Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O mistério do jornalista Sebastião Pereira.

por Luís Menezes Leitão, em 23.06.17

Como esta notícia bem demonstra, foi praticado um crime grave em Portugal. Há um indíviduo que escreve para o El Mundo, intitulando-se Sebastião Pereira, e que, com inaudita má fé, informou o povo espanhol de que a carreira política do nosso querido Primeiro-Ministro pode estar em risco com os incêndios. Que ignomínia! Nunca o nosso amado Primeiro-Ministro ou sequer o mais obscuro Secretário de Estado deste governo pode ter a carreira política em causa com um incêndio que matou apenas 64 pessoas.

 

Mas felizmente que já está a decorrer uma investigação jornalística séria que descobriu que o nome Sebastião Pereira não está registado como jornalista e se trata de alguém que se esconde sob um pseudónimo, violando todas as regras da deontologia. Não sabem que o uso do pseudónimo é expressamente proibido para qualquer jornalista? Não sabem que Mário Castrim se chamava mesmo assim? E têm alguma dúvida de que o Primo Basílio, o Agapito Pinto e o Agapito Pinto Filho, que em tempos escreveram no Correio da Manhã, eram pessoas reais e que nada têm a ver com um senhor que por acaso hoje até ocupa o palácio de Belém?

 

Há que esclarecer rapidamente o mistério do torpe jornalista que se esconde sob o pseudónimo de Sebastião Pereira. Deve ser seguramente alguém ao serviço de interesses ocultos, que não querem que o país continue a viver como habitualmente, feliz sob a gestão do excelso governo da geringonça. Este, demonstrando a sua enorme queda para a literatura, reage aos incêndios perguntando, como António Lobo Antunes, "que farei quando tudo arde"? E, quando o referido jornalista for apanhado, impõe-se rapidamente que ele seja imolado pelas suas horrorosas blasfémias em auto-de-fé no terreiro de Belém. Isto se entretanto não tiver surgido qualquer outro incêndio que se possa aproveitar para o efeito.

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 23.06.2017 às 23:31

Certos jornais cá da paróquia parecem ter investido mais tempo, espaço e meios na "investigação" de quem era o novo correspondente do El Mundo em Portugal (que se atreveu a escrever um artigo nada lisonjeiro para o PM) do que na investigação de todas as falhas técnicas, logísticas, administrativas e eventualmente até políticas ligadas à tragédia de Pedrógão. E é verdadeiramente espantoso o coro de virgens ofendidas perante a existência de pseudónimos na imprensa espanhola.
Isto quando em Portugal sempre existiram pseudónimos na imprensa. Desde o célebre Repórter X a um tal Clain d' Estaing (que mais tarde se soube ser 'nom de plume' de Mário Soares como correspondente do diário 'República' em Paris).
Imagem de perfil

De Luís Menezes Leitão a 24.06.2017 às 09:17

Tens toda a razão, Pedro. E enquanto se monta uma campanha de desinformação sobre o acessório, não se apuram as responsabilidades, como era essencial. Isto é bem denunciado pelo Alberto Gonçalves neste artigo, que não por acaso foi corrido de toda a imprensa escrita
http://observador.pt/opiniao/morrer-entre-brutos-e-triste/
Sem imagem de perfil

De JS a 24.06.2017 às 09:40

Exacto. Quanto mais se lê e houve, sobre a floresta, mais tudo isso faz lembrar a fraze do empresário da Agência Funerária: "Gosto muito de toda a gente, mas também preciso de viver".
Sem imagem de perfil

De JS a 24.06.2017 às 09:53

Anda por aí 1 [ag′a] a +. 10 culpem sff.
Sem imagem de perfil

De Vento a 24.06.2017 às 12:57

É treta a prevenção dos incêndios.
Como sou um ser divino, reconhecido internacionalmente nesta qualidade, deixo aqui um registo parcial de minha luta contra o aquecimento global.
Na qualidade de Vento já ando há milénios a apagar fogos e a arrefecer ambientes.

https://www.youtube.com/watch?v=2GJ9T-p13cw
Nota: neste vídeo poderão ver-me empenhado em arrefecer a gaiola de Monroe. Não vá o passarinho entrar no lar e sofrer um colapso por sobreaquecimento.

E para que não me acusem de não ser universalista, deixo aqui outra prova da mesmíssima actividade. Desta feita preocupado com a temperatura da gaiola de uma rapariga in red, isto é, ao rubro.
https://www.youtube.com/watch?v=pEoh3RwTNuo

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D