Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Andam a gozar à nossa custa

por Sérgio de Almeida Correia, em 23.05.14

 

Ainda não fez uma semana que a troika se despediu dos régulos que tomam conta do "Protectorado" e já um ilustre autarca se prepara para cumprir uma promessa eleitoral. Inadiável, digo eu. Sim, porque quando se considera estruturante um investimento de € 100.000,00 (cem mil euros) para construir uma "pista pedonal para cumprimento de promessas em nome de Madre Rita", quem o promove deve ter direito a fotografia na primeira página. Para que  todos os portugueses a quem são pedidos esforços e sacrifícios possa ver a cara do "pagador de promessas" e agradecer convenientemente o investimento quando com ele se cruzarem na rua ou, quem sabe, numa procissão pré-eleitoral.

Para um tipo que foi secretário de Estado do Sr. Passos Coelho, num executivo onde também estava aquele senhor a quem chamavam "doutor", que ia fazer a reforma das autarquias, da RTP e de mais um montão de coisas, para poupar dinheiro aos contribuintes, acabar com as gorduras do Estado e reduzir a despesa pública, penso que seria importante incluir este cavalheiro nas medalhas para o Dez de Junho. Oxalá que o Presidente da República não se esqueça dele.

Autarcas destes, dos que cumprem promessas e anunciam investimentos estruturantes em honra das santinhas da terra a 72 horas de um acto eleitoral, já escasseiam. Com a generosa protecção do partido ainda menos.  

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

Sem imagem de perfil

De sampy a 23.05.2014 às 15:09

Já vai sendo costume, de cada vez que o autor destila a sua indignação num post, ter de usar de extrema cautela na leitura da notícia que estará na origem de tal extravaso. De facto, a ingenuidade com que o autor se deixa convencer por um título ou uma frase bombástica é a prova mais evidente de que o jornalismo de sarjeta tem um futuro risonho à sua frente.

Afinal, o que vai ser construído? A própria notícia linkada lá acaba por dizê-lo: uma estrada a ligar a Casa-museu à igreja paroquial de Ribafeita, e ao lado um caminho tipo ecopista, o tal corredor pedonal que servirá, quer para o cumprimento de promessas, quer para outros efeitos, ao longo do ano.
E quando vai ser construída? A tempo de estar pronta no final de Julho, em que se realizará uma peregrinação internacional (e a inauguração da Casa Memorial).
E estava prevista a sua construção? Sim, constava do programa eleitoral do candidato à presidência da Junta de Freguesia que ganhou as eleições.

Claro que o autor do post podia ter-se dado ao trabalho de recolher mais informações e cruzá-las. Mas isso implicaria uma séria mudança de hábitos...
Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 23.05.2014 às 17:49

O autarca até pode chamar "auto-estrada" a um "caminho pedonal". E o leitor acreditar. Mas no português pré-acordo um "caminho pedonal" é isso mesmo. A não ser que para o leitor um aeroporto que receba um voo do estrangeiro por semana, na época alta, também mereça o estatuto de "aeroporto internacional" e justifique o investimento.
Ah, e quanto a promessas de candidatos a presidentes de junta, vai ver que se ler o programa com atenção ainda encontra lá a nota de que se tratou de uma recomendação do Além. Uma recomendação "estruturante".

P.S. Se houver "derrapagem" na obra e tiver notícia do valor não se esqueça de pedir ao presidente da junta para nos informar. Hoje em dia não nos podemos fiar nas notícias.
Sem imagem de perfil

De sampy a 23.05.2014 às 21:39

No português pré-acordo, ler uma notícia é ler uma notícia.

«Para além da colocação da pista pedonal com mais de dois quilómetros de extensão, será anda feita a ligação em estrada entre a casa da Madre Rita e a Igreja Matriz de Ribafeita.
"Teremos uma estrada que liga estes dois pontos e ao lado um caminho tipo ecopista, que servirá também para outros efeitos ao longo do ano", concluiu».

