Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Convidada: VÂNIA CUSTÓDIO

por Pedro Correia, em 08.05.17

 

Todas as promessas perdidas

 

Naquele momento em que tudo se apaga, naquele último sopro de vida que se esvai no peito, o sonho sobrepõe-se à angústia e ao medo que leva ao desespero de desistir? O que leva um adolescente, com tanto para viver, a baixar os braços? Durante muito tempo, não se falava de suicídio na imprensa. Havia um código de ética e deontologia que se arrepiava e acreditava no efeito perverso do comportamento de imitação que podia advir deste tipo de notícias. Hoje o suicídio dos jovens é o tema mais quente do momento, seja pela jogo Baleia Azul ou pela série Por 13 razões, a passar na Netflix.

De repente, somos obrigados a encarar a realidade que foi escondida durante tanto tempo. Alguns não aguentam. E não aguentam o quê? Todos sabemos o quê. Todos passámos por lá. A transição da infância para a idade adulta é um caminho complicado, difícil e angustiante. Não é por acaso que se ouvem notícias de mil estudantes "expulsos" de Espanha das férias de Páscoa. E não, não estamos a misturar temas. A aceitação do grupo é o busílis de tudo. Numa altura em que ainda não sabemos quem somos, sem personalidade verdadeiramente definida, o medo tolda as decisões e pode de facto ser mau conselheiro. Se para sentirmos que há mais quem seja como nós, temos de nos anular em comportamentos de grupo, por que não deixarmo-nos ir? É tão mais fácil quando a nossa própria convicção ainda não encontrou uma linha de pensamento e acção que a mantém segura. Mais ainda quando toda esta angústia se afoga num estado depressivo de quem ainda há tão pouco tempo só conhecia dias felizes.

É tão difícil crescer. O que sente um adolescente que desiste? Quem de nós, por uns minutos que fosse, não chegou a desistir? E o que acontece quando não conseguimos encontrar o tal grupo que consegue levar-nos ao colo, mesmo que à boleia de muitas parvoíces, gargalhadas e algumas experiências limite? O chamado ciclo do animal-noivo, o processo de passagem à vida adulta existe e não pode continuar a ser ignorado. Pais, médicos, familiares e amigos, todos temos um papel importante a desempenhar. E o mais importante de todos talvez seja mesmo o de reconhecer que este é um caminho que tem de ser percorrido. A sós, mas não necessariamente sozinhos.

Quantas vidas e sonhos de libertação desse peso e angústia que a adolescência carrega não teriam sido salvos com apenas uma palavra amiga? Alguém que explicasse o processo e fizesse ver a luz ao fundo do túnel. Estaremos assim tão alheados que já não nos lembramos de como foi?

 

 

Vânia Custódio

(blogue CAIXA DOS SEGREDOS)

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 08.05.2017 às 14:25

Tem muita razão. Conheço bastantes mulheres já adultas que continuam a ter comportamentos de hesitação, de não saber o que querem, de cataventos, que as tornam muito semelhantes a adolescentes.
Sem imagem de perfil

De Einstürzende Neubauten a 08.05.2017 às 16:45

Luís, vejo mais adolescentes no sexo, dito, forte. Não aguentam sequer um casamento...

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D