Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Ministério da Verdade

por Diogo Noivo, em 25.07.17

Screen Shot 2017-07-24 at 11.11.13.png

 

O Ministério da Verdade, que por cá chamamos de Administração Interna, informa que o "número [de mortos] validado pelas autoridades competentes" é de 64. Passando à frente do atrevimento subjacente à utilização da palavra "competentes" e perdoando a falta de acentos, sabemos já que o número de mortos nos incêndios em Pedrógão Grande é superior ao "validado".
A postura do MAI, e em particular de quem o tutela, tem sido miserável. Ano após ano, a Ministra chega tarde e mal à dura realidade dos fogos, além de ser incapaz de controlar o caos que impera no ministério. A este quadro lamentável junta-se este tweet que, ao instrumentalizar cadáveres para fins de controlo de danos políticos, nos leva a um patamar de abjecção inaudita.
Importa recordar que não é a primeira vez que o Ministério da Verdade recorre ao Twitter para definir a agenda: depois dos incêndios, o MAI deu nota da subida do PS nas sondagens. Isto é, depois de uma tragédia horrorosa, mete-se o Estado ao serviço do partido num canal de comunicação que se quer oficial. Está visto que quem manda na casa tem as prioridades bem definidas.

Resta-nos, infelizmente, o alerta de "1984":
 
"And when memory failed and written records were falsified—when that happened, the claim of the Party to have improved the conditions of human life had got to be accepted, because there did not exist, and never again could exist, any standard against which it could be tested".
 
ADENDA: A Ministra da Verdade afirma que não há dificuldade no acesso à informação, mas a Associação Portuguesa de Seguradores veio dizer o contrário. Contudo, a verdade "validada" é só uma e a distopia orweliana avança.
 
ADENDA 2: Segundo Diário de Notícias de hoje: "O relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), tutelado pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, contraria a tese do governo para o incidente com um helicóptero que combatia um incêndio em Alijó no dia 16 de julho. Nesse dia, segundo lembra a TSF, o ministério da Administração Interna disse tratar-se de uma aterragem de emergência e não de uma queda".

Autoria e outros dados (tags, etc)


17 comentários

Sem imagem de perfil

De rão arques a 25.07.2017 às 08:01

Cheira a esturro. Convinha saber em que termos e de que modo o 1º ministro perguntou e o que argumentou para sustentar a pergunta sobre os mortos em segredo de justiça. De igual modo era importante tomar conhecimento do que e como a Sra. PGR respondeu, e em que normativo sustentou a resposta. Se existe alguma coisa escrita façam favor de divulgar porque um assunto de tal gravidade não pode ser tratado com um simples telefonema ou conversa de café. Ficar-mos a saber como e em termos foi efectuado o contacto entre o 1º ministro e a PGR não é com certeza segredo de justiça. Sobre este episódio em concreto da alegada pergunta do Dr. Costa tem a palavra decisiva a Sra. PGR.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 25.07.2017 às 08:43

Este tuíte é uma prova irrefutável de indigência intelectual. Desde logo ao assumir que o MAI é uma "autoridade incompetente".
Sem imagem de perfil

De Alain Bick a 25.07.2017 às 09:15

ainda não ouvi
'tou-me cagando no segredo'
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 25.07.2017 às 09:36

O governo já esclareceu por diversas vezes que as "autoridades competentes" na investigação deste caso é o Ministério Público, o qual é independente do governo. Não é ao governo que cabe dizer nada sobre o caso, é ao MP.
Sem imagem de perfil

De sampy a 25.07.2017 às 12:29

Pela tua lógica, Lavourinha, sempre que o governo refere o número de mortos, está a violar o segredo de justiça. Olha qu'esta...
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 25.07.2017 às 16:03

Está a querer-nos dizer que, para divulgar a lista das de vítimas do incêndio em Pedrogão Grande, o governo é incompetente?
Sem imagem de perfil

De Javardoura a 25.07.2017 às 16:08

Claro que o MP é independente. A começar pela nomeação da PGR
Sem imagem de perfil

De Maria Dulce Fernandes a 25.07.2017 às 09:37

Decidiu que de desmandos que verdade não deve ser ministrada por inteiro, vai assim aos poucochinhos. Mas irá mesmo?
Será toda a verdade ou Minitruth (Mini-truth) que dá título a este post ?
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 25.07.2017 às 10:28

Pior que esta ministra, só mesmo Ângelo Correia na Manif dos pregos.
Sem imagem de perfil

De jorge silva a 25.07.2017 às 10:50

enquanto os direitolas não tiverem outro assunto, não acaba este vergonhoso aproveitamento da tragédia. quando vão ganhar vergonha?
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 25.07.2017 às 12:00

Tem razão.
Há que ver que o PSD não tem a propôr nenhuma política verdadeiramente alternativa às que o PS tem seguido. O PSD é um partido-amálgama de tudo e o seu contrário, pelo que dificilmente pode defender qualquer política concreta, a não ser quando está no poder. Nestas condições, resta ao PSD fazer uma oposição sem verdadeiro conteúdo político, apoiada em casos mediáticos e nas emoções irracionais da população.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 25.07.2017 às 16:05

Mais vergonhoso foi o tratamento que este governo deu à tragédia e como os organismos do Estado falharam em toda a sua extensão....pedir transparência e informação, a verdade é aproveitamento? Olha que esta...
Sem imagem de perfil

De sampy a 25.07.2017 às 10:58

Quando o autor do post põe em confronto declarações do Governo com as da Associação de Seguradoras, e deixa em aberto a possibilidade de as últimas serem mais verídicas, está visto que batemos no fundo do poço.
Sem imagem de perfil

De amendes a 25.07.2017 às 11:23

É costume e de lei:

Quando há um acidente rodoviário (por exemplo, em Espanha) provocando mortes de portugueses, as autoridades competentes informarem em PRIMEIRO lugar os familiares. Depois, a identidade das vitimas pode ser tornada pública. As investigações inerentes ao acidente serão feitas à posteriori...

"Penso eu de que"...
...
Um aparte :Nunca ouvi o deputado do PAN manifestar-se sobre as morte dos animais...

Sem imagem de perfil

De sampy a 25.07.2017 às 12:13

Sim, o problema deve ser mesmo esse: alguns familiares dos falecidos permanecem incontactáveis. Mesmo sabendo-se onde estão sepultados, recusam-se a atender o telemóvel...
Sem imagem de perfil

De jurista popular a 25.07.2017 às 11:47

O que penso:

Nenhuma vitima mortal vitima acidente pode ser sepultada sem autopsia, não é verdade?

Ora, foram sepultados, pelo menos 64 corpos ( numero oficial) todos identificados. Então, o que impede as "autoridades competentes) de divulgar os nomes?

Qual o artgº. da Lei que o impede? Sim, porque toda a decisão judicial é baseada em leis...

Aqui há gato

Ontem numa TV -- um renomado jurista disse que, neste caso, o "segredo de justiça" é um absurdo!
Sem imagem de perfil

De sampy a 25.07.2017 às 12:20

Se há coisa em que este governo é pródigo, é em absurdos. Só que, desta feita, o governo conseguiu enrolar a PGR na embrulhada. Até ao momento, a Vidal não se distanciou nem clarificou as afirmações que o Costa lhe atribuiu. O cheiro a esturro intensifica-se...

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D