Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O comentário da semana

por Pedro Correia, em 18.05.14

«Havendo uma estagnação demográfica, a questão Malthusiana não se coloca.
Não há gastos de recursos acima do possível, ao contrário do que se tenta repetidamente fazer crer.
Convém distinguir economia de finança.
A economia é possível, a finança é insaciável.

A finança, apesar de servir um meio de controlo de poder, é também um catalisador da economia. É essa finança que vai puxando uns desenvolvimentos e matando outros, ao gosto de quem a controla.

O mundo ocidental fez a aposta de largar a economia e passar para o lado da finança. Foi na fábrica de ilusões financeira que construiu um império de castelos de cartas, mas com uma poderosa armada militar para quando o bluff da ilusão é desafiado.
Assim, ainda que toda a gente saiba que o dólar americano pode tender a valer o mesmo do que o do Zimbabué, quando o exército americano acha que não, quem somos nós para duvidar? Se Mugabe tivesse às ordens tal arsenal também ninguém se teria atrevido a gozar com o dólar zimbabuéano.

Por isso, não há nenhum problema com as reservas mundiais, seja lá do que for.
Para o que interessa para uma vida confortável, sobra duas ou três vezes, e por isso as pensões estariam mais que pagas.
São pagas pela economia, mas esse pagamento nunca satisfaz a finança, para manter a populaça dependente, com vontade de trabalhar, e não encostada à preguiça do estado social, ou a andar a fazer sabe-se lá o quê.

Assim, se a população não crescer acima de 10 mil milhões, discutir problemas económicos é uma falsa questão induzida pela especulação financeira.
A tecnologia actual permite tornar auto-suficiente qualquer comunidade.
Não estamos no tempo em que uma colheita azarada podia trazer fome e miséria.
No entanto, não permite que todos tenham o último Mercedes topo de gama.
Ainda que permitisse, o pessoal haveria de querer algo distintivo. Em tempos já chegou a ser a secreção do boi-almiscarado, só para impressionar as damas.
É tudo uma questão de faro, quando não há farol.»

 

Do nosso leitor da Maia. A propósito deste meu texto.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Não se coloca a 19.05.2014 às 08:23

"Estagnação demográfica" é coisa que não existe. O que existe é: mais mortes que nascimentos.
Sem imagem de perfil

De da Maia a 19.05.2014 às 13:04

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=493686&tm=7&layout=121&visual=49

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D