Haverá, portanto, uma estrada E um caminho pedonal. Ou, se se quiser eliminar a treta do marketing, uma estrada com um amplo passeio. Que o "jornalista" da Lusa tenha visto o picante da coisa e tenha optado por "noticiar" que vai ser construído um passeio com uma estrada ao lado, até se percebe. Mas também há quem insista em dar simplesmente a notícia. Do Diário de Viseu:

«A autarquia de Viseu vai gastar cerca de 100 mil euros na construção de uma estrada que ligará a casa de Madre Rita à Igreja Matriz de Ribafeita, na mesma ligação será também criado um percurso pedonal».

Justifica-se o investimento? Tem base sólida para ser considerado estruturante? Que fale quem tiver conhecimento de causa. Criticar recorrendo a graçolas com o Além ou contabilizando hipotéticas derrapagens parece-me fraco argumento.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Carvalho da Silveira a 24.05.2014 às 12:07

O que está aqui em causa não é a estrada nem o passeio ao lado. O ponto é que o presidente da camara de Viseu, foi secretário de estado deste governo, e portanto é um malandro, tem de ser um malandro, que já anda a desbaratar os dinheiros públicos. É estordinário!!!
Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 24.05.2014 às 18:10

Não leia o que lá não está. Quando quero chamar "malandro" a alguém faço-o sem meias-palavras.
O que aqui está em causa é a bondade do investimento nesta altura e a coerência do discurso, quando se está dentro do Governo e fora dele, quando se é poder ou se é oposição. Se o leitor não vê isso, se não vê o desrespeito por quem não tem dinheiro para pagar as propinas dos filhos, por quem não tem para aviar os medicamentos na farmácia, e considera normal o "investimento" num "caminho "tipo pedonal", que servirá "para outros efeitos ao longo do ano", só tenho que lamentar. Mas não serei eu a abrir-lhe os olhos.

P.S. Não vivo em Lisboa desde finais dos anos 70 e nos últimos doze vivi a 265km de Lisboa. Agora estou a 10 mil. Sei do que falo. E aqui aqui onde estou, fica a saber, para se tirar um passaporte no consulado português vai-se buscar uma senha (são vinte por dia) e faz-se fila a partir das 5 horas da manhã. Se lá estiver alguém para tirar um passaporte para si e para os três filhos, só 16 conseguirão o papelinho. Se quiser agora uma marcação fazem-na para Agosto. E um cartão de cidadão leva meses. Todos os dias de manhã são filas terceiro-mundistas. Um reconhecimento de assinatura obriga a três deslocações e pagamento antecipado do equivalente a 15 euros. E o Presidente da República saiu daqui há dias com uma centena de empresários. É claro que com um telefonema há quem resolvo tudo mais depressa, mas antes de pegar no telefone há quem costume cumprir a via sacra dos seus concidadãos. Presumo que tudo isto deva ser normal para si e muito menos importante do que um gasto de cem mil euros num caminho pedonal para pagar promessas.
Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 24.05.2014 às 18:15

"há quem resolva", eu não resolvo nada. É bom que também fique claro.

Sei que não foi o leitor quem falou de Lisboa, mas aproveitei para responder a outro leitor. Espero que me releve a ousadia.
Sem imagem de perfil

De rmg a 24.05.2014 às 19:51


Pois se fui eu o que falou de Lisboa , enfio o barrete com muito prazer .

O Sérgio viveu a 265 kms de Lisboa mas não foi no interior norte nem nada que se pareça com isso e não vou ser eu que lhe venha aqui lembrar onde é que viveu (isso V. sabe e os outros não têm nada que o saber por mim) .

Quanto ao sítio onde agora vive tenho aí alguns bons conhecidos , são as voltas da vida , ainda que não vá para esses lados há muito tempo não os perdi "de vista" e muito menos "de ouvido" .
Sei portanto algo sobre a situação (menos que o Sérgio , claro).

