Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pensamento da semana

por Pedro Correia, em 18.05.17

 

Futebol, Fátima e fado: vitória póstuma de Salazar.

 

Este pensamento acompanhou o DELITO durante toda a semana.

Autoria e outros dados (tags, etc)


36 comentários

Sem imagem de perfil

De V. a 14.05.2017 às 13:59

Tenho a nítida impressão de que Salazar detestaria todos eles — como eu detesto as nossas terras e a nossa paisagem estragadas por mau urbanismo e o gosto popular na vertente desleixada que se aproxima da crendice interesseira e pouco abstracta que o Papa não se esqueceu de condenar na homilia. A aversão dos padres a Fátima tem a ver com isso. Gostavam que o povo se ligasse a Cristo pela forma filosófica em vez de terem de andar a pendurar pescoços, pernas e tornozelos de cera nas capelas. Mas não é assim que as pessoas se ligam ao Aquilo...
Sem imagem de perfil

De Costa a 14.05.2017 às 18:05

Razões haverá para que a Igreja não condene de forma expressa, alto e bom som, em linguagem clara e inequívoca, de uma vez por todas, a fé de transacção. É fácil, dispensa de pensar, desresponsabiliza (é a vontade de Deus...). Mas é uma pena.

Costa
Sem imagem de perfil

De Nebauten a 14.05.2017 às 20:57

Costa já entrou numa Igreja? Santinhos e Santinhas, Anjos e Querubins, Incensórios e Altares. Padroeiros do trovão e fogos de artifícios. Padroeiros de Santos ofícios. Ex votos e Agnus dei. Tudo crendice. Tudo sandice. Tudo pagão. Tudo idolatria. Mas o pior de tudo e de Todos é venerar um homem, filho de uma adúltera, que morreu pregado numa cruz. Antes o Sátiro do Bosque, ou o Tritão, ou Dionísio. Tudo menos falsos profetas. Tudo menos descendentes de Betsabes, e prostitutas de Jericó.
Sem imagem de perfil

De Costa a 14.05.2017 às 21:53

Já entrei, sim senhor. Até já por lá estive, calcule, como sujeito principal da cerimónia a celebrar.

Quanto ao resto, parece-me que você passa num ápice da crítica legítima e merecedora de discussão à crendice e idolatria que tantas vezes (ainda que ingenuamente bem intencionada) toma o lugar da religião, para a provocação pura e simples. Fará o favor de não contar comigo para "debates" dessa índole.

Costa
Sem imagem de perfil

De Nebauten a 14.05.2017 às 23:05

Meu caro, se já leu a Bíblia saberá que num qualquer livro do NT consta a descendência de José, pai de Jesus. Não inventei nada. E saberá que num dos Evangelhos, José rejeita inicialmente Maria por esta se apresentar grávida ao casamento. E que a ideia de castidade e Pecado original foi propagada por um debochado que foi Santo Agostinho .O Cristianismo comeca numa adúltera, da Galileia, e acaba num neurótico de Hipon.
Sem imagem de perfil

De Einstürzende Neubauten a 15.05.2017 às 10:33

"qualquer livro do NT consta a descendência de José, pai de Jesus.

Raabe - Raabe era uma prostituta
Rute - casa com Noemi, e por isso é lésbica
David gerou a Salomão daquela que fora mulher de Urias, Betsabé
(...)
Jacó e gerou a José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama Cristo.

Queria dizer Ascendência de José.

Sobre José e Maria:
"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava desposada com José; antes de coabitarem, notou-se que tinha concebido pelo poder do Espírito Santo. José, seu esposo, que era um homem justo e não queria difamá-la, resolveu deixá-la secretamente."
Sem imagem de perfil

De V. a 14.05.2017 às 23:10

O nosso fundo cósmico é o paganismo celta, é isso que ainda somos — O cristianismo na Europa erigiu-se sobre as antigas práticas, entre os carvalhos e os javalis e as histórias aldeãs com uma moral no fim. Os santos substituíram os heróis e os mitos de fundação das terras — e a Igreja sabiamente deixou que o campo continuasse a ser campo. O que ainda somos é graças ao Altíssimo, porque a intelectualidade de esquerda sempre quis apagar esses traços culturais e identitários (à excepção dos cantares Alentejanos que falam de fazer pão) e fazer de nós uma mistela mediterrânea com a qual só partilhamos a hortelã de burro e o azeite (e a flor do Lácio porque os visigodos a adoptaram).
Sem imagem de perfil

De Nebauten a 14.05.2017 às 21:03

Afortunados os que crêem, não vendo. Afortunados os que encontram dentro de si o que procuram fora. Mas Plotino não é para todos.E por isso a necessidade de curto-circuitar pela oração às nuvens.Também as rans o conseguem fazer.
Sem imagem de perfil

De V. a 14.05.2017 às 23:12

Meu caro, tu tens rans mas não tens tino!
Sem imagem de perfil

De Einstürzende Neubauten a 15.05.2017 às 10:34

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D