões não faltaram para os cientistas conseguirem Apagar Memórias dolorosas, mais uma peça do puzzle, enfiada goela abaixo dos distraídos que, estejam onde estiverem, já não estão em lado nenhum, de olhos postos no smartphone, até ao dia, de nem as memórias lhe restarem... zombies? escravos? caracóis?
Pode variar porque até já conseguem implantar Memórias Novas... tudo muito Natural e, milhões, sempre gastos "Para o Nosso Bem" e da "Humanidade"...

"Scientists Already Know How to 'Erase' Your Painful Memories... And Add New Ones"
https://www.sciencealert.com/scientists-have-figured-out-how-to-to-erase-your-painful-memories

Scientists discover the on-off switch for human consciousness deep within the brain
https://www.extremetech.com/extreme/185865-scientists-discover-the-on-off-switch-for-human-consciousness-deep-within-the-brain
"Researchers at George Washington University are reporting that they’ve discovered the human consciousness on-off switch, deep within the brain"

Ligar e Desligar a Consciência?
De onde virá o dinheiro para pesquisas "tão importantes"?
Se ainda não perceberam, para onde vos estão a levar, provavelmente, vão acabar por nunca saber, já devem ter sido Desligados mas, como há quem pense que só é importante viver o Presente que venha o Futuro, com Novas Memórias e uma Vida de Couve-Portuguesa.
Imagem de perfil

De Helena Sacadura Cabral a 20.08.2017 às 18:11

Caro Zeus
Não sou tão pessimista. Provavelmente porque já não estarei viva quando da explosão desse cataclismo.
Sem imagem de perfil

De Zeus a 20.08.2017 às 19:43

Serei eu pessimista?
Se calhar, ainda não ouviu os pessimistas.

https://www.youtube.com/watch?v=2G0g5lrIh9U&feature=em-uploademail
MASS EXTINCTION event now under way that will decimate the global human population
(versão oficial mas, explicando as causas, verdadeiras, não oficiais)

Por mim, até ao último segundo de qualquer "inevitável", seja Natural ou man-made, tentarei acordar quem dorme ou já foi desligado.

Sabe que, com o seu comentário, quase conseguiu fazer-me perder a Fé na Humanidade?
"Não ser pessimista porque já não estarei viva quando da explosão desse cataclismo"?
Qual deles?
Quem ficar cá ou vier depois que feche a porta?
Isto sim, consegue mesmo deprimir...

Sei que não será a única pessoa a pensar assim e, ainda há, para ajudar a ser mais depressa, os que deliberadamente colaboram, pensando escapar, por milagre, fortuna ou posição social mas, a todos, seja em que categoria se enquadrem, eu desejo uma vida bem longa e, nem é preciso ser nada de extraordinário, normal na minha família serão os 92/94.

Como não se pergunta a idade a Senhoras, digamos que pode fazer as contas porque faltará muito menos mas, muito menos de uma década para, ninguém ter dúvidas que deviam ter começado a pensar, mais cedo, em vários assuntos.

No entretanto, mesmo que, a nível global, muitos não consigam mudar nada, aconteça o que acontecer, no mínimo ficará escrito e, em muitas línguas, de que não há acasos, nem coincidências.
Nada mudará se, diariamente e Conscientemente, em vez de cada um usar a sua Consciência Moral e Livre Arbítrio, continuar a ser, mero pau-mandado ou, apenas, um seguidor de ilusões vendidas por uns...

...fiquei num impasse... com demasiadas palavras e pouco espaço...
Imagem de perfil

De Helena Sacadura Cabral a 21.08.2017 às 19:42

Caro Zeus, não perca a fé. Mas lembre-se que tudo aquilo que eu faça para o bem das gerações seguintes, muito possivelmente não será, nem de perto nem de longe, o que essas gerações desejarão para si mesmas. O que a geração dos meus pais fizeram pela minha, foi diferente daquilo que eu quis para mim e por que lutei.
Esse era o sentido da resposta que lhe dei. Hoje vejo os meus netos e sorrio ao pensar no que fiz por eles e para eles...
Sem imagem de perfil

De Zeus a 24.08.2017 às 12:27

"ao pensar no que fiz por eles e para eles"

Passei pelo mesmo, contentar-me com aquilo que faço pelos que me são próximos mas, há muito mais para além desse pormenor.

Com a nossa Percepção limitada, por todo o tipo de barreiras virtuais, sejam palavras, rótulos ou a nossa própria visão limitada, só equipada para ver uma pequeníssima fracção da realidade, fica difícil sair desta "caixinha" onde acabamos por basear e limitar toda a nossa experiência.

Comprovado cientificamente de que tudo é energia e que, se víssemos através de um potente microscópio a própria matéria que pensamos ser sólida, não passa de partículas sempre em movimento mas, pela sua baixa vibração, a nossa visão não tem capacidade de vislumbrar.