Mas vir com o que se passa aí no consulado não é argumento para contrariar as opiniões dos outros sobre o caminho pedonal em Viseu .
Se quisesse discutir esse problema específico levantava-o legítimamente aqui (já trouxe situações semelhantes) .

Como agora trouxe esta do caminho pedonal , é disso que falamos e não me parece que alguém lhe tivesse chamado nomes .
No entanto sei por experiência própria que este seu tipo de "diálogo" faz parte do seu "estilo" , até andei afastado daqui uns tempos por causa disso .

Não estou de acordo que seja tudo dinheiro mal gasto desde o momento que , servindo um propósito específico de alguma (mesmo que não urgente) utilidade pública , dê trabalho durante uns meses a gente da construção civil que neste momento não tem trabalho nenhum por lá e portanto "não tem dinheiro para pagar as propinas dos filhos" nem "para aviar os medicamentos na farmácia" .

Imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 23.05.2014 às 17:51

"Outros efeitos"..., hum..., quais?
Sem imagem de perfil

De sampy a 23.05.2014 às 21:46

Realmente... para que é que poderá servir um caminho pedonal?...

Fosse em Lisboa e a resposta seria óbvia. Mas assim...
Sem imagem de perfil

De António a 23.05.2014 às 22:33

Curiosa esta frase:
«E estava prevista a sua construção? Sim, constava do programa eleitoral do candidato à presidência da Junta de Freguesia que ganhou as eleições.»

Permita-me então que faça um breve cálculo:
3091 freguesias (fruto da reforma Relvas) x 100 000 euros
Se todos os candidatos vencedores tivessem promessas eletorais deste valor, o resultado seria de 309 100 000 euros para se gastar!
Paga Zé Povinho!
Sem imagem de perfil

De sampy a 24.05.2014 às 11:46

Sensivelmente o mesmo que a RTP tem gasto por ano.
Paga e não bufes!
Sem imagem de perfil

De rmg a 24.05.2014 às 17:10


Sendo eu de Lisboa há 3 gerações e tendo aqui a minha base e a família toda , comprei há muitos anos uma casa abandonada no interior norte , que recuperei e onde agora passo largas temporadas .
Isso torna-me um caso suspeito num país onde as pessoas só compravam casas no Algarve , eu sei .

Isto para dizer que conheço mais ou menos o assunto e o consigo olhar tanto com os olhos do "gajo de fora" como com os "olhos do gajo de dentro" .
Ainda que não seja para aqueles lados que estou , sempre estou mais perto do que outras pessoas que por aqui andam ...

E só posso dar razão ao comentador "sampy" .
Entre os urbanos (*) há uma maneira muito provinciana de ver a província .

(*) Terem raízes na província e passarem por lá às vezes não os torna conhecedores de nada , há que viver lá pelo menos metade do mês e nos meses todos do ano que é assim que se fecham os "ciclos da vida local" .
Sem imagem de perfil

De Retundas a 18.07.2014 às 12:06

Meses depois...
http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=156027&utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter
Sem imagem de perfil

De Filipe a 27.07.2014 às 01:36

Passei hoje em Ribafeita para confirmar as obras feitas. Fiquei maravilhado:
- construção de uma Casa Memorial, que mais parece um hotel de charme do que a casa de alguém que pregou a pobreza. Nota: custou 300 mil euros;
- construção de uma estrada que não serve ninguém. Nota: custou 100 mil euros;
- e temos ainda a construção daquela magnífica igreja junto ao Palácio do Gelo que, entre ladrões e empreiteiros, já custou para cima de 1 milhão de euros.

Conclusão: como os nossos governantes políticos e religiosos gastam tão bem o nosso dinheiro!!! Já estou a ver o sorriso na cara das criancinhas africanas que morrem de fome todos os dias. E também o sorriso de todos os viseenses quando descobriram que nos próximos anos este grandioso investimentos vai trazer quase 10 turistas a Ribafeita.
Sem imagem de perfil

De sampy a 27.07.2014 às 21:51

Tinhas ficado para a inauguração hoje, para veres os tais 10 turistas...

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D