Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Depois de na semana passada ter convocado uma conferência de imprensa para se mostrar indignado com o arresto de bens que afirma não lhe pertencerem, Sócrates deu ontem uma entrevista à RTP. Aqui ficam algumas notas que provam que continua a ser muito mais fácil apanhar o antigo primeiro-ministro do que um coxo:

 

1 - Sócrates reconheceu que pediu um empréstimo de 15.000€ há muitos anos a Carlos Santos Silva. Não se lembra para quê. É natural. Em contrapartida, aqui há uns tempos, lembrava-se dos pormenores do Portugal-Coreia de 1966.

 

2 - De acordo com o próprio Sócrates, Carlos Santos Silva emprestou-lhe umas centenas de milhares. Mas Sócrates, em vez de lhe dar 7 quadros para abater à dívida, ainda os trocou por um Júlio Pomar.

 

3 - Sócrates reconhece que pediu centenas de milhares de euros ao amigo para financiar o seu nível de vida. O jornalista pergunta se vive hoje em dia com empréstimos do amigo. Sócrates Indigna-se com o jornalista por este perguntar se vive com empréstimos do amigo.

 

4 - Um dos argumentos principais de Sócrates é que ninguém (ele muito menos) teria 30 milhões de euros em nome de outra pessoa (Santos Silva, no caso) sem possuir qualquer documento que lhe permitisse exigir a devolução dessas importâncias. É muito curioso. Porque é o mesmo José Sócrates que acha naturalíssimo que Carlos Santos Silva lhe tenha emprestado 600 mil euros sem que tenha sido assinado qualquer documento que garanta o reembolso da dívida.

Autoria e outros dados (tags, etc)


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.10.2017 às 11:32

Sócrates beneficia, perante a opinião pública, do facto de os seus entrevistadores estarem mal preparados e/ou de não terem capacidade de argumentação.
João de Brito
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:11

Sim, não acho que a prestação do jornalista tenha sido brilhante.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.10.2017 às 11:34

apenas uma correcção ao ponto 1: o homem não disse 15.000 mas 5.000€. deve fazer alguma diferença
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:11

Creio que disse primeiro 15.000 e depois, mais à frente, 5000.
Imagem de perfil

De Luís Menezes Leitão a 14.10.2017 às 12:36

Muito boa análise.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:10

Obrigado, Luís.
Sem imagem de perfil

De Tiro ao Alvo a 14.10.2017 às 13:03

As recordações do Sócrates acerca do jogo de futebol em 1966, que ocorreu a um sábado, mas que ele dizia, recorrendo a muitos pormenores, que tinha sido num dia em que escolas funcionaram, foi a gota que me levou a acreditar que estávamos na presença de um mentiroso compulsivo, como agora é fácil ver.
Imagem de perfil

De João Sousa a 14.10.2017 às 14:25

Portanto, se eu bem percebo o raciocínio da criatura: se ele fosse corrupto e tivesse recebido dinheiro sujo, seguramente teria um documento a provar que esse dinheiro lhe pertencia. Por outras palavras, um documento a ligá-lo directa e irrefutavelmente a essa prova do crime. Este homem é um Moriarty.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:13

Realmente.
Sem imagem de perfil

De Engenho i arte a 14.10.2017 às 15:10

E a dar-lhe. Não pode haver amizade tal que o que é do amigo dele é ? De tal modo fundidos que os euros assim andam há anos confundidos,sem registo nem fronteiras?Malas,envelopes,baús,livros,beldades,apetites,signos de amor ?
Mundo incréu e materialista!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.10.2017 às 16:57

Desculpe-me a pergunta: Em que crime é que o apanhou?
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:14

Isso é uma pergunta do Correio da Manhã! Não lhe dou os parabéns por isso.
Imagem de perfil

De Rui Rocha a 14.10.2017 às 17:13

Gentinha...
Sem imagem de perfil

De Torcato Guimarães a 14.10.2017 às 23:40

1. Vitor Gonçalves esteve bem; não foi jornalista comentador e sabichao como anda a moda;
2. O ex PM de Portugal falou o que quis;
3. Se é credível ou não é tarefa de um tribunal no que diz respeito ao que importa: hã ou não uma pena.
4. A presunção de inocência vigora só no local referido em 3. por haver consequência.
5. No mais, a sociedade civil deve aprender a ser atenta...e não barulhenta...estudiosa...e não barulhenta...perspicaz...e não cega...proativa e não. ...
Sem imagem de perfil

De JgMenos a 15.10.2017 às 00:24

Faltam nas entrevistas a audição de umas escutas para que o artista as explique.

Quem o apanhar nesse cenário proporcionará um reality show da maior qualidade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.10.2017 às 02:04

A coca torrou-lhe a mioleira toda. Há muitos anos.

Cumpre.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.10.2017 às 12:57

E os impolutos nascimento,candinha & monteiro, Lda., já fizeram saber a sua douta e desinteressada opinião?...

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D