O nosso maior erro, para continuarmos com o Mundo que temos é não usar a capacidade que nos consegue distanciar do ilusório material, bem descrito por Tesla "If you want to find the secrets of the universe, think in terms of energy, frequency and vibration" (Quem quiser compreender o Universo, tem de pensar em energia, frequência e vibração)

Somos seres feitos de partículas de energia, com uma determinada frequência e vibração, como tudo o que nos rodeia mas, facilmente, somos aprisionados a conceitos completamente ilusórios, sem conseguir ver "the big picture".
Muitos até podem sentir como a energia pode melhorar ou até mudar, quando alguém entra numa sala, no entanto, ficam por aí e nem lhes interessa saber o porquê.

Se somos energia, desconfio que "no final", muitos se vão surpreender porque a energia não pode ser criada nem destruída, apenas ser transformada, passando a outra forma de energia e, apesar de tanto evoluir no conhecimento e ciência, continuamos a viver como se não houvesse mais nada, um simples saco de carne que nasce, vive e morre.
Apesar de pouco restar da Natureza que o Homem não tenha manipulado, temos o exemplo de uma floresta onde o que parece morrer, é apenas energia que se transforma para alimentar essa floresta, voltando na mesma ou outra forma, num eterno ciclo de energia, onde nada se perde e tudo se transforma.

Não sei como mas, em vez de evoluir, continuamos cada vez mais subjugados aos nossos 5 sentidos, portanto ao ilusório, reduzidos a um temporal finito sem nunca querer ver que fazemos parte de um ciclo maior onde o Tempo nem sequer existe, outra criação humana.
Na verdade, convém a uma minoria que nos escravizemos a nós próprios, só assim e, muito facilmente, nos podem controlar ou manipular, basta o medo de "perder coisas", tão convincentes mas virtuais ou de morrer, vendo a morte como um fim e não como mera passagem, de uma forma de energia para outra.

Tirando a parte científica, o resto só consigo explicar através de velhas metáforas mas, por vezes, incompletas pois, como explicar que convivemos com pessoas em vários estágios de percepção da realidade, razão principal, de ninguém parecer entender-se e os permanentes conflitos que uns poucos aproveitam e até incentivam.

Imaginemos uma sala de cinema onde há os que acreditam, piamente que a Realidade se resume ao filme que estão a ver no écran. Há os que vêem o projector e começam a duvidar da realidade do filme, uns vão mais longe, vendo quem está a trocar as bobines, os que aproveitam para ver não só a sala de projecção como o que se passa atrás do écran e aqueles que invejo no bom sentido, conseguem ver o que está fora do edifício chamado cinema.
No fundo, o percurso que todos deveríamos fazer, talvez a única finalidade desta nossa passagem, conhecermo-nos a nós próprios e aprender, não a fazer por uns ("meus") mas, por todos e, de certeza, os "meus" ganhariam muito mais, facilitando a sua passagem num Mundo, realmente, melhor.

Mais fácil dizer do que fazer porque, entre ego e tralhas, cada um tem os seus próprios desafios, o maior problema é, muitos, nem saberem desses desafios. Pensam conhecer bem a parte que julgam "sólida" e que a energia do Espírito deve servir para enfeitar Convencidos nada poder controlar ou mudar, aceitando limitações, quando nem sequer usam a sua Consciência Moral e Livre Arbítrio e, sem questionar nada, só sabem obedecer e se subjugar (seja ao dinheiro, políticas, religião... modas)
Vida, constante e difícil aprendizagem mas, que valor teria se, tudo fosse simples ou fácil de obter?
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 25.08.2017 às 08:09

Se a nossa perceção é limitada a unica forma de levarmos a sério o seu catecismo dogmático é sorrindo e na maioria das vezes desejando-lhe algum tipo de cura.
Sem imagem de perfil

De glu glu a 22.08.2017 às 00:46

"tentarei acordar quem dorme ou já foi desligado."

infelizmente a História da Humanidade está repleta de indivíduos que pretenderam "acordar" os concidadãos ("desligados"?!) para a "realidade", Sua "realidade".
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 25.08.2017 às 08:06

A diferença entre animais e animais humanos reside na produção de ideias morais/ politicas, e na capacidade que temos de matar e ser mortos por elas. Já viu alguma galinha fazer greve de fome em nome da liberdade?
Mais discernimento, e mais pensamento, e menos anedótico psicótico
Sem imagem de perfil

De glu glu a 20.08.2017 às 19:09

depende da perspectiva, se a do próprio se a de um observador. a nossa vida acabará também por ter sido aquilo que a nossa família e amigos recordam de nós.

... e o nosso já quase indelével "rasto digital".
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 23.08.2017 às 12:09

Podemos ser centenas ... O que acontece a todos é experimentado diferentemente por cada um. E se começarmos todos a falar sobre o quê aconteceu, cada um terá seguramente uma história diferente para contar.
Mal de nós se fossemos automatizados ao ponto de sermos iguais na engrenagem e marcássemos o compasso das nossas vidas com precisão suíça.
Uma frase de um grande autor que foi muito bem lembrada para fazer pensar.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D