Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Frases de 2017 (42)

por Pedro Correia, em 29.09.17

«A direita, que nunca gostou das eleições [autárquicas], tem saudades dos regedores

José Pacheco Pereira, ontem, na Quadratura do Círculo

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 29.09.2017 às 10:53

Eu gostaria de saber o que entende ele por "a direita".
Será uma direita sociológica, não necessariamente partidária?
Será somente o CDS?
Será também o PSD? Mas ele é membro do PSD... Estará ele a falar dele mesmo?
Sem imagem de perfil

De amendes a 29.09.2017 às 11:16

Este "supositório para hemorroidal" já se esqueceu que concorreu a uma câmara pelo PSD ( com uma estrondosa derrota)

Se ele tivesse vergonha na cara, há muito que tinha entregue a "Raspadinha" do partido ... a tal que lhe deu muito dinheiro a ganhar... Deputado/ UE...

Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 15:50

Se o PSD tivesse vergonha na cara já tinha rebatizado o nome do partido...Pacheco Pereira foi deputado numa altura em que o PSD era de facto Social-Democrata...Vergonha deveriam ter todos os sociais democratas, herdeiros de Sá Carneiro, perante o que andam a fazer ao partido
Sem imagem de perfil

De Alain Bick a 29.09.2017 às 11:17

davam-lhe com um pau de marmeleiro nas abundantes nalgas
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 15:47

Porque tinha que ser com o do Marmeleiro? Bata com o seu e não com o pau dos outros, meu ganda socialista!!!...
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 11:19

Pedro, primeiro seria necessário definir-se o que é ser-se de Direita.

"No espectro político, a direita descreve uma visão ou posição específica que aceita a hierarquia social ou desigualdade social como inevitável, natural, normal ou desejável.Esta postura política geralmente justifica esta posição com base no direito natural e na tradição."

Se for a esta Direita que Pacheco Pereira se refere entendo-o na perfeição.
É a Direita que habituada ao sermão de domingo se habitua a ver a culpa em todo o dobrar de esquina. O pobre é pobre, ou o desafortunado é desafortunado, não devido a um processo inerente ao funcionamento do próprio sistema social, mas sim a um fatalismo genético darwinista - o pobre é um estado natural que reflecte uma incapacidade individual. Esta incapacidade, sendo uma fatalidade (nada há a fazer), não merece que a combatamos mas sim que lhe respondamos, ad hoc, com obras caridosas. As que permitem aos muito ricos um alivio de consciência pelas ganâncias bíblicas.

Desta forma colam-se aos menos dos mais (os pobres), características morais que lhe são próprias - Calvino falava na predestinação - para que tudo continue na mesma e para que os que deles comem o façam sem grandes enjoos - a boa digestão requer uma boa consciência. Calvino, Deus assim o quis....os Darwinistas/Neoliberais, ou os defensores da lei da selva, vêm na aniquilação dos menos adaptados ao oficio do viver, imoralmente, uma condição substantiva para o fortalecimento do conjunto. Também a Selecção Natural extingue os menos aptos (esquecem-se que todo o humanismo e toda a ciência visaram precisamente a libertação do Homem de todo e qualquer castigo natural - todos devem ter iguais oportunidades independentemente das suas capacidades - Libertação do Homem da Tirania da Lei do mais forte)

Outra das características atribuídas ao conjunto dos deserdados - de uma forma geral, negros, mulheres, etnias, que não brancas, etc - é a da infantilização. Justificam-na mais ou menos assim. Ao pobre, ao preto, à mulher, está-lhe associada um deficit de pensamento - não tolera sequer que essa falta de pensamento se deva a uma falta de escolarização, ou de opções culturais que lhe são negadas/impostas (diz-me onde nasceste, dir-te-ei quem és). A partir destas e outras definições gerais do sub-humano, caberia à elite decidir por ela e para bem dela....perdoa-lhes, Pai, pois não sabem o que fazem....e neste seguimento surgem os regedores, ou os comendadores que noutras alturas douradas decidiam a vida do pobre - a maior ajuda que lhe poderiam fazer, tendo em conta a ordem natural das coisas, era permitir que o filho tivesse uma pobreza melhor que a do pai. A isto chamavam progresso

Pedro, não estarão longe os tempos em que o Direito ao Voto será direito apenas do Contribuinte (quem paga decide....Democracia S.A)

Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 11:42

Apenas uma adenda, antes de me chamarem comuna, pestilento judeu internacionalista, ou exigirem a minha empalação, o que seria irónico uma vez que me dedico a Vlad, outrora Empalador:

Mais Forte=Mais Selvagem...

OU como dizia o revolucionário:

Ninguém Reina Impunemente.

Ou como dizia um empresário, bem pensante, a um jornalista que lhe perguntava: -O que é o poder?

- O Poder é a Impunidade
Sem imagem de perfil

De JgMenos a 29.09.2017 às 13:30

A Direita tem por essencial a noção de dever.
E se sempre concede ao Estado exprimir em leis os direitos, sempre lhe requer que cuide de só excepcionalmente os não condicionar a deveres.

É ao Estado que comete a execução de políticas conformes a esses princípios, e deixa aos cidadãos o direito às pieguices que constroem os mantras da esquerda, amplamente exemplificados no comentário acima; e que empestam as políticas abrilescas desde há décadas.
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 15:45

"empestam as políticas abrilescas desde há décadas"

"às pieguices"

O JgMenos é demais!!!

É tratar dessa canalha à canelada não é ganda Jg!!??
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 16:36

Todo o dever deve ser justificado pelo Direito. E o primeiro Direito é o que confere a cada um de nós a possibilidade de viver e ser feliz. Nisto assenta toda a doutrina do Liberalismo e da Democracia. A Liberdade é um direito e não um dever. O culto dos deveres, ou a submissão do Direito ao dever é próprio de sociedades corporativas, e fascizantes. O único dever é o dever ao Direito. Se o Estado abdicar deste dever poderá apenas contar com uma liberdade que cai por descuido de uma mesa qualquer.
Sem imagem de perfil

De João Marques a 29.09.2017 às 11:45

O José Pacheco Pereira foi sempre um comediante. De eterno desalinhado, de saudoso cavaquista a péssimo deputado, péssimo apresentador de um débil programa "cultural" televisivo, fica a paródia das suas afirmações. Está perfeitamente enquadrado na "quadratura".
Sem imagem de perfil

De Vlad, o Emborcador a 29.09.2017 às 12:46

"E Satanás caiu dos Céus como um Relâmpago, precipitando-se na Terra e dela fazendo o seu Reino"

God walked on Earth in those days. Now, still, in my Hearts He walks still

Nature & Organisation - Bloodstreamruns

https://www.youtube.com/watch?v=Kn8He_bLnF0
Sem imagem de perfil

De JgMenos a 29.09.2017 às 13:10

Eram os regedores mais baratos e não se lembravam de fazer estâncias de pic-nic em todos os recantos disponíveis às portas dos potenciais comensais.
Perfil Facebook

De Rão Arques a 29.09.2017 às 14:34

E eu a pensar que são outros que não gostam de eleições concorridas e preferem ditadores.
Anda Pacheco.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D